Vacinas para gestante: quais tomar e quais evitar

dezembro 2021
  1. Vacinas recomendadas
  2. Situações especiais
  3. Vacinas contraindicadas

Existem algumas vacinas que são recomendadas durante a gestação, pois protegem a grávida de infecções que podem colocar a sua vida em risco, mas também prejudicar o desenvolvimento do bebê. Além disso, as vacinas recomendadas também permitem transmitir anticorpos para o bebê, que nasce já com proteção natural contra essas infecções.

Além disso, existem ainda algumas vacinas que podem ser indicadas em situações especiais, principalmente quando existe o surto de alguma doença na região em que a grávida vive, e que devem ser indicadas individualmente pelo obstetra.

No entanto, nem todas as vacinas são seguras durante a gravidez e, por isso, existem algumas que estão contraindicadas, como é o caso da vacina do HPV ou da dengue, por exemplo.

Vacinas recomendadas na gravidez

As vacinas que estão recomendadas para todas as gestantes durante a gravidez, e que são distribuídas gratuitamente, são:

Tríplice bacteriana (dTpa)

A vacina tríplice bacteriana, conhecida como dTpa ou dTpa-VIP, protege contra difteria, tétano e coqueluche, e deve ser administrada nos seguintes casos:

  • Grávida previamente vacinada com 3 doses do componente antitetânico: 1 dose a partir das 20 semanas de gestação;
  • Grávida com vacinação incompleta, com 1 dose do componente antitetânico: 1 dose após as 20 semanas de gravidez. Nestes casos, deve também ser administrada uma dose da vacina dT, com intervalo mínimo de 1 mês entre as vacinas;
  • Grávida com vacinação incompleta, com 2 doses do componente antitetânico: 1 dose a partir das 20 semanas de gestação;
  • Grávida não vacinada: 1 dose após a 20ª semana de gravidez. Nestes casos, devem ser ainda administradas 2 doses da vacina dT, com um intervalo mínimo de 1 mês entre as vacinas.

Mulheres que não foram vacinadas durante a gravidez devem receber esta vacina logo após o parto, o mais cedo possível.

Dupla adulto (dT):

A vacina dupla adulto, conhecida como dT, protege contra a infecção por tétano e difteria, estando indicada para:

  • Grávida com vacinação incompleta, com 1 dose do componente antitetânico: deve ser administrada 1 dose da vacina, com pelo menos 1 mês de intervalo em relação à vacina dTpa;
  • Grávida não vacinada: devem ser administradas 2 doses da vacina, com pelo menos 1 mês de intervalo em relação à vacina dTpa.

No caso de a gestante não ter sido vacinada durante a gravidez, deve fazer a vacinação o mais rápido possível no período após o parto.

Influenza (gripe)

A vacina contra a influenza é uma vacina anual que deve ser administrada em dose única em pessoas com risco aumentado para complicações, como acontece na gravidez. Dessa forma, a gestante deve fazer a vacinação contra a gripe nos meses em que existe maior risco de pegar gripe.

Hepatite B

A vacina da hepatite B deve ser administrada em todas a grávidas que não fizeram vacinação contra a infecção anteriormente e que têm maior risco de pegar a doença. Geralmente, a vacina é administrada em 3 doses: no início da gravidez, 1 mês após a 1ª dose e 6 meses após a 2ª dose.

Vacinas recomendadas em situações especiais

Além das vacinas que são recomendadas para todas as gestantes, existem ainda algumas vacinas que são recomendadas apenas em situações especiais. Isto é, que podem ser indicadas pelo obstetra quando existe surto da doença na região onde a grávida vive ou quando a mulher apresenta fatores de risco para uma das seguintes infecções:

  • Hepatite A;
  • Pneumonia;
  • Meningite;
  • Febre amarela.

As vacinas contra estas infecções devem ser sempre recomendadas pelo obstetra que está fazendo o pré-natal. Além disso, apenas a vacina da febre amarela é administrada de forma gratuita nos postos de vacinação.

Vacinas contraindicadas na gestação

Algumas vacinas não são recomendadas durante a gestação pois essas vacinas são feitas com o agente infeccioso atenuado, ou seja, com a sua capacidade de infecção reduzida, de modo que apenas o sistema imune reage e produz anticorpos contra esse vírus. No entanto, devido ao risco de transmissão para o bebê, é recomendado que essas vacinas não sejam administradas para evitar complicações.

As vacinas contraindicadas são:

  • Tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Vacina contra o HPV;
  • Vacina contra a catapora/ varicela;
  • Vacina contra a dengue.

Como essas vacinas não podem ser administradas durante a gestação, a recomendação é que a mulher mantenha sempre as vacinas atualizadas.

Apesar dessas vacinas não serem indicadas durante a gravidez, podem ser administradas após o nascimento do bebê e durante a amamentação, já que não há risco de transmissão para o bebê por meio do leite, com exceção da vacina contra a dengue.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em dezembro de 2021. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÃO. Calendário de Vacinação: Gestantes - Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2019/2020. 2019. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-gestante.pdf>. Acesso em 12 set 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÃO. Calendário de Vacinação: Gestantes - Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2021/2022. 2021. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-gestante.pdf>. Acesso em 28 dez 2021
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.