Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar a trombose e o que fazer para evitar

A trombose é caracterizada pela formação de coágulos de sangue no interior de veias ou artérias, impedindo a circulação sanguínea normal, causando dor e inchaço nas pernas ou braço, por exemplo. Geralmente, a trombose acontece em pessoas que têm varizes, que ficam muito tempo sentado ou deitado, como numa viagem de avião, pela toma de hormônios, durante a gravidez ou como consequência de cirurgia. Saiba identificar corretamente os sintomas de trombose.

A trombose pode ser superficial ou profunda, como a trombose venosa profunda. Entretanto, em qualquer dos casos o tratamento com medicação deve ser urgente, porque o coágulo de sangue pode fluir através da corrente sanguínea alojando-se em órgãos como os pulmões, gerando uma embolia pulmonar, ou no cérebro, gerando uma trombose cerebral, por exemplo, situações graves que podem até levar à morte. 

Como identificar a trombose e o que fazer para evitar

Sintomas de cada tipo de trombose

Existem alguns tipos de trombose, a depender do local onde os vasos ficam obstruídos, e os principais tipo s e sintomas que causam são:

  • Trombose nas pernas: inchaço, vermelhidão e calor no local afetado que pioram com o tempo, geralmente com dor ou sensação de peso, e a pele pode ficar enrijecida. Apesar da trombose nas pernas ser mais comum, já que é onde o sangue pode percorrer mais lentamente, ela também pode surgir em qualquer outro local, como braços ou mãos, por exemplo.
  • Embolia pulmonar: falta de ar, tosse e cansaço, que podem piorar e causar intensa dificuldade para respirar;
  • Trombose cerebral: sintomas de AVC, como formigamento ou paralisia num lado do corpo, boca torta, dificuldade para falar ou alterações na visão, por exemplo. Entenda como a trombose cerebral acontece e como tratar.

Entretanto, em alguns casos, dependendo do tamanho do coágulo sanguíneo e do vaso sanguíneo onde ele está alojado, ele pode não gerar nenhum sintoma. Além disso, existe a tromboflebite, que é o fechamento parcial de uma veia superficial, causando inchaço e vermelhidão localizados veia afetada, que causa muita dor à palpação.

Na presença de sinais e sintomas que indiquem trombose, deve-se procurar imediatamente o serviço de urgência médica, para que o médico faça avaliação clínica e, se necessário, solicitar exames como ultrassom ou tomografia. Isto, pois é necessário iniciar um rápido tratamento com remédios anticoagulantes, como a Heparina, por exemplo.

Cura e como é feito o tratamento

A trombose tem cura, e seu tratamento possui dois objetivos fundamentais, que são impedir o crescimento dos coágulos e impedir que os coágulos existentes se soltem. Estes objetivos podem ser alcançados através do uso de medicamentos anticoagulantes, como a Heparina e a Varfarina, sob orientação do cirurgião vascular ou do cardiologista.

Em alguns casos, é necessário ficar internado para ajuste das doses das medicações e realização de exames mais rapidamente. Após o período inicial, será recomendado ter alguns cuidados, como evitar ficar sentado com as pernas para baixo e usar sempre meias de compressão elástica, como as meias Kendal, por exemplo.

Confira mais detalhes sobre as opções de tratamento para trombose.

O que fazer para evitar a trombose

A prevenção da trombose pode ser feita através de uma alimentação saudável, boa hidratação e prática regular de exercícios físicos, o que melhor aa ciruculação sanguínea, diminui processos inflamatórios e evita acúmulo de placas de gordura nos vasos de sangue.

Em casos de cirurgia, é importante que o médico indica, quando indicado, medicamentos para prevenir a trombose, como a heparina profilática. Além disso a realização de fisioterapia poderá ajudar a manter-se ativo neste período, mesmo ao ter que se manter deitado, com movimentação dos pés mesmo, por exemplo. Este tipo de movimento é importante para melhorar a circulação sanguínea, já que a estase venosa favorece a formação de trombos.

Em pessoas que têm varizes, problemas circulatórios ou permanecer por muito tempo sentado ou em pé, no trabalho, é recomendado usar as meias elásticas de média compressão. Além disso, em situações de permanecer parado por muito tempo, como pessoas acamadas, que ficam muito tempo sentada ou durante uma viagem, por exemplo, é orientado movimentar-se em períodos regulares. 

Quem tem mais risco

Alguns fatores de risco para o desenvolvimento da trombose são:

  • Histórico familiar;
  • Obesidade;
  • Gravidez e parto;
  • Distúrbios sanguíneos, como trombofilia. Entenda mais sobre esta condição que aumenta o risco de trombose;
  • Lesões ou cirurgias nas pernas ou nos pés;
  • Uso de medicamentos que interferem na coagulação;
  • Período de descanso muito prolongado, seja deitado ou sentado;
  • Idade, o risco aumenta para o dobro por cada acréscimo de 10 anos a partir dos 20 anos de idade.

Quanto mais fatores de risco o indivíduo apresentar, maior será probabilidade dele desenvolver uma trombose.

Como identificar a trombose e o que fazer para evitar
Como identificar a trombose e o que fazer para evitar

Trombose na gravidez

O risco de trombose aumenta muito na gravidez porque a capacidade de coagulação do sangue aumenta, principalmente no final da gestação, como forma natural de sobreviver ao parto. Se a gestante observar os sintomas da trombose, ela deverá imediatamente ir ao hospital para que o tratamento seja iniciado, pois esta é uma situação grave.

O tratamento da trombose na gravidez pode ser feito com a Heparina injetável, pois a Varfarina é contraindicada na gravidez por ser prejudicial ao bebê. É importante informar que quando uma mulher sofre um episódio de trombose na gravidez, ela deverá continuar o tratamento até 3 ou 6 meses após o nascimento do bebê. Além disso, ela tem maiores risco de desenvolver outros quadros de trombose na vida e, por isso, deverá prevenir-se. Confira mais sobre como identificar e tratar a trombose na gravidez

Mais sobre este assunto:


Carregando
...