Remédios para emagrecer: de farmácia e naturais

Durante o processo de perda de peso, o médico ou nutricionista pode indicar, além da alimentação saudável e da prática de atividade física, o uso de algum medicamento ou remédio natural que seja capaz de acelerar o metabolismo, queimar a gordura acumulada, inibir a absorção de gordura no intestino, diminuir o apetite, controlar a ansiedade e/ ou combater a retenção de líquidos.

No entanto, é importante destacar que o uso dos medicamentos remédios naturais devem ser realizados apenas se indicado e orientado pelo profissional de saúde, pois podem estar associados a uma série de efeitos secundários e contraindicações, que podem trazer consequências para a saúde, principalmente os medicamentos de farmácia.

O tipo de medicamento a ser utilizado depende das necessidades individuais de cada pessoa, devendo ser recomendado pelo médico especialista. Além disso, o seu uso deve ser associada a uma alimentação saudável e baixa em calorias, assim como é importante praticar atividade física de forma regular, pois caso essas mudanças no estilo de vida não existam, é possível que exista um efeito rebote (sanfona), favorecendo o aumento de peso novamente.

Remédios para emagrecer: de farmácia e naturais

Medicamentos de farmácia

Alguns dos medicamentos que podem ser usados para perder peso, que são vendidos em farmácias e devem ser prescritos pelo médico e utilizados de acordo com a sua recomendação são:

1. Sibutramina

A sibutramina atua diminuindo a fome e fazendo com que a sensação de saciedade chegue mais rápido ao cérebro, ajudando a controlar a quantidade de comida ingerida. Dessa forma, este remédio pode ser usado como primeiro tratamento em pessoas com obesidade. Conheça mais sobre a sibutramina.

Indicação: é indicado para pessoas que estão fazendo dieta, mas têm muita dificuldade em controlar a fome e vontade de comer alimentos mais gordurosos ou açucarados.

Como tomar: em geral, a recomendação é tomar 1 cápsula de 10 mg pela manhã em jejum, mas se a perda de peso não ocorrer após 4 semanas de uso, o médico deve ser consultado.

Efeitos secundários: o uso desse medicamento pode causar prisão de ventre, boca seca, insônia, taquicardia, palpitações, dor de cabeça, aumento da pressão arterial e do risco de doenças cardiovasculares, depressão e ansiedade. Assim, devido aos efeitos secundários, é fundamental que a sibutramina apenas seja usada sob indicação e orientação do médico.

Contraindicações: este remédio não deve ser usado por gestantes, mulheres que amamentam e em casos de doenças cardíacas, anorexia, bulimia, uso de descongestionantes nasais e antidepressivos.

2. Orlistat

O orlistat é um medicamento que atua impedindo a absorção de gordura no intestino, pois inibe as enzimas gastrointestinais, o que reduz a quantidade de calorias absorvidas a nível intestinal, favorecendo a perda de peso e ajudando a controlar o colesterol alto. Veja mais sobre o orlistat.

Indicação: é indicado para pessoas com obesidade (IMC maior que 30 kg/m2) ou com sobrepeso (IMC maior que 28 kg/m2) que possuem fatores de risco associados. Não deve ser utilizado como solução para consumir mais alimentos com alto teor de gordura diariamente.

Como tomar: é aconselhado tomar 1 cápsula de 60 a 120 mg antes, durante ou até uma hora após cada refeição principal. É indicado que o medicamento não seja tomado caso a refeição não contenha gordura ou caso não seja feita uma refeição.

Efeitos secundários: o uso desse medicamento pode causar dor de cabeça, dor abdominal ou retal, distensão abdominal, flatulência, incontinência e urgência fecal, fezes gordurosas, fezes brancas ou líquidas, aumento da frequência de evacuações, hipoglicemia e fadiga.

Contraindicações: o orlistat está contraindicado para gestantes, mulheres que amamentam e pessoas com problemas de má absorção intestinal ou tendência a ter diarreia.

3. Saxenda (Liraglutida)

O saxenda é um medicamento em forma de injeção que atua no centro da fome e da saciedade fazendo com que a pessoa tenha menos apetite. Além disso, um dos efeitos do medicamento é a mudança no paladar que faz com que os alimentos não tenham um sabor tão agradável. Esse medicamento pode ser encontrado em farmácias, sendo vendido apenas sob prescrição médica. Veja mais sobre o saxenda.

