Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Pneumonia bilateral: o que é, sintomas e como tratar

A pneumonia bilateral é uma infecção respiratória grave caracterizada pelo acometimento dos dois pulmões por microrganismos, levando a diminuição da capacidade respiratória e, devido à falta de oxigênio no sangue e, consequentemente, no cérebro, pode haver alteração no nível de consciência da pessoa.

Esse tipo de pneumonia é mais frequente de acontecer em pessoas com sistema imune enfraquecido, como bebês e idosos. As causas da pneumonia bilateral são as mesmas que a da pneumonia comum, no entanto seus sintomas mais graves, sendo normalmente o tratamento realizado em ambiente hospitalar, para que a pessoa possa ser monitorada e receba oxigênio, além de diminuir a ocorrência de complicações, como infecção generalizada, parada respiratória ou derrame pleural. Entenda o que é o derrame pleural e como acontece.

Pneumonia bilateral: o que é, sintomas e como tratar

Principais sintomas

Os sintomas da pneumonia bilateral estão relacionados principalmente com a capacidade respiratória da pessoa, que pode ficar bastante comprometida. Os principais sintomas da pneumonia bilateral são:

  • Febre superior a 38ºC;
  • Tosse com muito catarro;
  • Grande dificuldade para respirar;
  • Aumento da frequência respiratória;
  • Cansaço fácil e intenso.

Quando a pessoa apresenta outros sintomas relacionados com a falta de oxigênio, como lábios ligeiramente azulados ou alteração dos níveis de consciência, é muito importante informar ao pneumologista para que o tratamento possa ser feito o mais breve possível, principalmente com o uso de máscaras de oxigênio. Saiba mais sobre os sintomas da pneumonia.

Como é feito o tratamento

O local de tratamento da pneumonia bilateral é uma das principais decisões a serem tomadas pelo médico, sendo definido por meio de um sistema que classifica os pacientes de acordo com os sintomas descritos e resultado dos exames. Os pacientes classificados como de baixo risco normalmente são tratados em casa, a partir do uso de antibióticos, como o Levofloxacino ou a Claritromicina, por exemplo, sendo o tempo de uso definido pelo médico.

Além disso, é importante que a pessoa permaneça em repouso durante o tratamento, beba bastante líquidos, faça nebulização com água potável e evite espaços públicos ou com muita poluição, além de utilizar máscaras de proteção sempre que necessário.

No caso de pacientes classificados como graves, principalmente quando o paciente é idoso ou apresenta comprometimento da função renal, da pressão arterial e muita dificuldade para realizar trocas gasosas, o tratamento é feito em ambiente hospitalar. O tratamento no hospital normalmente dura entre 1 e 2 semanas, podendo variar de acordo com a resposta do paciente à terapia, e normalmente é feito a partir da administração de oxigênio e antibiótico. Após a alta, o tratamento com antibiótico deve ser continuado por pelo menos 1 semana ou de acordo com a recomendação do pneumologista.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...