Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Gengivite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão clínica: Cassiano Scapini
Dentista
fevereiro 2023

A gengivite é uma inflamação da gengiva que geralmente acontece devido ao acúmulo de placa bacteriana ou tártaro entre os dentes e a gengiva, levando ao surgimento de sintomas como dor, vermelhidão intensa, inchaço, mau hálito persistente e sangramento da gengiva ao escovar os dentes, ao passar o fio dental ou ingerir alimentos mais duros.

Normalmente, a gengivite acontece com quando não existe uma higiene bucal adequada e os restos de comida permanecem entre os dentes, o que favorece a proliferação de bactérias, a formação de placas e tártaros, provocando a inflamação da gengiva. No entanto, também pode ser causada deficiências de vitaminas, alterações hormonais normais na gravidez ou efeito colateral de medicamentos, por exemplo.

Na maioria dos casos, a gengivite pode ser tratada em casa facilmente por meio do reforço dos hábitos de higiene, no entanto, quando existe muito tártaro, é recomendado que o dentista seja consultado para que a placa bacteriana e o tártaro sejam removidos e, assim, seja possível diminuir a inflamação, evitando complicações como a periodontite. Entenda o que é a periodontite.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de gengivite

Os principais sintomas de gengivite são:

  • Vermelhidão intensa das gengivas;
  • Gengiva inchada;
  • Sangramento na gengiva ao escovar os dentes ou ao passar o fio dental;
  • Dor e sangramento da gengiva ao mastigar alimentos mais duros;
  • Aumento da sensibilidade à alimentos muito quentes ou frios;
  • Sangramento espontâneo da gengiva, nos casos mais graves;
  • Dentes que parecem mais longos do que realmente são porque a gengiva fica retraída;
  • Mau hálito persistente, que não desaparece mesmo após a higiene bucal;
  • Gosto ruim na boca.

Além disso, a gengivite quando não tratada pode evoluir para a periodontite, que é a infecção dos tecidos que sustentam o dente, como o ligamento periodontal ou o osso alveolar, por exemplo, provocando sua destruição e perda óssea, e formação de um abscesso periodontal, que é uma bolha cheia de pus, podendo levar ao amolecimento dos dentes ou até sua perda.

Por isso, é importante que o dentista seja consultado para que possa ser feita uma avaliação e inciado o tratamento mais adequado para prevenir complicações.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da gengivite é feito pelo dentista ao observar a gengiva e os dentes, podendo ser observado a presença de placas bacterianas ou tártaro, inchaço e vermelhidão das gengivas, além de ao tocar as gengivas com instrumentos, poder ser observado sangramento fácil.

Além disso, o dentista deve avaliar o histórico de saúde, hábitos de vida e uso de remédios que podem estar levando ao surgimento dos sintomas.

Geralmente, não são necessários exames para confirmar o diagnóstico da gengivite, no entanto, caso do dentista suspeite de periodontite, pode ser solicitado um raio X panorâmico, de forma a avaliar a perda óssea na região afetada. Saiba como é feito o raio X panorâmico

Possíveis causas

A gengivite é causada pela proliferação de bactérias encontradas naturalmente na boca, que levam ao desenvolvimento de placas bacterianas ou tártaro no sulco gengival, entre a gengiva e os dentes, resultando em uma inflamação na gengiva, e surgimento dos sintomas.

Os principais fatores que podem contribuir para o surgimento da gengivite são:

  • Má higiene oral;
  • Hábito de fumar;
  • Mascar tabaco;
  • Boca seca ou xerostomia;
  • Dentes desalinhados, com maior dificuldade para escovação eficaz;
  • Uso de aparelhos ortodônticos fixos, pois pode ser mais difícil haver escovação correta;
  • Restaurações ou coroas mal adaptadas;
  • Diabetes não controlada;
  • Gravidez, por causa de alterações hormonais normais;
  • Menopausa;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Uso de remédios, como fenitoína, anticoagulantes ou bloqueadores dos canais de cálcio;
  • Deficiências nutricionais, especialmente de vitamina C;
  • Alimentação rica em açúcar;
  • Dificuldade para escovar os dentes devido a alterações motoras como acontece no Parkinson;
  • Consumo excessivo e frequente de bebidas alcoólicas;
  • Imunidade enfraquecida, devido a infecção pelo HIV;
  • Histórico familiar de doenças gengivais.

Além disso, pessoas em tratamento com radioterapia para câncer de cabeça e pescoço, como câncer de boca, laringe ou faringe, por exemplo, ou tratamento com quimioterapia, têm maior risco de desenvolver a gengivite.

Como é feito o tratamento

O tratamento da gengivite deve ser feito com orientação do dentista, como o objetivo de reduzir a inflamação e evitar o desenvolvimento de complicações, como a periodontite.

Assim, o tratamento da gengivite é feito pelo dentista através da limpeza dos dentes, removendo completamente toda placa bacteriana e tártaro acumulado entre os dentes e a gengiva. O dentista também irá verificar se algum dente está cariado ou necessita de algum outro tratamento.

Além disso, o dentista deve recomendar a escovação correta dos dentes, cerca de 30 minutos após as refeições, com uma escova de dentes macia ou elétrica, e uma pasta de dentes com flúor que tem propriedades antibacterianas. Veja como escovar os dentes corretamente.

Outra recomendação importante é usar o fio dental diariamente, pois permite remover a comida acumulada entre os dentes, evitando a formação de placas bacterianas e tártaro.

Além disso, nos casos mais avançados de gengivite, o dentista pode recomendar o uso de antibióticos, na forma de comprimidos por cerca de 5 dias, e usar enxaguantes bucais antissépticos, para eliminar mais rapidamente as bactérias e permitir que a gengiva cicatrize.

Opções de remédios caseiros para gengivite

Alguns remédios caseiros para gengivite, como o chá de cravo da índia ou a solução de água oxigenada, podem ajudar a reduzir a inflamação, a dor ou o desconforto da gengivite, aliviando os sintomas até que o dentista seja consultado. Saiba como preparar os remédios caseiros para gengivite.

No entanto, é importante ressaltar que remédios caseiros podem ajudar a aliviar os sintomas inicialmente, mas não substituem a escovagem correta dos dentes nem a remoção da placa bacteriana ou tártaro realizadas pelo dentista.

Confira mais detalhes sobre o tratamento da gengivite no vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em fevereiro de 2023. Revisão clínica por Cassiano Scapini - Dentista, em abril de 2019.

Bibliografia

  • TROMBELLI, L.; FARINA, R. A review of factors influencing the incidence and severity of plaque-induced gingivitis. Minerva Stomatol. 62. 6; 207-34, 2013
  • PAWLACZYK-KAMIENSKA, T.; et al. The relationship between oral hygiene level and gingivitis in children. Adv Clin Exp Med. 27. 10; 1397-1401, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • HOLMSTRUP, P.; et al. Non-plaque-induced gingival diseases. J Clin Periodontol. 45. Suppl 20; S28-S43, 2018
  • RATHEE, M.; JAIN, P. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Gingivitis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557422/>. Acesso em 03 fev 2023
  • TROMBELLI, L.; et al. Plaque-induced gingivitis: Case definition and diagnostic considerations. J Periodontol. 89. 1; S46-S73, 2018
  • STEFFENS, João Paulo; MARCANTONIO, Rosemary Adriana C. Classificação das Doenças e Condições Periodontais e Peri‑implantares 2018: guia Prático e Pontos-Chave. Rev Odontol UNESP. Vol 47. 4 ed; 189-197, 2018
Revisão clínica:
Cassiano Scapini
Dentista
Cassiano Scapini, é dentista licenciado em odontologia pela universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1988, inscrito na Ordem do Médicos Dentistas

Tuasaude no Youtube

  • Como tratar gengivite e mau hálito

    07:48 | 150761 visualizações