Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Pneumonia viral: o que é, principais sintomas e tratamento

A pneumonia viral é um tipo de infecção nos pulmões que leva à inflamação do sistema respiratório e resulta no aparecimento de alguns sintomas, como febre, falta de ar e tosse, que vão piorando com o tempo. Esse tipo de pneumonia acontece com mais frequência em pessoas que possuem o sistema imune mais enfraquecido, como crianças e idosos, principalmente.

Os principais vírus causadores deste tipo de pneumonia são os vírus que causam resfriados e gripes, como o Influenza  do tipo A, B ou C, H1N1, H5N1 e o novo coronavírus de 2019 (COVID-19) além de outros como vírus parainfluenza, vírus sincicial respiratório e adenovírus, por exemplo, que podem ser transportados nas gotas de saliva ou de secreção respiratória que ficam suspensas no ar de uma pessoa infectada para outra.

Apesar dos vírus relacionados com a pneumonia viral serem facilmente transmitidos de uma pessoa para outra, nem sempre a pessoa desenvolve a pneumonia, na maioria das vezes desenvolve os sintomas de resfriado ou gripe, já que o sistema imunológico é capaz de combater esse vírus. No entanto, mesmo que o risco de desenvolver pneumonia não seja alto, é importante adotar medidas de precaução, como evitar entrar em contato próximo com a pessoa doente e ter bons hábitos de higiene, lavando as mãos regularmente.

Pneumonia viral: o que é, principais sintomas e tratamento

Sintomas de pneumonia viral

Os sintomas de pneumonia viral podem surgir poucos dias após o contato com o vírus, e apresentam piora com o decorrer dos dias, sendo os principais sinais e sintomas:

  • Tosse seca, que evolui para tosse com catarro transparente, branco ou rosado;
  • Dor no tórax e dificuldade para respirar;
  • Febre de até 39ºC;
  • Dor de garganta ou de ouvido;
  • Rinite ou conjuntivite, que podem acompanhar os sintomas.

Em pessoas mais velhas, os sintomas de pneumonia também podem incluir confusão mental, cansaço extremo e falta de apetite, mesmo que não haja febre. Já em bebês ou crianças, também é muito comum surgir respiração muito rápida que provoca a abertura exagerada das asas do nariz.

A pneumonia viral se diferencia da pneumonia bacteriana por, geralmente, ter um início mais súbito, produzir um catarro mais transparente ou branco, além de ter outros sinais de infecção viral, como congestão nasal, sinusite, irritação nos olhos e espirros, por exemplo, entretanto, pode ser difícil diferenciar os 2 tipos de infecção, sem fazer exames. No entanto, é importante que o médico realize exames para identificar o agente causador da pneumonia e, assim, o tratamento da pneumonia ser o mais eficaz possível.

Como saber se o bebê está com pneumonia

No caso dos bebês, os pais podem desconfiar de pneumonia quando os sintomas de gripe apresentados pelo bebê demoram para passar ou pioram ao longo da semana, como febre que não baixa, tosse constante, falta de apetite, respiração rápida e dificuldade para respirar, por exemplo.

É importante que o bebê seja levado ao pediatra para que sejam feitos exames e seja concluído o diagnóstico, dando inicio ao tratamento adequado. Além disso, é importante que se tenha alguns cuidados durante o tratamento do bebê, como por exemplo:

  • Fazer inalações com soro fisiológico 2 a 3 vezes por dia ou de acordo com as indicações do pediatra;
  • Incentivar o bebê a mamar ou comer, dando preferência para frutas, leite materno ou fórmula;
  • Dar água para o bebê;
  • Vestir o bebê de acordo com a temperatura, evitando mudanças bruscas de temperatura;
  • Evitar utilizar remédios para a tosse que não foram indicados pelo pediatra, pois podem facilitar o acúmulo de secreções no pulmão.

Nos casos mais graves, em que o bebê não quer comer, está com falta de ar ou apresenta febre acima de 39ºC, o pediatra pode recomendar o internamento para receber oxigênio, fazer remédios na veia e receber soro enquanto não puder se alimentar.

Como confirmar o diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico desta doença, o médico poderá solicitar amostras de secreções respiratórias do nariz e garganta, para análise no laboratório, que devem ser coletadas, idealmente, até o 3º dia da doença, mas que podem ser coletadas até o 7º dia após o início dos sintomas, para identificar o vírus.

Além disso, são feitos exames como raio-X de tórax, para avaliar o comprometimento dos pulmões, e exames de sangue, como hemograma e gasometria arterial, para avaliar a oxigenação do sangue, e assim verificar o grau e a gravidade da infecção. Em qualquer caso de suspeita de pneumonia é aconselhado passar por uma consulta com o clínico geral ou pediatra ou pneumologista, ou ir ao pronto-socorro, para iniciar o tratamento adequado e evitar o agravamento da doença.

Como é feito o tratamento

O tratamento para infecções virais é orientado pelo médico, e deve ser feito com algumas orientações como:

  • Repouso em casa, evitando ir à escola ou trabalho;
  • Boa hidratação, com água, chá, água de coco ou suco natural;
  • Dieta leve, evitando alimentos gordurosos.

Além disso, o tratamento da pneumonia viral ou uma gripe causada pelos vírus H1N1, H5N1 ou o novo coronavírus (COVID-19), em pessoas que têm maior risco de desenvolver pneumonia, como idosos e crianças, também envolve o uso de remédios antivirais, receitados pelo clínico geral ou pneumologista, como Oseltamivir, Zanamivir e Ribavirina, por exemplo.

O tratamento pode ser feito em casa, no entanto quando a pessoa demonstra sinais de gravidade, como dificuldade para respirar, oxigenação do sangue baixa, confusão mental ou alterações no funcionamento dos rins, por exemplo, pode ser necessária a internação para realização de medicamentos na veia e uso de máscara de oxigênio. Saiba mais detalhes sobre como deve ser o tratamento da pneumonia viral.

Como prevenir

Para prevenir infecções virais de qualquer tipo, é muito importante manter as mãos limpas, lavando ou usando o álcool gel, sempre que frequentar locais públicos, com o ônibus, shoppings e mercados, além de evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos. 

A vacina contra a gripe, aplicada anualmente, também é uma importante forma de evitar a infecção pelos principais tipos de vírus.

Veja no vídeo a seguir como lavar as mãos corretamente para evitar a infecção por vírus:

Bibliografia >

  • BROADDUS, V. Courtney. et al. Murray & Nadel tratado de medicina respiratória. 6.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017. pp. 556-581.
  • FIGUEIREDO, Luiz Tadeu Moraes. Pneumonias virais: aspectos epidemiológicos, clínicos, fisiopatológicos e tratamento. J Bras Pneumol. 2009;35(9): p.899-906. Acesso em: 23/03/2020. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v35n9/v35n9a12.pdf.
  • Maria João Rocha Brito. Pneumonias. 2012. Disponível em: <http://www.spp.pt/UserFiles/file/Publicacoes_Curso_Verao_2012/Pneumonias.pdf>.
  • Ozéas Galeno da Rocha Neto, Ricardo Ferreira Leite, Bruno Guedes Baldi. Atualização em pneumonia comunitária viral. REV ASSOC MED BRAS. 2013; 59(1):78-84. Acesso em: 23/03/2020.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem