Coração grande: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
julho 2022

O coração grande, também chamado de cardiomegalia, não é uma doença, mas é um sinal de alguma outra doença do coração como insuficiência cardíaca, doença das artérias coronárias, problemas nas válvulas do coração ou arritmia, por exemplo. Estas doenças podem deixar o músculo do coração mais grosso ou as câmaras do coração mais dilatadas, fazendo com que o coração fique maior.

Este tipo de alteração no coração acontece com mais frequência em idosos, mas também pode acontecer em adultos jovens ou em crianças com problemas cardíacos e, num estágio inicial pode não apresentar sintomas. No entanto, devido ao crescimento do coração, o bombeamento de sangue para todo o corpo fica comprometido, o que provoca cansaço intenso e falta de ar, por exemplo.

Apesar de ser uma condição grave e que pode levar à morte, a cardiomegalia pode ser tratada por um cardiologista com medicamentos ou cirurgia, e tem cura quando identificada no início.

Principais sintomas

Os sintomas de coração grande costumam surgir em fases mais avançadas, sendo os principais:

  • Falta de ar durante esforço físico, em repouso ou quando se está deitado de costas;
  • Palpitações cardíacas;
  • Dor no peito;
  • Tosse, principalmente quando deitado;
  • Tonturas e desmaios;
  • Fraqueza e cansaço ao realizar pequenos esforços;
  • Cansaço excessivo constante;
  • Falta de ar durante esforço físico, em repouso ou quando deitado de costas;
  • Inchaço nas pernas, tornozelos ou pés;
  • Inchaço excessivo na barriga.

Numa fase inicial, a cardiomegalia, geralmente, não apresenta sintomas, no entanto, com a evolução do problema, o coração começa a apresentar maior dificuldade para bombear o sangue para o corpo de forma adequada. 

É importante consultar um cardiologista logo que esses sintomas apareçam ou procurar um pronto socorro mais próximo se apresentar sintomas de infarto como dor no peito e dificuldade de respirar. Saiba reconhecer os primeiros sinais de problemas no coração.

Graus do coração grande

Dependendo do tamanho, o coração grande pode ser classificado em 4 graus a partir do índice cardiotorácico através da radiografia do tórax, em que são feitas algumas medições.

Coração grandeÍndice cardiotorácico
Grau I (Leve)0,5 a 0,55
Grau II (Moderada)0,55 a 0,60
Grau III (Moderada a grave)0,60 a 0,65
Grau IV (Grave)> 0,65

Por que o coração cresce?

O coração pode crescer devido ao fato de algumas doenças causarem uma inflamação no organismo e favorecerem o estresse oxidativo, o que tem como consequência o espessamento e o estiramento do músculo cardíaco.

Essas alterações fazem com que aconteça uma alteração no processo de contração do coração, fazendo com que trabalhe mais forte para bombear sangue para todo o corpo, provocando um aumento no volume do músculo cardíaco e fazendo com que fique fatigado, aumentando o risco de insuficiência cardíaca.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da cardiomegalia é feito com base no histórico clínico e através de exames como raio-x, eletrocardiograma, ecocardiograma, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para avaliar o funcionamento do coração. Além disso, podem ser solicitados exames de sangue para detectar os níveis de algumas substâncias no sangue que podem estar causando o problema no coração.

Outros tipos de exames que o cardiologista pode solicitar são o cateterismo, que permite visualizar o coração por dentro e a biópsia do coração, que pode ser feita durante o cateterismo para avaliar danos nas células cardíacas. Saiba como é feito o cateterismo para o coração

Possíveis causas da cardiomegalia

A cardiomegalia normalmente é consequência de algumas doenças como:

  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Problemas nas artérias coronárias como obstrução coronariana;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Arritmia cardíaca;
  • Cardiomiopatia;
  • Infarto;
  • Doença das válvulas do coração devido a febre reumática ou infecção no coração como a endocardite;
  • Diabetes;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Insuficiência renal;
  • Anemia;
  • Problemas na glândula tireóide como hipo ou hipertireoidismo;
  • Altos níveis de ferro no sangue;
  • Doença de Chagas;
  • Alcoolismo.

Além disso, alguns medicamentos para tratar o câncer como doxorrubicina, epirrubicina, daunorrubicina ou ciclofosfamida, também podem causar o aparecimento de cardiomegalia.

Apesar de não ser muito comum, durante a gravidez é possível que a mulher apresente o coração grande, principalmente quando existem antecedentes de doenças do coração, quando a mulher tem idade mais avançada, bebem álcool ou fumam, por exemplo. No entanto, esses casos são considerados passageiros, de forma que o coração volta ao tamanho normal após cerca de 1 ano após o início do tratamento.

O coração grande pode voltar ao tamanho normal?

Algumas pessoas podem ter o coração aumentado como consequência de fatores passageiros, como infecção ou gravidez, por exemplo. Nesses casos, o coração pode voltar à normalidade com o tratamento adequado.

