Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quando a criança deve ser vacinada depois dos 4 anos?

A partir dos 4 anos de idade, a criança precisa tomar as doses de reforço de algumas vacinas, como por exemplo a da poliomielite e a que protege contra difteria, tétano e coqueluche, conhecida como DTP. É importante que os pais fiquem atentos ao calendário de vacinação e mantenha as vacinas das crianças em dia para, assim, evitar doenças que podem trazer consequências graves para a saúde e até mesmo prejudicar o desenvolvimento físico e mental das crianças.

É recomendado que a partir dos 6 meses de idade seja feita a administração anual da vacina contra a gripe, também conhecida como vacina contra Influenza. É indicado que quando administrada pela primeira vez em crianças com menos de 9 anos, seja feita duas doses com intervalo de 30 dias.

Quando a criança deve ser vacinada depois dos 4 anos?

Calendário de vacinação entre os 4 e 19 anos

O calendário de vacinação da criança foi atualizado em 2020 pelo Ministério da Saúde, determinando as vacinas e os reforços que devem ser tomadas em cada idade, como mostrado a seguir:

4 anos

  • Reforço da vacina Tríplice Bacteriana (DTP), que protege contra difteria, tétano e coqueluche: as três primeiras doses da vacina devem ser feitas nos primeiros meses de vida, sendo a vacina reforçada entre os 15 e os 18 meses, e depois entre os 4 e 5 anos de idade. Essa vacina se encontra disponível nas Unidades Básicas de Saúde ou em clínicas particulares, sendo conhecida como DTPa. Saiba mais sobre a vacina DTPa.
  • Reforço da poliomielite: é administrada na forma oral a partir dos 15 meses e o segundo reforço deve ser feito entre os 4 e 5 anos. As três primeiras doses da vacina devem ser feitas nos primeiros meses de vida na forma de injeção, sendo conhecida como VIP. Saiba mais sobre a vacina contra a poliomielite.

5 anos

  • Reforço da vacina Meningocócica conjugada (MenACWY), que protege contra outros tipos de meningite: está disponível apenas em clínicas privadas e as primeiras doses da vacina devem ser administradas aos 3 e 5 meses. Já o reforço deve ser feito entre os entre os 12 e 15 meses e, depois, entre os 5 e 6 anos.

Além do reforço da vacina contra a meningite, se a criança não tiver feito o reforço da DTP ou da poliomielite, é recomendado que faça.

9 anos

  • Vacina HPV (meninas), que protege contra a infecção pelo Papiloma Vírus Humano, que além de ser responsável pelo HPV, previne o câncer do colo de útero em meninas: deve ser administrada em 3 doses no esquema 0-2-6 meses, em meninas. 

A vacina contra o HPV pode ser administrada em pessoas entre 9 e 45 anos, sendo normalmente recomendado que as pessoas até os 15 anos tomem apenas 2 doses da vacina seguindo o esquema 0-6, ou seja, a segunda dose deve ser administrada após 6 meses da administração da primeira. Saiba mais sobre a vacina para o HPV.

A vacina contra a dengue também pode ser administrada a partir dos 9 anos, no entanto só é recomendada para crianças soropositivas em três doses.

10 aos 19 anos

  • Vacina meningocócica C (conjugada), que previne a meningite C: é feita uma dose única ou um reforço, dependendo da situação vacinal da criança;
  • Vacina HPV (em meninos): deve ser realizada entre os 11 e 14 anos;
  • Vacina da Hepatite B: devem ser feita em 3 doses, se a criança ainda não for vacinada;
  • Vacina da febre amarela: deve ser feita1 dose da vacina, se a criança ainda não for vacinada;
  • Dupla Adulto (dT), que previne difteria e tétano: deve ser feito reforço a cada 10 anos;
  • Tríplice viral, que previne sarampo, caxumba e rubéola: devem ser feitas 2 doses, se a criança ainda não for vacinada;
  • Reforço da vacina DTPa: para crianças que não fizeram o reforço aos 9 anos.

Assista o vídeo seguinte e entenda a importância da vacinação para a saúde:

Quando ir ao médico após a vacinação

Após tomar vacinas, é importante ficar atento para sinais de reação à vacina, como manchas vermelhas e irritação na pele, febre superior 39ºC, convulsões, tosse e dificuldade para respirar, no entanto as reações adversas relacionadas à vacina são pouco frequentes.

No entanto, quando aparecem, costumam surgir cerca de 2h após a administração da vacina, sendo necessário ir ao médico caso os sinais de reação à vacina não passem após 1 semana. Veja como aliviar os possíveis efeitos adversos das vacinas.

Bibliografia >

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÃO. Calendário de Vacinação: Criança - Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2019/2020. 2019. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf>. Acesso em 02 Jun 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem