Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Arritmia cardíaca

Arritmia cardíaca é qualquer alteração no ritmo das batidas do coração, que pode fazer com que ele bata mais rápido ou mais lento, ou simplesmente fora de ritmo. Quando o coração bate a uma frequência menor do que 60 batimentos por 1 minuto chama-se bradicardia e quando o coração bate de forma mais acelerada, com uma frequência maior que 100 batimentos por 1 min, chama-se taquicardia. A frequência de batimentos cardíacos em um minuto considerada normal em um indivíduo em repouso, está entre 60 a 100.

A arritmia cardíaca pode ser benigna ou maligna, sendo as do tipo benignas as mais comuns. As arritmias cardíacas benignas são aquelas que não alteram a função e o desempenho do coração e não trazem risco maiores de morte. Podem ser controladas com medicações e melhoram com a atividade física. Já as do tipo malignas, pioram com esforço ou exercício e podem levar à morte. Necessitam, na sua maioria, de implante de marcapasso ou de cardiodesfibrilador para seu controle e/ ou a sua reversão, caso as medicações orais não sejam suficientes.

Sintomas de arritmia cardíaca

Os sintomas de arritmia cardíaca podem ser:

  • Palpitação cardíaca, pulso acelerado;
  • Sensação de nó na garganta;
  • Tontura;
  • Desmaio;
  • Sensação de fraqueza;
  • Cansaço fácil;
  • Dor no peito;
  • Falta de ar;
  • Mal-estar

Em alguns casos, os sintomas não estão presentes e o médico só descobre a doença ao verificar o pulso do indivíduo ou ao realizar uma ausculta cardíaca, devendo realizar um eletrocardiograma para confirmar a presença de arritmia.

Causas da arritmia cardíaca

As causas da arritmia cardíaca podem ser:

  • Anemia;
  • Ansiedade e estresse;
  • Efeito colateral de medicamentos;
  • Uso de drogas ilícitas;
  • Exercício físico extenuante;
  • Hipotireoidismo grave;
  • Falha das células do próprio coração;
  • Doença coronariana;
  • Doenças do músculo cardíaco, como miocardiopatias ou insuficiência cardíaca;
  • Doenças das válvulas cardíacas;
  • Doenças infecciosas, como a doença de Chagas;
  • Alterações nas concentrações de sódio, potássio e cálcio no organismo;
  • Complicação pós-cirurgia cardíaca;
  • Doença cardíaca congênita.

Diagnóstico da arritmia cardíaca

O diagnóstico da arritmia cardíaca pode ser feito através de exames como:

  • Eletrocardiograma;
  • Holter de 24 horas;
  • Teste ergométrico;
  • Estudo eletrofisiológico (EPS);
  • Tilt teste.

O médico cardiologista é quem deve requisitar e avaliar estes exames e não é necessário fazer todos eles para se chegar ao diagnóstico.

Tratamento para arritmia cardíaca

O tratamento para arritmia cardíaca vai depender do tipo da arritmia. Pode ser realizado através de remédios, marcapasso, mudança no estilo de vida ou em alguns casos, cirurgia de ablação.

A colocação do marcapasso cardíaco é indicada para indivíduos que possuem determinados tipos de arritmias de baixa frequência. É preciso seguir o tratamento corretamente e por toda a vida, pois alguns tipos de arritmia cardíaca podem matar. Veja quais são os cuidados necessários após colocar o marcapasso.

Alguns exemplos de remédios utilizados na arritmia cardíaca são: propafenona, sotalol, dofetilida, amiodarona e ibutilida.

Arritmia cardíaca tem cura?

As arritmias cardíacas têm cura e/ou controle quando diagnosticadas a tempo. Podem ser revertidas com o tratamento das suas causas, utilizando medicações específicas ou implantando marcapasso ou cardiodesfibriladores.

Links úteis:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...