No entanto, no caso do coração grande ser consequência de uma doença crônica, é possível que permaneça aumentado, sendo importante continuar a realizar o tratamento indicado pelo médico para controlar os sintomas relacionados com essa alteração.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a cardiomegalia deve ser orientado por um cardiologista e normalmente inclui:

1. Uso de medicamentos

Os medicamentos que o cardiologista pode prescrever para tratar a cardiomegalia são:

  • Diuréticos como furosemida ou indapamida: ajudam a remover o excesso de líquidos do organismo, evitando que se acumulem nas veias e dificultem o batimento cardíaco, além de reduzir o inchaço na barriga e nas pernas, pés e tornozelos;
  • Anti-hipertensivos como captopril, enalapril, losartana, valsartana, carvedilol ou bisoprolol: ajudam a melhorar a dilatação dos vasos, aumentam o fluxo sanguíneo e facilitam o trabalho do coração;
  • Anticoagulantes como varfarina ou aspirina: diminuem a viscosidade do sangue, prevenindo o surgimento de coágulos que podem causar embolias ou AVC;
  • Antiarrítmico como a digoxina: fortalece o músculo cardíaco, facilitando as contrações e permite o bombeamento mais eficaz de sangue.

O uso desses medicamentos deve ser feito somente sob a supervisão de um cardiologista e com doses específicas para cada pessoa. 

2. Colocação de marcapasso

Em alguns casos de cardiomegalia, principalmente em estágios mais avançados, o cardiologista pode indicar a colocação de um marcapasso para coordenar os impulsos elétricos e a contração do músculo cardíaco, melhorando seu funcionamento e facilitando o trabalho do coração. 

3. Cirurgia cardíaca

A cirurgia cardíaca pode ser realizada pelo cardiologista se a causa da cardiomegalia for algum defeito ou alteração nas válvulas do coração. A cirurgia permite reparar ou substituir a válvula afetada.

4. Cirurgia de bypass coronário

A cirurgia de bypass coronário pode ser indicada pelo cardiologista se a cardiomegalia for causada por problemas das artérias coronárias que são responsáveis por irrigar o coração. 

Essa cirurgia permite corrigir e redirecionar o fluxo de sangue da artéria coronária afetada e ajuda a controlar os sintomas de dor no peito e dificuldade de respirar.

5. Transplante cardíaco

O transplante cardíaco pode ser feito se as outras opções de tratamento não forem eficazes para controlar os sintomas da cardiomegalia, sendo a última opção de tratamento. Saiba como é feito o transplante de coração.

Possíveis complicações

As complicações que a cardiomegalia pode causar são:

  • Infarto;
  • Formação de coágulos no sangue;
  • Parada cardíaca;
  • Morte súbita.

Essas complicações dependem de qual parte do coração está aumentada e da causa da cardiomegalia. Por isso, sempre que existe suspeita de algum problema no coração é muito importante procurar ajuda médica.

Quando tempo vive uma pessoa com coração grande?

Como a cardiomegalia pode ser causada por diversos fatores, não é possível determinar o tempo de vida da pessoa, já que isso depende da causa do aumento do coração e do estado geral de saúde da pessoa.

Além disso, caso a pessoa não inicie o tratamento adequado, pode aumentar a gravidade da situação, diminuindo a qualidade de vida e aumentando o risco de mortalidade. Por isso, o ideal é que o cardiologista seja consultado.

Cuidados durante o tratamento

Algumas medidas importantes durante o tratamento da cardiomegalia são: 

  • Não fumar;
  • Manter o peso saudável;
  • Manter os níveis de glicose no sangue controlados e fazer o tratamento da diabetes recomendado pelo médico;
  • Fazer acompanhamento médico para controlar a pressão alta;
  • Evitar bebidas alcoólicas e cafeína;
  • Não usar drogas como cocaína ou anfetaminas;
  • Fazer exercícios físicos recomendados pelo médico;
  • Dormir pelo menos 8 a 9 horas por noite.

É ainda importante fazer acompanhamento com o cardiologista que também deve orientar mudanças na alimentação e a fazer uma dieta equilibrada e pobre em gorduras, açúcar ou sal. Confira a lista completa de alimentos que fazem bem ao coração.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em junho de 2019.

Bibliografia

  • STATPEARLS. Cardiomegaly. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK542296/>. Acesso em 24 mar 2022
  • CARDIOMYOPATHY UK. Peripartum cardiomyopathy. Disponível em: <https://www.cardiomyopathy.org/sites/default/files/2021-06/peripartum-cardiomyopathy-april-2018.pdf>. Acesso em 24 mar 2022
Mostrar bibliografia completa
  • Silva, João Danyell Dantas; et al. Repercussões da cardiomegalia na função pulmonar de indivíduos adultos com insuficiência cardíaca crônica: uma revisão sistemática. Fisioterapia e Pesquisa. 18. 1; 84-91, 2011
  • SCHETTINO, Cláudio D. S.; et al. Relação entre DPOC e Doença Cardiovascular. Pulmão RJ. 22. 2; 19-23, 2013
  • SAMAK, Mostafa; et al. Cardiac Hypertrophy: An Introduction to Molecular and Cellular Basis. Med Sci Monit Basic Res. 22. 75-79, 2016
  • MAYO CLINIC. Enlarged heart. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/enlarged-heart/symptoms-causes/syc-20355436>. Acesso em 15 dez 2020
  • SHIMIZU, Ippei; MINAMINO, Tohru. Physiological and pathological cardiac hypertrophy. J Mol Cell Cardiol. 97. 245-262, 2016
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886. 

Tuasaude no Youtube

  • O que comer para EVITAR INFARTO

    04:31 | 75077 visualizações
  • Insuficiência Cardíaca | Alimentação para Controlar

    09:24 | 126742 visualizações