Indicação: esse medicamento é indicado para pessoas com IMC maior que 30 kg/m2 ou com IMC maior que 27 kg/m2 que possuem doenças associadas, como hipertensão arterial ou diabetes do tipo 2. Também pode ser utilizado para controlar o peso em pacientes adolescentes a partir dos 12 anos e que possuem obesidade. Além disso, essas pessoas devem ser acompanhadas por um médico ou nutricionista.

Como tomar: tanto para adultos e adolescentes com 12 anos ou mais, o tratamento deve ser iniciado com uma dose baixa, que deve ir aumentando gradualmente durante as 5 primeiras semanas de tratamento. A dose inicial é de 0,6 mg por dia, devendo aumentar semanalmente em intervalos de 0,6 mg, de forma que na semana 5 de tratamento a dose é de 3 mg uma vez por dia.

Efeitos secundários: as reações adversas mais frequentes deste medicamento são a presença de náuseas, vômitos, diarreia, prisão de ventre, indigestão, gastrite, mal-estar estomacal, dor e ardor no estômago, sensação de inchaço, gases, arrotos, boca seca, fraqueza, cansaço e alteração no paladar.

Contraindicações: este medicamento não deve ser usado por pessoas que não sejam consideradas obesas, durante a gravidez, no período de amamentação ou em crianças, porque os efeitos desse medicamento não foram avaliados nesse grupo de pessoas.

4. Cloridrato de lorcaserina (Belviq)

O cloridrato de lorcaserina é um remédio contra obesidade que atua nos níveis de serotonina do cérebro, diminuindo o apetite e aumentando a saciedade. Com a redução do apetite é possível ingerir menos alimentos, perdendo peso.

Indicação: esse medicamento é indicado para pessoas com obesidade, ou seja, com IMC maior que 30 kg/m2 , ou que possuam sobrepeso com um IMC maior que 27 kg/m2 e que possua alguma comorbidade associada, como hipertensão arterial, diabetes ou dislipidemia. No entanto, só deve ser usado sob prescrição médica.

Como tomar: é indicado tomar 2 comprimidos por dia de 10 mg, um no almoço e outro no jantar, devendo ser avaliado o efeito do medicamento ao fim de 12 semanas. Se a pessoa não perder 5% do seu peso, o tratamento deve ser suspenso.

Efeitos secundários: pode causar reações alérgicas, aumento da prolactina, mudanças de humor, mudança na visão, confusão, priapismo (ereção que dura mais de 4 horas), aumento da frequência cardíaca, sudorese, ideias suicidas, tremores, cansaço, vômitos, náuseas e diminuição dos níveis de glicose.

Contraindicações: esse medicamento não deve ser utilizado por crianças ou adolescentes com menos de 18 anos, durante a gravidez e o período de amamentação. Além disso, não é recomendado para pessoas com insuficiência hepática e renal grave, com doença de Peyronie, fibrose cavernosa ou que está em tratamento com medicamentos para disfunção erétil.

5. Fentermina

A fentermina é um medicamento que pode ser usado para tratar a obesidade, já que atua sobre o sistema nervoso central, suprimindo o apetite e favorecendo a perda de peso.

Indicação: é indicado para adultos e crianças com mais de 12 anos de idade e possuem obesidade, ou seja, IMC igual ou maior que 30 kg/m2.

Como tomar: é recomendado tomar 1 comprimido de 15 ou 30 mg, 30 a 50 minutos antes de comer, sendo recomendado tomar até as 19h. O tratamento com fentermina deve ter duração máxima de 12 semanas.

Efeitos secundários: a fentermina pode causar visão borrada, insônia, boca seca, palpitação, taquicardia, nervosismo, euforia e náuseas.

Contraindicações: este medicamento deve ser evitado por mulheres grávidas, no período de lactância e por crianças com menos de 12 anos. Além disso, não é recomendado que o uso seja feito por pessoas com anorexia, que tenham insônia, personalidade psicótica e astenia. Também não é indicado para pessoas que fazem uso de IMAO (inibidores da monoamino oxidase) para tratar a depressão, pois pode causar crises hipertensivas.

6. Naltrexona e Bupropiona

A naltrexona e a bupropiona são substâncias ativas que atuam nas principais regiões do cérebro, fazendo com que a pessoa diminua a ingestão de alimentos e favoreça a perda de peso.

Indicação: é indicado para pessoas com obesidade, ou seja, com IMC maior que 30 kg/m2 , ou que possuam sobrepeso com um IMC maior que 27 kg/m2 e que possua doenças associadas ao sobrepeso, como dislipidemia, diabetes e hipertensão.

Como tomar: o uso da naltrexona e bupropiona deve ser iniciado com 1 comprimido de 90 mg/ 8mg pela manhã. Essa dose deve ir aumentando progressivamente durante 4 semanas até alcançar a dose máxima de 360 mg/ 32 mg por dia, ou seja, 2 comprimidos pela manhã e 2 comprimidos à noite. Os comprimidos devem ser tomados inteiros e com um pouco de água, de preferência juntamente às refeições.

Efeitos secundários: o uso desse medicamento pode causar náuseas, tremores, alteração da atenção, cansaço excessivo, vertigem, palpitações, tontura, prisão de ventre, vômitos, boca seca, sudorese, alopecia, diminuição dos linfócitos e coceira.

Contraindicações: este medicamento está contraindicado durante a gravidez, lactância e para crianças, além de não ser recomendado para pessoas com hipertensão não controlada, transtornos convulsivos ou antecedentes de convulsão, neoplasia no sistema nervoso central, abstinência de álcool ou benzodiazepínicos e pessoas com antecedentes de transtorno bipolar. Esse medicamento também não é recomendado para pessoas com diagnóstico de bulimia ou anorexia nervosa, insuficiência hepática ou renal grave, pessoas com dependência aos opiáceos ou que estejam em tratamento com IMAO para depressão.

Remédios naturais para emagrecer

Remédios para emagrecer: de farmácia e naturais

Existem alguns remédios naturais que favorecem a perda de peso, no entanto, é importante mencionar que, apesar de serem naturais, podem causar efeitos secundários e possuem algumas contraindicações. Por isso, é importante que sejam consumidos de acordo com a orientação do nutricionista, médico ou fitoterapeuta. Alguns remédios naturais são:

1. Chá verde

O chá verde é uma bebida rica em compostos antioxidantes como a cafeína, as catequinas e os polifenois, que ajudam a acelerar o metabolismo, fazendo com que o organismo gaste mais energia e exista a perda de peso. Além disso, facilita a digestão, regula o intestino e combate a retenção de líquidos.

O chá verde pode ser consumido em forma de chá ou pode ser adquirido nas farmácias ou lojas de produtos naturais em forma de cápsula.

Como tomar: consumir de 3 a 4 xícaras do chá por dia. No caso do há verde em forma de suplemento, deve-se tomar 1 cápsula 30 minutos depois das refeições principais.

2. Glucomanano

O é um suplemento obtido a partir das paredes celulares de algumas plantas, sendo considerada uma fibra dietética. Esse suplemento ajuda a aumentar a saciedade, regular o metabolismo das gorduras, controlar o açúcar no sangue e melhorar o trânsito intestinal. Conheça outros benefícios do glucomanano para a saúde.

Como tomar: a dose pode variar dependendo da quantidade de fibra presente no suplemento, sendo importante ler o rótulo do produto. No entanto, a indicação geral é a de que devem ser tomadas 2 cápsulas entre 500 mg e 2 g por dia, 30 a 60 minutos antes das refeições principais, junto com um copo de água.

3. Quitosana

A quitosana é um suplemento natural que é obtido a partir das fibras presentes nos esqueletos dos mariscos. Esse suplemento aumenta a saciedade e diminui a absorção de gordura a nível intestinal, ajudando a diminuir os níveis de colesterol.

Como tomar: a dose pode variar de acordo com a concentração presente no produto, sendo importante ler o rótulo do suplemento. De forma geral, é indicado tomar 1 a 2 cápsulas por dia, antes de cada refeição principal. É importante ressaltar que esse suplemento é contra indicado em caso de alergia a frutos do mar.

4. Goji berry em cápsulas

As bagas goji possuem diversos compostos bioativos que lhes conferem um alto potencial antioxidante, além de ser rica em fibras, vitaminas e minerais, favorecendo não só a perda de peso, mas também ajudando a fortalecer o sistema imune e prevenir o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Como tomar: é recomendado tomar 2 a 3 cápsulas de 500 mg por dia com 1 copo de água. No entanto, a dose pode variar de acordo com a concentração do suplemento, sendo importante a pessoa ler o rótulo do fabricante antes de consumir.

5. Spirulina

A spirulina é um tipo de alga utilizada como suplemento nutricional devido ao fato de ser uma excelente fonte de vitaminas, minerais, antioxidantes e proteínas. Esse suplemento pode melhorar o metabolismo das gordura e da glicose, reduzindo a gordura acumulada no fígado e no corpo, além de proteger o coração. Essa alga está disponível em forma de pó ou em cápsula.

Como tomar: a dose recomendada de spirulina varia entre 1 a 8 gramas por dia (1000 mg a 8000 mg por dia), dependendo do objetivo do uso.

Remédios caseiros para emagrecer

Remédios para emagrecer: de farmácia e naturais

Os remédios caseiros para emagrecer são opções mais fáceis e seguras para serem utilizadas para ajuda na dieta, especialmente de quem sofre com obesidade. Dentre os principais, estão:

1. Água de berinjela

A berinjela é um vegetal que possui poucas calorias e é rica em fibras, o que ajuda a aumentar a sensação de saciedade, regular o funcionamento do intestino e diminuir o colesterol.

Como preparar: cortar 1 berinjela em cubos e deixar de molho em 1 litro de água durante a noite. Pela manhã, deve-se bater tudo no liquidificador consumir ao longo do dia, sem adicionar açúcar.

2. Água de gengibre

A água de gengibre possui propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e compostos bioativos que ajudam a inibir o aumento do peso, favorecer a eliminação das gorduras através das fezes e melhorar a digestão e a metabolização dos nutrientes, além de diminuir a gordura acumulada no fígado e a nível corporal, aumentando o gasto energético. Além disso, também ajuda a combater a retenção de líquidos graças ao seu efeito diurético.

Como preparar: adicionar de 4 a 5 rodelas ou 2 colheres de sopa de raspas de gengibre em 1 litro de água gelada e beber pelo menos 2 copos de 500 mL por dia. Para obter melhores resultados, o gengibre deve ser trocado diariamente.

3. Chá diurético de ervas

Este chá de ervas possui ingredientes como alcachofra, cavalinha, louro e anis, que possuem propriedades diuréticas, ajudando a eliminar o excesso de líquido retido no organismo, melhorando a digestão e o colesterol.

Como preparar: para preparar este chá, deve-se adicionar 10 g de alcachofra, cavalinha, sabugueiro, louro e anis, em 1 litro de água fervente. Desligar o fogo e abafar a panela, deixando descansar por 5 minutos. Beber o chá ao longo do dia e seguir o tratamento durante 2 semanas.

4. Água de limão

A água de limão é uma excelente ferramenta para ajudar a emagrecer, pois contém poucas calorias e é fonte de fibras, ajudando a aumentar a saciedade e a controlar a fome. Além disso, também é uma bebida diurética, o que faz com que o corpo elimine o líquido acumulado no corpo, ajudando a desinchar.

Como preparar: colocar 1 limão cortado em rodelas em uma garrafa com água e beber 1 litro durante o dia.

5. Chá de hibisco

O hibisco é uma planta rica em polifenóis e flavonoides que ajudam a diminuir a absorção de gorduras no intestino e a queimar a gordura acumulada no organismo. Além disso, também pode ajudar a regular o apetite, já que, de acordo com alguns estudos científicos, o consumo desse chá está relacionado com a grelina e a leptina, que são hormônios responsáveis pela regulação do apetite.

Como preparar: acrescentar 1 colheres de sopa de hibisco secas em 300 mL de água fervendo. Deixar descansar por 3 a 5 minutos, coar e beber. Para baixar de peso, deve ser tomada 2 xícaras desse chá por dia: uma xícara após o almoço e outra após o jantar, durante 12 semanas obter os resultados.

Como emagrecer sem remédio

Para baixar de peso sem medicamentos, deve-se aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras, pois ajudam a aumentar a saciedade e evitar a fome, assim como a controlar o índice glicêmico dos alimentos. O índice glicêmico é a velocidade com que o açúcar ou carboidratos presentes do alimento chegam ao sangue. Saiba mais sobre o índice glicêmico dos alimentos.

O consumo de alimentos com baixo índice glicêmico, que é abaixo de 55, ajuda a aumentar a sensação de saciedade e a reduzir o tamanho das porções consumidas, favorecendo a perda de peso. Alguns alimentos que possuem baixo índice glicêmico são: lentilha, feijão, ameixa, maçã, pêra, leite desnatado, iogurte, morango e frutos secos como amendoim, castanha e amêndoas.

Veja mais detalhes sobre como emagrecer sem precisar de remédios

Esta informação foi útil?
Atualizado por Equipe Tua Saúde - em Novembro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Novembro de 2021.

Bibliografia

  • AGENCIA ESPAÑOLA DE MEDICAMENTOS Y PRODUCTOS SANITARIOS. MYSIMBA 8 MG/90 MG. Disponível em: <https://cima.aemps.es/cima/dochtml/ft/114988001/FT_114988001.html>. Acesso em 06 Out 2021
  • EXAMINE.COM. Artichoke Extract. Disponível em: <https://examine.com/supplements/artichoke-extract/research/#interactions-with-organ-systems\_liver>. Acesso em 13 Ago 2021
  • CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO. PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS. 2019. Disponível em: <http://www.crfsp.org.br/images/cartilhas/PlantasMedicinais.pdf>. Acesso em 13 Ago 2021
  • RONDANELLI, Mariangela et al. Health-promoting properties of artichoke in preventing cardiovascular disease by its lipidic and glycemic-reducing action. Monaldi Archives for Chest Disease. Vol.80. 1.ed; 17-26, 2013
  • SANTOS, O, Heitor et al. The effect of artichoke on lipid profile: A review of possible mechanisms of action. Pharmacological Research. Vol.137. 170-178, 2018
  • OLIVEIRA, L, Claudia; MENDES, A, Jaqueline; FERREIRA, R, O, S, Paula. Aspectos nutricionais e curativos do limão. Revista Conexão Eletrônica - Ciências biomédicas e ciências da saúde. Vol. 16. 1.ed; 2019
  • KIM, Mi J. et al. Lemon detox diet reduced body fat, insulin resistance, and serum hs-CRP level without hematological changes in overweight Korean women. Nutrition Research. Vol 35. 5 ed; 409-420, 2015
  • Jeffery T.D. Richardson M. L. A review of the effectiveness of hibiscus for treatment of metabolic syndrome. J Ethnopharmacol. 270. 113762; 2021
  • IZQUIERDO-VEGA, Jeannett A.; et al. Organic Acids from Roselle ( Hibiscus sabdariffa L.)-A Brief Review of Its Pharmacological Effects. Biomedicines. 8. 100; 1-16, 2020
  • WRIGHT, C. I.; et al. Herbal medicines as diuretics: a review of the scientific evidence. J Ethnopharmacol. 114. 1; 1-31, 2007
  • COSTA Eronita. Nutrição & Fitoterapia. 2º. Brasil: Vozes Ltda, 2011.
  • AJIBOYE Taofeek et al. Antioxidant and drug detoxification potentials of Hibiscus sabdariffa anthocyanin extract. Drug and Chemical Toxicology. 34. 2; 109-115, 2011
  • EXAMINE.COM. Hibiscus sabdariffa. Disponível em: <https://examine.com/supplements/hibiscus-sabdariffa/research/#cardiovascular-health>. Acesso em 11 Fev 2021
  • NAEEM Muhammad et al. Nutritional Content and Health Benefits of Eggplant. Turkish Journal of Agriculture - Food Science and Technology. 7. 31-36, 2019
  • RONDANELLI Mariangela et al. Beneficial effects of artichoke leaf extract supplementation on increasing HDL-cholesterol in subjects with primary mild hypercholesterolaemia: a double-blind, randomized, placebo-controlled trial. International Journal of Food Sciences and Nutrition. 64. 1; 1-9, 2012
  • MUSIAL Claudia; KUBAN-JANKOWSKA Alicja et al. Beneficial Properties of Green Tea Catechins. Nutrients. 21. 1-11, 2020
  • IKBAL Asik; ROY Satarupa et al. Health benefits of green tea: A mini review. Journal of Entomology and Zoology Studies. 8. 1; 1424-1430, 2020
  • WANG, Guo-Wei et al.. Illicium verum: A review on its botany, traditional use, chemistry and pharmacology. Journal of Ethnopharmacology. Vol.136. 10-10, 2011
  • BOOTA Tabinda; REHMAN Rafia et al. Star Anise: A review on benefits, biological activities and potential uses. International Journal of Chemical and Biochemical Sciences. 14. 110-114, 2018
  • AL-QUDAH Tamara; ZAHRA Umber et al. Lemon as a source of functional and medicinal ingredient: A review. International Journal of Chemical and Biochemical Sciences. 14. 55-61, 2018
  • EDWARDS Sarah; DA COSTA Inês et al. Phytopharmacy an Evidence-Based Guide to Herbal Medicinal Products: Spirulina. 1. United Kingdom: WILEY, 2015.
  • BAHJIRI Suhad; ALSHEIKH Lubna et al. Effect of Supplementation With Chitosan on Weight, Cardiometabolic, and Other Risk Indices in Wistar Rats Fed Normal and High-Fat/High-Cholesterol Diets Ad Libitum. Nutrition and metabolic insights. 10. 2017
  • UPTODATE. Benefits and risks of caffeine and caffeinated beverages. Disponível em: <https://www.uptodate.com/contents/benefits-and-risks-of-caffeine-and-caffeinated-beverages?search=green%20tea&source=search_result&selectedTitle=4~36&usage_type=default&display_rank=4>. Acesso em 19 Fev 2020
  • ALGABRI Sumia, DORO Basma et al. Bay Leaves have antimicrobial and antioxidant activities. Journal of Pathogen Research. 1. 3; 1-5, 2018
  • SUDHANSHU Behera et al. Konjac glucomannan, a promising polysaccharide of Amorphophallus konjac K. Koch in health care. International Journal of Biological Macromolecules. 92. 942-956, 2016
  • BARTLOMIEJ M. Zalewski et al. The effect of glucomannan on body weight in overweight or obese children and adults: A systematic review of randomized controlled trials. Nutrition. 31. 437–442, 2015
  • VIEIRA, Nichelle A. Efeito anti-inflamatório do gengibre e possível via de sinalização . Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. Vol.35(1). 149-162, 2014
  • WANG Jing et al. Beneficial effects of ginger Zingiber officinale Roscoe on obesity and metabolic syndrome: a review. Annals of the New York Academy of Sciences. 83-98, 2017
  • EXAMINE.COM. Ginger. Disponível em: <https://examine.com/supplements/ginger/>. Acesso em 11 Out 2019
  • SEUNGHAE Kim et al. Ginger Extract Ameliorates Obesity and Inflammation via Regulating MicroRNA-21/132 Expression and AMPK Activation in White Adipose Tissue. Nutrients. 10. 1-12, 2018
  • Mansoreh Ghaeni et al. Review for Application and Medicine Effects of Spirulina, Spirulina platensis Microalgae. Journal of Advanced Agricultural Technologies. 3. 2; 114-117, 2016
  • EXAMINE.COM. Spirulina. Disponível em: <https://examine.com/supplements/spirulina/>. Acesso em 12 Jun 2019
  • BHARGAVA Amita; TYAGI Garima. An experiment on lemon juice supplementation and weight reduction. Asian Journal of Home Science. 5. 1; 66-69, 2010
  • Kumbhakar S et al. Effect of warm lemon water drink on selected physical parameters among the overweight female nursing students of RIMS & R, U.P. International Journal of Nursing Research and Practice. 3. 1; 9 -12, 2016
  • KHAN, Alam; ZAMAN, Goher; ANDERSON, Richard A. Bay Leaves Improve Glucose and Lipid Profile of People with Type 2. J. Clin. Biochem. Nutr. Vol 44. 52-56, 2009
  • PEREIRA, Lucena C. Caraterização química de folhas e atividade antioxidante de extratos de Laurus sp.. Tese de Mestrado, 2014. Universidade de Coimbra.
  • HERBARIUM. Cavalinha: Equisetum arvense L., Equisetaceae. Disponível em: <http://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/cavalinha.pdf>. Acesso em 02 Abr 2019
  • SANDEEP, Ambore e tal.. A brief overview on chitosan applications. Indo American Journal of Pharmaceutical Research. 3. 12; 1564-1573, 2013
Mais sobre este assunto: