Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Vacinas: o que são, tipos e para que servem

As vacinas são substâncias produzidas em laboratório que têm como principal função treinar o sistema imunológico contra diferentes tipos de infecções, já que estimulam a produção de anticorpos, que são as substâncias produzidas pelo corpo para combater os microrganismos invasores. Assim, o corpo desenvolve anticorpos antes de entrar em contato com o microrganismo, deixando-o pronto para atuar mais rapidamente quando isso acontecer.

Embora a maior parte das vacinas precise ser administrada por injeção, também existem vacinas que podem ser feitas por via oral, como é o caso da VOP, que é a vacina oral contra a poliomielite.

Além de preparar o corpo para responder a uma infecção, a vacinação também diminui a intensidade dos sintomas e protege todas as pessoas da comunidade, pois diminui o risco de transmissão da doença. Confira 6 boas razões para vacinar e manter a caderneta atualizada.

Vacinas: o que são, tipos e para que servem

Tipos de vacina

As vacinas podem ser classificadas em dois tipos principais, dependendo da sua composição:

  • Vacinas de microrganismos atenuados: o microrganismo responsável pela doença sofre uma série de procedimentos no laboratório que diminuem a sua atividade. Assim, quando vacina é administrada, é estimulada uma resposta imunológica contra esse microrganismo, porém não há desenvolvimento da doença, pois o microrganismo está enfraquecido. Exemplos destas vacinas são a vacina BCG, tríplice viral e a da catapora;
  • Vacinas de microrganismos inativados ou mortos: contêm microrganismos, ou fragmentos desses microrganismos, que não estão vivos estimulando a resposta do corpo, como é o caso da vacina para hepatite e a vacina meningocócica.

A partir do momento em que a vacina é administrada, o sistema imunológico age diretamente sobre o microrganismo, ou os seus fragmentos, promovendo a produção de anticorpos específicos. Caso futuramente a pessoa entre em contato com o agente infeccioso, o sistema imunológico já consegue combater e impedir o desenvolvimento da doença.

Como são feitas as vacinas

A produção de vacinas e disponibilização para toda a população é um processo complexo e que envolve uma série de etapas, por esse motivo a fabricação de vacinas pode demorar entre meses a vários anos.

As fases mais importantes do processo de criação de vacinas são:

Fase 1

Uma vacina experimental é criada e testada com fragmentos do microrganismo ou agente infeccioso morto, inativado ou atenuado, em um pequeno número de pessoas e, em seguida, é feita a observação da reação do corpo após a administração da vacina e desenvolvimento de efeitos colaterais.

Essa primeira fase dura em média 2 anos e se houver resultados satisfatórios, a vacina passa para a 2ª fase.

Fase 2

A mesma vacina passa a ser testada em um número maior de pessoas, por exemplo 1000 pessoas, e além de observar como seu corpo reage e os efeitos colaterais que ocorrem, tenta-se descobrir se diferentes doses são eficazes, a fim de encontrar a dose adequada, que tenha menos efeitos nocivos, mas que seja capaz de proteger todos as pessoas, em todo mundo.

Fase 3:

Supondo que a mesma vacina tenha encontrado sucesso até à fase 2, ela passa para a terceira fase que consiste em aplicar esta vacina num maior número de pessoas, por exemplo 5000, e observar se realmente ficam protegidas ou não.

No entanto, mesmo com a vacina na última fase de testes, é importante que a pessoa adote os mesmos cuidados relacionados à proteção contra a contaminação pelo agente infeccioso responsável pela doença em questão. Assim, se a vacina em teste for contra o HIV, por exemplo, é importante que a pessoa continue fazendo uso da camisinha e evite o compartilhamento de seringas.

Vacinas: o que são, tipos e para que servem

Calendário nacional de vacinação

Existem vacinas que fazem parte do plano nacional de vacinação, que são administradas gratuitamente, e outras que podem ser administradas por recomendação médica ou caso a pessoa viaje para locais onde existe o risco de contrair uma doença infeciosa.

As vacinas que fazem parte do plano nacional de vacinação e que podem ser administradas gratuitamente incluem:

1. Bebês até aos 9 meses

Em bebês até 9 meses de idade, as principais vacinas do plano de vacinação são:

Ao nascer2 meses3 meses4 meses5 meses6 meses9 meses

BCG

Tuberculose

Dose única
Hepatite B1ª dose

Pentavalente (DTPa)

Difteria, tétano, coqueluche, Hepatite B e meningite por Haemophilus influenzae b

1ª Dose2ª Dose3ª Dose

VIP/VOP

Poliomielite

1ª Dose (com VIP)

2ª Dose (com VIP)

3ª Dose (com VIP)

Pneumocócica 10V

Doenças invasivas e otite média aguda causadas por Streptococcus pneumoniae

1ª Dose2ª Dose

Rotavírus

Gastroenterite

1ª Dose2ª Dose

Meningocócica C

Infecção por meningococo, incluindo meningite

1ª Dose2ª Dose
Febre amarela1ª dose

2. Crianças entre 1 e 9 anos

Em crianças entre 1 e 9 anos, as principais vacinas indicadas no plano de vacinação são:

12 meses15 meses4 anos - 5 anos9 anos

Tríplice bacteriana (DTPa)

Difteria, tétano e coqueluche

1º Reforço (com DTP)2º Reforço (com VOP)

VIP/VOP

Poliomielite

1º Reforço (com VOP)2º Reforço (com VOP)

Pneumocócica 10V

Doenças invasivas e otite média aguda causadas por Streptococcus pneumoniae

Reforço

Meningocócica C

Infecção por meningococo, incluindo meningite

Reforço1º reforço

Tríplice viral

Sarampo, caxumba, rubéola

1ª dose
Catapora2ª Dose
Hepatite ADose única

Tetra viral


Sarampo, Caxumba, Rubéola e Catapora

Dose única

HPV

Papiloma vírus humano

2 doses (meninas dos 9 aos 14 anos)
Febre amarelaReforço1 Dose (para não vacinados)


3. Adultos e crianças a partir de 10 anos

Em adolescentes, adultos, idosos e grávidas, as vacinas são normalmente indicadas quando o plano de vacinação não foi cumprido durante a infância. Assim, as principais vacinas indicadas durante esse período são:

10 aos 19 anosAdultosIdosos (> 60 anos)Grávidas

Hepatite B

Indicada quando não houve vacinação entre 0 e 6 meses

3 doses3 doses (a depender da situação vacinal)3 doses3 doses

Meningocócica ACWY

Neisseria meningitidis

1 Dose (11 a 12 anos)
Febre amarela1 Dose (para não vacinados)1 dose

Tríplice viral

Sarampo, caxumba, rubéola

Indicada quando não houve vacinação até os 15 meses

2 Doses (até aos 29 anos)2 doses (até 29 anos) ou 1 dose (entre 30 e 59 anos)

Dupla adulto

Difteria e tétano

3 DosesReforço a cada 10 anosReforço a cada 10 anos2 Doses

HPV

Papiloma vírus humano

2 Doses

dTpa adulto

Difteria, tétano e coqueluche

1 DoseDose única em cada gestação

Assista o vídeo seguinte e entenda porque a vacinação é tão importante:

Dúvidas mais comuns sobre vacinas

1. A proteção da vacina dura a vida toda?

Em alguns casos, a memória imunológica dura a vida toda, no entanto, em outros, é necessário fazer um reforço da vacina, como é o caso da doença meningocócica, difteria ou tétano, por exemplo.

É importante também saber que a vacina demora algum tempo para fazer efeito e, por isso, se a pessoa for infectada pouco tempo depois de a tomar, a vacina pode não ser eficaz e a pessoa pode desenvolver a doença.

2. As vacinas podem ser usadas na gravidez?

Sim. Como são um grupo de risco, as grávidas devem tomar algumas vacinas, como é o caso da vacina da gripe, hepatite B, difteria, tétano e coqueluche, que são usadas para proteger a gestante e o bebê. A administração de outras vacinas devem ser avaliadas caso a caso e prescritas pelo médico. Veja quais são as vacinas indicadas na gravidez.

3. As vacinas causam desmaios em algumas pessoas?

Não. Geralmente, as pessoas que desmaiam depois de receber uma vacina deve-se ao fato de terem medo da agulha, por sentirem dor e entrarem em pânico.

4. As mulheres que estão em fase de amamentação podem tomar vacinas?

Sim. As vacinas podem ser dadas para lactantes, de forma a evitar que a mãe transmita vírus ou bactérias para o bebê, no entanto é importante que a mulher tenha a orientação do médico. As únicas vacinas contraindicadas para mulheres que estão a amamentar são a da febre amarela e da dengue.

5. Pode-se tomar mais de uma vacina ao mesmo tempo?

Sim. A administração de mais de uma vacina ao mesmo tempo não prejudica a saúde.

6. O que são as vacinas combinadas?

As vacinas combinadas são aquelas que protegem a pessoa de mais de uma doença e em que é necessária a administração de apenas uma injeção, como é o caso da tríplice viral, tetraviral ou a penta bacteriana, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Vacinas pneumocócicas conjugadas. Disponível em: <https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacinas-pneumococicas-conjugadas>. Acesso em 19 Mai 2020
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Vacina tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) – SCR-V. Disponível em: <https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-tetraviral-scr-v>. Acesso em 19 Mai 2020
  • WHO. Vaccines and immunization: What is vaccination?. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/q-a-detail/vaccines-and-immunization-what-is-vaccination>. Acesso em 16 Nov 2020
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Calendário Nacional de Vacinação 2020/PNI/MS. 2020. Disponível em: <https://www.saude.go.gov.br/files/imunizacao/calendario/Calendario.Nacional.Vacinacao.2020.atualizado.pdf>. Acesso em 16 Nov 2020
Mais sobre este assunto:

Carregando
...