Trombose cerebral: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
agosto 2022

A trombose cerebral é um tipo de AVC que acontece quando um coágulo de sangue entope uma das artérias do cérebro, podendo levar à morte ou gerar sequelas graves como dificuldades na fala, cegueira ou paralisia.

Os sintomas da trombose cerebral são pouco específicos, sendo principalmente notada uma dor de cabeça muito intensa. Essa situação é pode acontecer em qualquer pessoa, mas é mais comum de acontecer em mulheres devido ao uso de anticoncepcionais orais e à gravidez. No entanto, pessoas que possuem histórico de doenças cardiovasculares na família ou que têm pressão alta, por exemplo, também apresentam risco aumentado de trombose cerebral.

É importante que na suspeita de trombose cerebral aa pessoa vá ao hospital para que seja feito o diagnóstico e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado, que envolve o uso de medicamentos para aliviar os sintomas e para dissolver o coágulo.

Sintomas de trombose cerebral

Os sintomas que ajudam a identificar a trombose cerebral são:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Formigamento ou paralisia num lado do corpo;
  • Boca torta;
  • Dificuldade para falar e de compreensão;
  • Alterações na visão;
  • Tonturas e perda de equilíbrio.

Os sintomas da trombose podem ser inespecíficos, de forma que o diagnóstico pode ser mais complicado. No entanto, na presença desses sinais e sintomas, é recomendado chamar imediatamente uma ambulância, ligando para o 192, ou ir imediatamente para o pronto-socorro. Durante esse tempo, se a pessoa desmaiar e deixar de respirar, deve-se iniciar a massagem cardíaca.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da trombose cerebral é feito pelo clínico geral ou neurologista por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa e resultado de exames laboratoriais e de imagem. O médico normalmente indica a realização do hemograma, coagulograma e dosagem de D-dímero, além de indicar a realização de ressonância magnética e/ ou tomografia computadorizada para visualizar a presença de trombo e/ ou alterações no cérebro que sejam sugestivas de trombose.

Principais causas

A trombose cerebral pode acontecer em qualquer pessoa saudável, havendo maior risco de acontecer nas seguintes situações:

  • Pressão arterial alta;
  • Diabetes;
  • Excesso de peso;
  • Níveis elevados de colesterol no sangue;
  • Ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;
  • Problemas cardíacos, como cardiomiopatia ou pericardite;
  • Uso de anticoncepcionais orais;
  • Gravidez;
  • Trombofilia;
  • Desidratação;
  • Uso de drogas de abuso;
  • Realização de punção lombar ou procedimentos neurocirúrgicos.

Além disso, o risco de trombose cerebral também é maior em pessoas com diabetes não tratada, mulheres no puerpério e histórico familiar de doenças cardíacas ou AVC.

Como é feito o tratamento

O tratamento para trombose cerebral deve ser iniciado o mais rápido possível no hospital, uma vez que é necessário tomar injeções de anticoagulantes diretamente na veia, para dissolver o coágulo que está entupindo a artéria do cérebro. Além disso, pode ser indicado pelo médico o uso de remédios que ajudem a aliviar os sintomas.

Após o tratamento, é aconselhável ficar internado entre 4 a 7 dias, para que seja feita observação constante do estado de saúde, pois, durante este período, existe maior chance de se sofrer uma hemorragia interna ou voltar a ocorrer uma trombose cerebral.

Trombose cerebral tem cura?

A trombose cerebral tem cura, especialmente quando o tratamento é iniciado na primeira hora após o surgimento dos sintomas, porém o risco de sequelas depende da região afetada e do tamanho do coágulo.

Principais sequelas da trombose cerebral

Dependendo do tempo que durou a trombose cerebral, podem surgir sequelas devido às lesões provocadas pela falta de oxigênio no sangue. As sequelas podem incluir vários problemas, desde alterações na fala até paralisia, e a sua gravidade depende do tempo que o cérebro ficou sem oxigênio.

Para tratar as sequelas, o médico pode aconselhar consultas de fisioterapia ou terapia da fala, por exemplo, pois ajudam a recuperar algumas das capacidades que se perderam. Veja mais sobre as sequelas mais comuns e como é feita a recuperação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em maio de 2020.

Bibliografia

  • BALIEIRO, Laura G.; LIMA, Leonardo V.; TARTUCE, Taísa M. et al. Trombose Venosa Cerebral: Aspectos Gerais e Métodos Diagnósticos. Braz. J. Hea. Rev. Vol 3. 1 ed; 797-801, 2020
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I.. Goldman-Cecil Medicina. 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. pp. 2480-2492.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.