Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Angioplastia: o que é, como é feita e quando é indicada

A angioplastia é uma cirurgia que permite abrir uma artéria muito estreita ou que ficou bloqueada pelo acúmulo de colesterol, permitindo abrir a artéria e normalizar o fluxo sanguíneo para o coração, cérebro ou pulmões. Esta cirurgia normalmente é indicada para o tratamento da angina ou do infarto, chamada de angioplastia coronária, e é feita no hospital por um cardiologista, utilizando um tubo fino inserido em uma artéria na virilha ou no braço, alcançando a artéria afetada ao redor do coração, permitindo remover a placa de gordura que causou seu entupimento da artéria. 

Outros tipos de angioplastia são a angioplastia carotídea, a angioplastia cerebral e a angioplastia pulmonar realizadas na artéria carótida localizada no pescoço, responsável por transportar oxigênio para o cérebro, em vasos sanguíneos no cérebro ou na artéria jugular no pescoço para alcançar as artérias dos pulmões, sendo indicadas para prevenção ou tratamento de derrame cerebral ou tratamento da hipertensão pulmonar. 

Em alguns casos, durante a angioplastia pode ser necessário o uso de um stent, um dispositivo metal ou polímero que ajuda a manter a artéria aberta, restaurando o fluxo sanguíneo para o coração ou cérebro e evitando que a artéria se feche novamente. Saiba mais sobre o stent e os principais tipos.

Angioplastia: o que é, como é feita e quando é indicada

Principais indicações

A angioplastia é indicada para o tratamento do acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos do coração, do pescoço ou do cérebro que podem causar a obstrução desses vasos, impedindo que o sangue circule de forma adequada. 

Assim, as principais indicações da angioplastia incluem:

  • Reduzir a dor no peito ou angina;
  • Melhorar o fluxo de sangue para o coração durante ou após um infarto;
  • Prevenir ou tratar o derrame cerebral;
  • Tratar da hipertensão pulmonar tromboembólica crônica.

Além disso, a angioplastia pode ser indicada pelo médico se a pessoa não apresenta melhora da saúde do coração mesmo com o uso de remédios, mudanças na alimentação e prática de exercícios físicos, pois nesse caso o risco da pessoa ter um infarto é maior e a angioplastia pode abrir rapidamente uma artéria bloqueada, reduzindo os danos ao coração.

Tipos de angioplastia

A angioplastia pode ser feita pelo cirurgião de duas formas diferentes, que incluem:

1. Angioplastia com balão

A angioplastia com balão é feita usando um cateter com um pequeno balão inflável na ponta que é enchido com ar quando está inserido dentro da artéria, limpando a placa de colesterol que está causando o estreitamento ou entupimento do vaso sanguíneo, o que facilita a passagem do sangue para o músculo cardíaco ou para o cérebro.

Esse tipo de angioplastia raramente é feita sozinha, sendo geralmente realizada imediatamente antes da angioplastia com stent

2. Angioplastia com stent

A angioplastia com stent é feita logo após a angioplastia com balão, em que o cirurgião, coloca dentro artéria um stent, uma pequena rede de metal ou polímero, e que funciona como um andaime ou suporte para o vaso sanguíneo, ajudando a prevenir o estreitamento da artéria novamente e mantendo-a sempre aberta para facilitar o fluxo sanguíneo. Saiba mais sobre a angioplastia com stent

Como é feita 

A angioplastia é realizada no hospital por um cirurgião cardíaco, neurologista ou pneumologista que faz um pequeno corte na pele na região da virilha ou no braço, por onde insere um tubo fino dentro de uma artéria até que o mesmo atinja os vasos sanguíneos afetados no coração, no cérebro ou nos pulmões. Geralmente, não é necessária anestesia geral, mas apenas uma anestesia no local em que será feito o corte e, se necessário, pode ser dado um sedativo para a pessoa relaxar durante a angioplastia. 

Após alcançar o vaso sanguíneo afetado, o médico deve encher o balão presente na ponta do catéter para remover a placa de gordura que causou o entupimento e, em seguida, se necessário, é colocado um stent na artéria para mantê-la aberta e garantir que o fluxo sanguíneo normal no coração ou no cérebro seja restaurado. 

Durante todo o processo, o médico observa a inserção e a posição do cateter através do raio-x, utilizando um contraste injetado através do catéter, para saber por onde está passando e para garantir que o balão e o stent são colocados no local correto.

Como é a recuperação

Após a angioplastia, a pessoa deve ficar internada no hospital para diminuir o risco de hemorragia e para que o médico possa avaliar a presença de infecção. No entanto, é possível voltar a casa em menos de 24 horas, sendo apenas recomendado evitar esforços como pegar em objetos pesados, subir escadas nos primeiros 2 dias ou fazer atividades físicas. 

Além disso, após receber alta hospitalar, o recomendado é beber muito líquido, pelo menos 8 copos de água por dia, para ajudar na recuperação e na eliminação do contraste aplicado durante a angioplastia.

O médico também deve indicar o uso de medicamentos como aspirina, que deve ser tomada por tempo indeterminado por todas as pessoas que fizeram angioplastia, além do clopidogrel ou ticagrelor, para pessoas que fizeram angioplastia com stent, para evitar a formação de coágulos.

Outros cuidados importantes para manter os vasos sanguíneos saudáveis após a angioplastia, além de tomar os remédios indicados pelo médico, são não fumar, manter os níveis de colesterol ruim baixos, mudar a alimentação comendo menos gorduras ruins, manter o peso saudável, controlar outras doenças como diabetes ou pressão alta e fazer atividades físicas recomendadas pelo médico.

Possíveis complicações

Embora a angioplastia seja mais segura que uma cirurgia aberta para corrigir a artéria, existem alguns riscos como formação de coágulos, hemorragia ou infecção. Por isso, deve-se sempre procurar ajuda médica o mais rápido possível ou o pronto socorro mais próximo, caso a pessoa apresente sintomas como:

  • Sangramento no local em que foi feito o corte da pele;
  • Dor ou desconforto no local onde o cateter foi inserido;
  • Vermelhidão ou inchaço no local onde o cateter foi inserido;
  • Febre com temperatura axilar superior 37,5ºC;
  • Alteração da temperatura ou da cor da pele onde foi feito o corte;
  • Cansaço excessivo ou fraqueza;
  • Dor no peito ou dificuldade para respirar;
  • Dificuldade para andar ou falar;
  • Dormência em um lado do corpo.

Além disso, em alguns casos, também podem surgir lesões nos rins, pois durante o procedimento é utilizado um tipo de contraste que, em pessoas com histórico de alterações renais, pode causar danos no órgão.

Qual a diferença entre cateterismo e angioplastia?

O cateterismo e a angioplastia são procedimentos feitos da mesma forma, através da colocação de um catéter inserido em uma artéria da perna ou do braço por meio de um pequeno corte feito na pele. 

No entanto, o cateterismo é usado para fazer o diagnóstico de doenças do coração como angina ou infarto, ou do sistema circulatório cerebral como hemorragia, aneurisma ou trombose no cérebro, pois permite examinar o interior dos vasos sanguíneos. Já a angioplastia é um tratamento cirúrgico feito para remover as placas de gordura das artérias e restaurar o fluxo sanguíneo para o coração, o cérebro ou pulmões. Saiba mais sobre o cateterismo e como é feito

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • LEUNG, T. W; et al. Angioplasty and Stenting. Front Neurol Neurosci. 40. 152-163, 2016
  • BYRNE, R. A. 40 years of angioplasty - remembering patients and pioneers. EuroIntervention. 12. 17; 2041-2043, 2017
  • AL-LAMEE, Rasha; DAVIES, Justin; MALIK, Iqbal S. What is the role of coronary angioplasty and stenting in stable angina?. BMJ. 352. i205; 1-7, 2016
  • WILKENS, Heinrike; et al. Chronic thromboembolic pulmonary hypertension (CTEPH): Updated Recommendations from the Cologne Consensus Conference 2018. Int J Cardiol. 272S. 69-78, 2018
  • TANABE, Nobuhiro; et al. Balloon pulmonary angioplasty for chronic thromboembolic pulmonary hypertension: A systematic review. Respir Investig. 56. 4; 332-341, 2018
  • SANNINO, Anna; et al. Double layered stents for carotid angioplasty: A meta-analysis of available clinical data. Catheter Cardiovasc Interv. 91. 4; 751-757, 2018
  • SONG, J. K.; ESKRIDGE, J. M. Intracranial angioplasty and thrombolysis. Neurosurg Clin N Am. 11. 1; 49-65, 2000
Mais sobre este assunto:

Ajuda
Carregando
...