Fibrilação atrial (FA): o que é, sintomas, causas e tratamento

outubro 2022

A fibrilação atrial (FA) é uma desorganização da atividade elétrica nos átrios do coração, que causa alterações do batimento cardíaco. Pessoas com FA podem apresentar um ritmo cardíaco irregular e mais rápido, podendo alcançar 175 batimentos por minuto, o que aumenta o risco de AVC, falência cardíaca e outros problemas do coração.

Muitas vezes, a fibrilação atrial é assintomática, sendo apenas descoberta durante exames de rotina, como o ECG, mas também pode causar sintomas recorrentes como palpitações, respiração curta, tonturas e sensação de fraqueza, por exemplo.

O tratamento da FA é muito variável e depende da pessoa, dos sintomas que apresenta e das causas que estejam na origem da fibrilação atrial.

Principais sintomas

A fibrilação atrial pode causar sintomas como:

  • Palpitações;
  • Batimentos cardíacos irregulares;
  • Fraqueza e cansaço rápido;
  • Tonturas;
  • Respiração curta;
  • Dor no peito.

No entanto, também é muito comum que pessoas com FA não tenham qualquer sintoma, sendo que a condição acaba sendo identificada apenas durante exames de rotina, como no ECG.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de fibrilação atrial é feito através do eletrocardiograma (ECG), mas em alguns casos, o médico também pode indicar a realização de outros exames, como ecocardiograma, testes de sangue ou raio-X ao tórax.

Possíveis causas

A fibrilação atrial, na maioria dos casos ocorre devido a defeitos ou lesões cardíacas. No entanto, também existem situações em que a FA pode surgir sem qualquer causa aparente.

Alguns fatores que parecem aumentar o risco de desenvolver fibrilação atrial são:

  • Hipertensão;
  • Histórico de ataque cardíaco prévio;
  • Cirurgia recente ao coração;
  • Doença coronariana;
  • Doenças congênitas;
  • Hipertireoidismo;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Consumo excessivo de cafeína, álcool ou tabaco.

Além disso, ter algum problema pulmonar, sofrer de excesso de estresse ou ter apneia do sono também são fatores que parecem aumentar o risco de FA.

Como é feito o tratamento

O tratamento para fibrilação atrial tem como objetivo aliviar os sintomas, controlar e restaurar a frequência cardíaca, além de prevenir possíveis complicações. Assim, o cardiologista pode indicar o uso de medicamentos para reverter a fibrilação atrial, como amiodarona e a propagandona, que são antiarrítmicos.

Além disso, o médico pode também indicar o uso de medicamentos betabloqueadores e bloqueadores de canais de cálcio, que ajudam a controlar a frequência cardíaca e prevenção da fibrilação atrial.

Para prevenir possíveis complicações, o cardiologista pode recomendar o uso de medicamentos anticoagulantes e inibidores plaquetários, além da prática de atividade física e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, cigarro e cafeína, já que podem interferir na frequência cardíaca.

Dependendo da gravidade da fibrilação atrial, o médico pode também recomendar a colocação de um marcapasso cardíaco para que a fibrilação seja identificada precocemente e corrigida. Veja mais sobre o marcapasso.

Possíveis complicações

As complicações da fibrilação arterial estão relacionadas com a gravidade da fibrilação atrial, podendo haver maior risco de trombose, acidente vascular encefálico e insuficiência cardíaca.

As complicações podem acontecer com mais facilidade em pessoas mais velhas e com doenças crônicas, como diabetes, alterações reumáticas, hipertensão e hipertireoidismo, sendo importante que o tratamento seja feito de acordo com a recomendação do médico para evitar as possíveis alterações.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em novembro de 2019.

Bibliografia

  • HOSPITAL DO CORAÇÃO - ASSOCIAÇÃO DO SANATÓRIO SÍRIO. Boas Práticas clinicas em cardiologia - Fibrilação Atrial. Disponível em: <http://cardiol.br/boaspraticasclinicas/ferramentas/paciente/modelo-bpc/FolhetoFibrilArterial2.pdf>. Acesso em 02 out 2019
  • REVISTA QUALIDADEHC. Fibrilação Atrial. Disponível em: <http://www.hcrp.usp.br/revistaqualidade/uploads/Artigos/183/183.pdf>. Acesso em 02 out 2019
Mostrar bibliografia completa
  • MAYO CLINIC. Atrial fibrillation. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/atrial-fibrillation/diagnosis-treatment/drc-20350630>. Acesso em 02 out 2019
  • ALVES, J. B. B. et. al.. Manejo da fibrilação atrial na urgência. Revista Médica de Minas Gerais. 18. 3; 55-58, 2008
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886.