Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é infecção no sangue e como tratar

A infecção no sangue corresponde à presença de microrganismos no sangue, principalmente fungos e bactérias, levando a sintomas como febre alta, diminuição da pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos e náuseas, por exemplo. Quando a infecção não é diagnosticada e tratada devidamente, o microrganismo pode se espalhar pela corrente sanguínea e atingir outros órgãos, podendo levar à complicações e falência de órgãos.

A gravidade da infecção depende do microrganismo infectante e da resposta do organismo da pessoa infectada, já que pessoas com o sistema imunológico comprometido ou pouco desenvolvido são mais suscetíveis a esse tipo de infecção e o tratamento normalmente é mais complicado.

O tratamento para a infecção no sangue é feito de acordo com o microrganismo identificado por meio dos exames laboratoriais, podendo ser feito com o uso de antibióticos ou antifúngicos de acordo com a recomendação médica.

O que é infecção no sangue e como tratar

Principais sintomas

A infecção no sangue pode ser percebida por meio de alguns sinais e sintomas, como por exemplo:

  • Febre alta;
  • Aumento da frequência respiratória;
  • Diminuição da pressão arterial;
  • Aumento da frequência dos batimentos cardíacos;
  • Perda da memória ou confusão mental;
  • Tontura;
  • Fadiga;
  • Calafrios;
  • Vômito ou náusea.

Assim que forem identificados sinais e sintomas de infecção no sangue é importante ir ao médico para que possam ser avaliados os sintomas descritos pelo paciente e que sejam solicitados exames para confirmar a infecção no sangue e, assim, possa-se iniciar o tratamento e evitar complicações.

A infecção no sangue é grave?

A infecção no sangue é grave de acordo com o microrganismo presente no sangue e a capacidade de resposta do organismo frente à infecção. Assim, recém-nascidos, idosos e pessoas com deficiências no sistema imune têm mais chance da infecção no sangue ser mais grave. Veja como funciona o sistema imunológico.

Alguns microrganismos possuem alta capacidade infecciosa, sendo capaz de se proliferar rapidamente e se espalhar pela corrente sanguínea, atingindo outros órgãos e caracterizando o quadro de choque séptico ou septicemia. Caso essa infecção não seja identificada rapidamente e devidamente tratada, pode haver falência de órgão e resultar no óbito da pessoa. Saiba tudo sobre o choque séptico.

Possíveis causas da infecção no sangue

A infecção no sangue pode ser consequência de outras infecções, como infecção urinária, pneumonia ou meningite, por exemplo, surgir após cirurgias, devido à infecção de feridas cirúrgicas, ou colocação de dispositivos médicos, como cateteres e sondas, por exemplo, sendo considerada uma infecção hospitalar. Saiba o que é infecção hospitalar e como prevenir.

O que é infecção no sangue e como tratar

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da infecção no sangue é feito principalmente por meio de exames laboratoriais. O principal exame realizado para identificar microrganismos na corrente sanguínea é a hemocultura, que normalmente é feita durante o internamento hospitalar e que consiste na coleta de sangue por um profissional capacitado, podendo haver a identificação de bactérias ou fungos na corrente sanguínea.

O sangue coletado é colocado em um recipiente denominado "garrafa de hemocultura" e é enviado ao laboratório para que sejam feitas as análises. A garrafa é colocada em um equipamento que é capaz de fornecer o ambiente adequado para o crescimento de microrganismos. As garrafas permanecem no equipamento por 7 dias a 10 dias, no entanto, culturas positivas são identificadas nos 3 primeiros dias. Após ser detectada a positividade da amostra, o sangue contido na garrafa é utilizado para que seja feita um lâmina e possa ser visto no microscópio para identificar as características do microrganismo.

Além da identificação microscópica, é feita uma cultura em um meio de cultura adequado para que o microrganismo possa ser isolado e, posteriormente, seja identificada a espécie e os antimicrobianos a que essa espécie é sensível ou resistente, para que assim se possa definir o melhor tratamento. Saiba como é feito o antibiograma.

O hemograma também pode ser solicitado pelo médico para confirmação de infecção, em que é verificado a quantidade de leucócitos, que no caso da infecção está elevado, assim como a dosagem da Proteína C Reativa (PCR). Pode ser solicitado também outros exames para confirmação da disseminação do microrganismo no corpo, como exame de urina (EAS), urocultura, cultura de secreção de ferida, tomografia computadorizada e ultrassonografia. Veja para que serve o hemograma e como interpretar.

No caso da suspeita de infecção no sangue por vírus, são realizados testes sorológicos e moleculares para identificar o vírus, sua concentração no sangue e, assim, determinar o tratamento, já que os vírus não são identificados por meio da hemocultura.

Como tratar

O tratamento é feito com a pessoa internada e é estabelecido de acordo com o microrganismo identificado no sangue. No caso de infecção por bactérias, é recomendado o uso de antibióticos, que é definido pelo médico de acordo com o perfil de sensibilidade da bactéria. No caso de infecção por fungos, é indicado o uso de antifúngicos de acordo com o resultado do antifungigrama.

Pode ser recomendado também o uso de medicamentos para aumentar a pressão arterial, baixas doses de corticoesteroides e insulina para regular os níveis de açúcar no sangue.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...