Vacina da dengue: quem pode tomar e efeitos colaterais

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
maio 2022

A vacina da dengue, também conhecida como Dengvaxia, é indicada para a prevenção da dengue em crianças, adolescentes ou adultos, dos 9 aos 45 anos, que já tenham sido infectados por pelo menos um dos sorotipos da dengue e que moram em áreas em que essa infecção é mais comum.

A vacina atualmente utilizada não está disponível pelo SUS, sendo apenas encontradas em clínicas privadas de imunização. No entanto, uma nova vacina da dengue está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan para ser disponibilizada pelo SUS e aplicada em pessoas que já foram infectadas por um dos quatro subtipos da dengue ou em pessoas que nunca tiveram a doença.

A vacina da dengue age prevenindo a dengue causada pelos sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus, estimulando as defesas naturais do corpo e levando à produção de anticorpos contra esse vírus. Assim, quando a pessoa entra em contato com o vírus da dengue, o corpo reage mais rapidamente para combater a doença.

Quem pode tomar

A vacina da dengue (Dengvaxia) é recomendada somente para pessoas dos 9 aos 45 anos, que já tiveram dengue ou que vivem em áreas onde são frequentes as epidemias dessa doença. Isto porque pessoas que nunca estiveram expostas ao vírus da dengue, podem ter maior risco de agravamento da doença, havendo necessidade de internamento hospitalar.

A vacina da dengue (Dengvaxia) possui os sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue enfraquecidos, que quando aplicados estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos para combater a doença de forma mais rápida. 

Como tomar

A vacina da dengue (Dengvaxia), é administrada por via subcutânea, ou seja, sobre a pele do braço, para crianças a partir dos 9 anos e adultos até 45 anos, que já tenham sido infectados por um dos tipos de vírus da dengue.

A vacina da dengue deve ser feita em 3 doses, sendo o esquema recomendado:

  • 1ª dose: na data escolhida pelo médico;
  • 2ª dose: 6 meses após a primeira dose;
  • 3ª dose: 6 meses após a segunda dose.

Esta vacina deve ser preparada e administrada por um médico, enfermeiro ou profissional de saúde especializado. 

Possíveis efeitos colaterais 

Alguns dos efeitos colaterais da vacina contra a dengue, Dengvaxia, são dor de cabeça, dor no corpo, mal-estar, fraqueza, febre e reação de alergia no local de injeção, como  vermelhidão, coceira e inchaço e dor. 

A vacina da dengue também pode causar alergia grave com sintomas que podem iniciar imediatamente após a injeção, como dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, ou urticária. Por isso, essa vacina deve ser aplicada por um profissional de saúde para que se possa prestar os primeiros socorros imediatamente.

Além disso, pessoas que nunca tiveram dengue e que residem em locais onde a doença não é tão frequente, como a região sul do Brasil, ao serem vacinadas podem ter reações mais graves e terem que ser internadas para o tratamento no hospital. Assim, tem sido recomendado que a vacina seja aplicada apenas em pessoas que já tiveram dengue anteriormente, ou que residam em locais onde a incidência da doença é alta como região norte, nordeste e sudeste.

Quem não deve tomar

A vacina da dengue (Dengvaxia) não deve ser usada por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, crianças com menos de 9 anos de idade, adultos com mais de 45 anos ou pessoas que tenham alergia a qualquer um dos componentes da vacina, além de também não ser recomendada para pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue.

Além disso, pessoas com febre ou sintomas de doença, deficiência imunológica congênita ou adquirida, como leucemia ou linfoma, infecção pelo HIV ou que estejam recebendo terapias imunossupressoras ou tratamento para o câncer.

Além desta vacina, existem outras medidas importantes para prevenir a dengue, saiba como assistindo ao vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em maio de 2022. Revisão clínica por Flávia Costa - Farmacêutica, em maio de 2022.

Bibliografia

  • CDC - CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Dengue Vaccine: Recommendations of the Advisory Committee on Immunization Practices, United States, 2021. 2021. Disponível em: <https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/rr/rr7006a1.htm>. Acesso em 01 fev 2022
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Vacina dengue. Disponível em: <https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-dengue>. Acesso em 04 mai 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de Vacinação SBIm Criança - Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2020/2021. 2020. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf>. Acesso em 12 jun 2020
  • AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA) ATUALIZA A BULA DA VACINA CONTRA A DENGUE. Sanofi Pasteur. 2019. Disponível em: <https://www.sbmt.org.br/portal/wp-content/uploads/2019/03/PDF-1.pdf>. Acesso em 04 mai 2022
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.

Tuasaude no Youtube

  • PARA A DENGUE NÃO TE PEGAR

    02:51 | 34530 visualizações