Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Vacinas na gravidez: Quais tomar e quais não pode

Algumas vacinas podem ser administradas durante a gravidez sem que haja riscos para a mãe ou para o bebê e garantindo proteção contra doenças. Outras, só são indicadas em situações especiais, ou seja, no caso de haver surto da doença na cidade em que a mulher vive, por exemplo.

Algumas vacinas são fabricadas com o vírus atenuado, ou seja, que possui função diminuída e, por isso, não são recomendadas durante a gravidez, já que podem colocar em risco a vida da gestante e do bebê. Por isso, antes de ser vacinada, a grávida deve consultar o obstetra para avaliar se pode tomar a vacina sem risco.

Vacinas na gravidez: Quais tomar e quais não pode

Vacinas indicadas na gravidez

Algumas vacinas podem ser tomadas durante a gravidez sem que haja risco de complicações para a mãe ou para o bebê. Uma das vacinas é a da gripe, que é muito importante que as grávidas a tomem, pois são consideradas grupo de risco para as complicações do vírus. Por isso, é recomendado que as gestantes tomem a vacina no período em que são divulgadas as campanhas de vacinação, que normalmente acontecem na época do ano em que são registrados mais casos de gripe.

Além da vacina da gripe, é importante a mulher tomar a vacina dTpa, que é a tríplice bacteriana, que protege contra a difteria, tétano e coqueluche, ou a dT, que confere proteção contra difteria e tétano. Essa vacina é importante porque além de proteger a gestante, os anticorpos produzidos são passados para o feto, garantindo proteção para o bebê nos primeiros meses de vida até que possa ser vacinado. A quantidade de doses a ser administrada depende do histórico de vacinação da mulher, no caso de não ter sido vacinada, é recomendada a administração de 2 doses a partir da 20ª semana de gestação com intervalo de 1 mês entre as doses.

A vacina contra hepatite B também é recomendada para as gestantes que apresentam risco de infecção pelo vírus responsável pela doença, sendo recomendada a administração de três doses.

Caso a mulher não tenha sido vacinada durante a gestação, é importante que ela receba a vacina logo após o nascimento do bebê, para diminuir o risco de infecções.

Outras vacinas

Algumas outras vacinas indicadas no calendário de vacinação podem ser administrada apenas em situações especiais, ou seja, caso tenha sido relatada ocorrência de doença na família ou na cidade em que vive, por exemplo, sendo recomendada a imunização para proteger tanto a mãe quanto o bebê. Dentre essas vacinas estão:

  • Vacina da febre amarela, que normalmente é contraindicada na gravidez, no entanto pode ser administrada caso o risco de infecção seja superior à possibilidade de acontecer consequências relacionadas à vacina;
  • Vacina contra a meningite, que só é recomendada em caso de surtos da doença;
  • Vacina pneumocócica, que só é indicada para gestantes que encontram-se em risco;
  • Vacina contra Hepatite A e B, sendo as doses de acordo com a idade da mulher.

Devido ao fato dessas vacinas só poderem ser administradas em determinadas situações, não encontram-se disponíveis pelo Sistema Único de Saúde, devendo a mulher procurar uma clínica privada de vacinação para que seja imunizada.

Vacinas contraindicadas na gestação

Algumas vacinas não são recomendadas durante a gestação pois essas vacinas são feitas com o agente infeccioso atenuado, ou seja, com a sua capacidade de infecção reduzida, de modo que apenas o sistema imune reage e produz anticorpos contra esse vírus. No entanto, devido ao risco de transmissão para o bebê, é recomendado que essas vacinas não sejam administradas para evitar complicações.

As vacinas contraindicadas são:

  • Tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Vacina contra o HPV;
  • Vacina contra a catapora/ varicela;
  • Vacina contra a dengue.

Como essas vacinas não podem ser administradas durante a gestação, a recomendação é que a mulher mantenha sempre as vacinas atualizadas.

Apesar dessas vacinas não serem indicadas durante a gravidez, pode ser administrada após o nascimento do bebê e durante a amamentação, já que não há risco de transmissão para o bebê por meio do leite, com exceção da vacina contra a dengue, que continua sendo contraindicada pelo fato de ainda ser recente e serem necessários outros estudos relacionados aos seus efeitos e relação com a gravidez.


Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÃO. Calendário de Vacinação: Gestantes - Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2019/2020. 2019. Link: <sbim.org.br>. Acesso em 12 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem