Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tudo sobre psoríase

  • A psoríase é uma doença de pele crônica que causa o aparecimento de manchas vermelhas e ressecadas, que podem causar coceira.
  • Os locais mais afetados são os braços, os cotovelos, as mãos, as pernas e o couro cabeludo, mas podem aparecer em qualquer local do corpo.
  • Não existe um exame capaz de confirmar se a pessoa está com psoríase, mas o diagnóstico pode ser feito por um dermatologista através da observação das manchas.
  • Ainda não se conhece a causa exata da psoríase, no entanto, é possível que seja causada por um desiquilíbrio no sistema imunológico.
  • O tratamento geralmente é feito com remédios e pomadas que diminuem a inflamação ou que regulam o sistema imune, mas também pode ser complementado com fototerapia e alterações na dieta.

O que é a psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória crônica de pele que provoca sintomas característicos como manchas vermelhas e ressecadas, que podem causar sensação de coceira, ligeira queimação ou dor.

Embora seja uma doença relativamente comum, ainda não se conhece a causa exata, no entanto, é comum que as manchas de psoríase apareçam ou se tornem mais intensas durante situações que afetem diretamente a imunidade, como períodos de grandes estresse ou presença de doenças autoimunes, por exemplo.

Tudo sobre psoríase

Tipos e sintomas de psoríase

A maior parte dos casos de psoríase é caracterizada pela presença de manchas vermelhas e ressecadas na pele, porém, dependendo do tipo de sintomas e do local afetado, a psoríase pode ser dividida em vários sub-tipos:

1.  Psoríase vulgar

A psoríase vulgar, também chamada de psoríase em placas, é a forma mais comum da doença e caracteriza-se pela presença de placas vermelhas, com escamas brancas ou prateadas, que podem ter desde poucos milímetros até vários centímetros de tamanho.

Este tipo de psoríase normalmente surge nos braços, pernas, couro cabeludo e região lombar, mas também pode acabar afetando as unhas. A presença de outros sintomas como coceira ou queimação nos locais afetados varia de uma pessoa para a outra.

2. Psoríase gutata

A psoríase gutata, também conhecida como psoríase em gotas, é mais comum em crianças, adolescentes e jovens adultos, e manifesta-se pela presença de manchas em forma de gota na pele.

As manchas da psoríase gutata têm tamanho inferior a 1 cm e tendem a surgir no tronco, nas axilas e nas virilhas, geralmente após uma infecção por streptococcus das vias respiratórias.

3. Psoríase pustulosa

A psoríase pustulosa acontece quando surgem pequenas bolhas na pele com pus, junto com as manchas de psoríase. Essas bolhas podem aparecer em apenas numa região específica da pele ou acabar se espalhando por todo o corpo. Quando a psoríase pustulosa é generalizada, a pessoa pode também apresentar febre de 39º a 40º por vários dias.

4. Psoríase invertida

A psoríase invertida é outro tipo de psoríase que é identificado quando as manchas da psoríase surgem apenas em locais úmidos, como axilas, virilhas, região inframamária, umbigo ou couro cabeludo, por exemplo. Por surgirem em locais úmidos, estas manchas não costumam apresentar descamação.

5. Psoríase ungueal

Conhecida popularmente como psoríase nas unhas, a psoríase ungueal acontece quando a doença afeta principalmente a região das unhas, provocando ondulações nas unhas, manchas e unhas enfraquecidas.

Muitas vezes, a psoríase ungueal aparece antes de a psoríase se manifestar na pele, podendo ser o único sintoma durante vários anos.

Diagnóstico da psoríase

O primeiro sinal de psoríase normalmente é o surgimento de manchas vermelhas na pele, que desaparecem ao fim de algum tempo sem necessitar de tratamento, mas que podem voltar a surgir, especialmente durante períodos de maior estresse.

Quando se desconfia de que se pode ter psoríase deve-se consultar um dermatologista, pois este é o profissional mais indicado para fazer o diagnóstico desta doença. O diagnóstico da psoríase normalmente é feito através da observação dos sintomas na pele e avaliação do histórico familiar de saúde da pessoa.

Para chegar no diagnóstico correto, o médico também poderá ter que realizar alguns exames para descartar outros problemas de pele com sintomas semelhantes, como eczema, micose, líquen plano ou lúpus eritematoso, por exemplo.

Principais locais afetados

As manchas de psoríase são mais comuns em locais como:

Ainda assim, a psoríase pode surgir em qualquer local do corpo, variando de pessoa para pessoa. Assim, o ideal é que sempre que surja alguma alteração na pele se faça uma consulta com o dermatologista, para identificar o problema e iniciar o tratamento mais adequado.

O que causa a psoríase

Ainda não se conhecem as causas específicas da psoríase, no entanto, sabe-se que a doença é causada por um desiquilíbrio do sistema imune da própria pessoa. Isso significa que a psoríase não é provocada por vírus, fungos ou bactérias e, por isso, também não é contagiosa.

Alguns fatores que parecem aumentar as chances de desenvolver psoríase incluem:

  • Pancadas e outros traumatismos na pele;
  • Infecções por vírus ou bactérias;
  • Hábitos como tabagismo ou alcoolismo;
  • Uso de remédios, especialmente antimaláricos, lítio ou betabloqueadores.

A psoríase também apresenta uma relação genética muito forte, já que mais de 50% das pessoas afetadas têm outros casos de psoríase na família.

Tratamento para psoríase

Não existe um tratamento específico capaz de eliminar a psoríase e, por esse motivo, é considerado que a psoríase não tem cura. Porém, existem vários tipos de tratamento que podem aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Os principais tipos de tratamento usados são:

  1. Remédios e pomadas: são a principal forma de controlar os sintomas e atuam diretamente sobre o sistema imune ou sobre o processo inflamatório da psoríase. O tipo mais utilizado são as pomadas corticoides, que diminuem a vermelhidão e a coceira das manchas;
  2. Fototerapia: consiste na aplicação de raios UVB sobre a pele e normalmente é usada em conjunto com os remédios e as pomadas para aumentar o efeito anti-inflamatório e antiproliferativo;
  3. Dieta adequada: a alimentação é outra boa forma de complementar o tratamento da psoríase, pois permite evitar o consumo de substâncias que possam contribuir para a inflamação da pele;

Além disso, também existem alguns remédios caseiros para psoríase que podem ser usados, com conhecimento do médico, para controlar os sintomas, sem adicionar efeitos colaterais ao tratamento. Um bom exemplo é o agrião, que ajuda a eliminar do corpo substâncias que têm potencial de causar crises de psoríase ou agravar os sintomas.

Nos últimos anos, também tem aumentado o interesse de estudar alguns agentes biológicos, como adalimumabe ou etanercepte, para atenuar os sintomas da psoríase. Este tipo de medicamentos é uma nova classe de tratamento que consiste no uso de proteínas ou anticorpos capazes de regular o sistema imune.

Bibliografia >

  • JUNIOR, Walter Belda et. al.. Tratado de dermatologia. 2.ed. São Paulo: Atheneu, 2014. 145-170.
  • LONGO, Dan L. et al.. Medicina interna de Harrison. 18.ed. São Paulo: AMGH Editora, 2013. 398-399.
  • NATIONAL PSORIASIS FOUNDATION. About psoriasis. Disponível em: <https://www.psoriasis.org/about-psoriasis>. Acesso em 30 Out 2019
  • NHS. Psoriasis. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/psoriasis/symptoms/>. Acesso em 30 Out 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem