Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a Síndrome do desconforto respiratório infantil e como tratar

A síndrome do desconforto respiratório agudo, também conhecida como doença da membrana hialina ou síndrome da angústia respiratória, é uma doença que surge devido ao atraso no desenvolvimento dos pulmões do bebê prematuro, causando dificuldade para respirar, respiração rápida ou chiado ao respirar, por exemplo.

Normalmente, o bebê nasce com uma substância chamada de surfactante, que permite que os pulmões se encham de ar, no entanto, nesta síndrome a quantidade de surfactante ainda não é suficiente para permitir uma boa respiração e, por isso, o bebê não respira corretamente.

Desta forma, a síndrome do desconforto respiratório agudo infantil é mais comum em bebês recém-nascidos com menos de 28 semanas de gestação, sendo detectado pelo médico logo após o nascimento ou nas primeiras 24 horas. Esta síndrome tem cura, mas o bebê precisa ficar internado no hospital para fazer o tratamento adequado, com medicamentos a base de surfactante sintético e uso de máscara de oxigênio, até que os pulmões estejam suficientemente desenvolvidos. Entenda para que serve o surfactante pulmonar

O que é a Síndrome do desconforto respiratório infantil e como tratar

Sintomas no bebê

Os principais sintomas da síndrome do desconforto respiratório infantil incluem:

  • Lábios e dedos azulados;
  • Respiração rápida;
  • Narinas muito abertas ao inspirar;
  • Chiado no peito ao respirar;
  • Períodos rápidos de parada respiratória;
  • Quantidade reduzida de urina.

Estes sintomas indicam uma insuficiência respiratória, ou seja, o bebê não consegue respirar adequadamente e captar oxigênio para o organismo. Eles são mais comuns logo após o parto, porém podem demorar até 36 horas para aparecer, dependendo da gravidade da síndrome e da prematuridade do bebê.

Para diagnosticar esta síndrome, o pediatra irá avaliar estes sinais clínicos do recém nascido, além de solicitar exames de sangue para avaliar a oxigenação do sangue e Raio x dos pulmões. 

Como é feito o tratamento

O tratamento para a síndrome do desconforto respiratório infantil deve ser iniciado logo que os sintomas sejam detectados pelo pediatra e, geralmente, é necessário que o bebê fique internado numa incubadora e receba oxigênio através de máscara ou através de um aparelho, chamado CPAP, que ajuda o ar a entrar nos pulmões, durante alguns dias ou semanas, até que os pulmões estejam suficientemente desenvolvidos. Saiba mais sobre como funciona este aparelho em: CPAP nasal.

Esta síndrome pode ser evitada em alguns casos, pois o médico obstetra pode indicar injeções de remédios corticóides para a grávida que tem risco de ter um parto prematuro, o que pode acelerar o desenvolvimento dos pulmões do bebê.

Bebê recém-nascido com CPAP nasalBebê recém-nascido com CPAP nasal
Bebê recém-nascido na incubadoraBebê recém-nascido na incubadora

Tratamento com fisioterapia 

A fisioterapia, feita por um fisioterapeuta especializado, pode ser muito útil para o tratamento do bebê portador da síndrome do desconforto respiratório, pois utiliza técnicas que podem ajudar a abrir as vias aéreas, estimular a musculatura da respiração e facilitar a remoção de secreções dos pulmões. 

Assim, a fisioterapia é muito importante para diminuir os sintomas de desconforto respiratório e suas complicações, como falta de oxigênio, lesões pulmonares e prejuízos cerebrais.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...