Valvulopatia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Maio 2021

A valvulopatia, também chamada de valvulopatia cardíaca, é um conjunto de doenças que afetam as válvulas cardíacas, principalmente a válvula mitral, que separa o átrio esquerdo do ventrículo esquerdo, ou a válvula aórtica, e ocorre devido ao endurecimento das válvulas, dificultando o trabalho do coração em bombear o sangue para todas as partes do corpo, o que pode levar ao desenvolvimento de outros problemas como insuficiência cardíaca, arritmia ou até parada cardíaca.

Esses tipos de doenças são mais frequentes em homens a partir dos 65 anos e mulheres a partir dos 75 anos, e muitas vezes não apresentam sintomas fáceis de identificar. No entanto, como há uma dificuldade do coração bombear o sangue, a pessoa pode se sentir constantemente cansada, fraca ou com falta de ar, sendo recomendado ir ao cardiologista para que sejam feitos exames e se chegue a uma conclusão diagnóstica. 

O tratamento da valvulopatia é indicado pelo cardiologista dependendo dos sintomas, causas e da gravidade da doença, podendo ser feito com o uso de remédios para controlar os sintomas ou cirurgia para reparar ou substituir a válvula cardíaca.

Valvulopatia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais sintomas

Uma valvulopatia pode não causar sintomas durante muitos anos, no entanto, pode piorar lentamente ao longo da vida, devido a dificuldade do coração para bombear o sangue para o corpo de forma adequada e causar sintomas como: 

  • Dor no peito;
  • Falta de ar;
  • Inchaço nas pernas, tornozelos ou pés;
  • Cansaço excessivo e constante;
  • Fraqueza;
  • Tonturas;
  • Palpitações cardíacas;
  • Inchaço excessivo na barriga;
  • Falta de ar durante esforço físico ou quando deitado;
  • Sensação de barulho no coração.

Esses sintomas nem sempre estão relacionados à gravidade da doença, pois algumas pessoas podem ter valvulopatia grave e não apresentar sintomas.

Caso surjam estes sintomas, é sempre importante consultar o cardiologista para que seja possível confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de uma valvulopatia é feito com base no histórico clínico e através de exames como raio-x, eletrocardiograma, ecocardiograma, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para avaliar o funcionamento do coração. Além disso, pode ser solicitado o teste ergométrico ou teste de esforço físico, para avaliar o funcionamento do coração durante o esforço físico. Saiba como é feito o teste ergométrico.  

Outro tipo de exame que o cardiologista pode solicitar é o cateterismo, que permite visualizar o coração por dentro. Veja como é feito o cateterismo para o coração

Possíveis causas

A valvulopatia pode ocorrer em qualquer uma das 4 válvulas do coração: tricúspide, mitral, pulmonar ou aórtica, que abrem e fecham a cada batimento cardíaco permitindo que o coração bombeie sangue para todo o corpo.

Esta doença pode estar presente ao nascimento, sendo chamada de valvulopatia congênita, mas também pode surgir ao longo da vida devido a fatores como:

  • Febre reumática, também chamada de valvulopatia reumática;
  • Endocardite, que é um tipo de infecção no coração;
  • Degeneração das válvulas;
  • Calcificação das válvulas;
  • Doença inflamatória sistêmica;
  • Doença coronariana ou infarto;
  • Cardiomiopatia;
  • Arritmia;
  • Aneurisma da artéria aorta;
  • Sífilis;
  • Pressão alta;
  • Colesterol alto;
  • Diabetes. 

Esses fatores podem causar o fechamento incorreto das válvulas do coração ou o seu endurecimento, dificultando a passagem do sangue, podendo levar à insuficiência cardíaca.

Principais tipos

Existem vários tipos de valvulopatia que são classificados de acordo com a válvula afetada no coração:

1. Valvulopatia mitral

A valvulopatia mitral é a mais comum e surge devido a lesões na válvula mitral, que se localiza entre o ventrículo e o átrio esquerdo do coração. Os sintomas mais comuns desta doença podem ser sensação de falta de ar, tosse, fadiga, náuseas, palpitações e aparecimento de inchaço nos pés e pernas. 

2. Valvulopatia aórtica

A valvulopatia aórtica é uma lesão na válvula aórtica, localizada no lado esquerdo do coração, que permite a passagem de sangue entre o ventrículo esquerdo e a artéria aorta. Os sintomas da doença vão piorando ao longo do tempo, sendo que nas fases iniciais podem ser palpitações e falta de ar, enquanto nas fases mais avançadas pode surgir insuficiência cardíaca, dificuldade para respirar, perda de consciência, dor no peito e náuseas. 

3. Valvulopatia pulmonar

A valvulopatia pulmonar surge devido a lesões na válvula pulmonar que se localiza no lado direito do coração e que permite a passagem de sangue do coração para o pulmão. Esta doença é menos frequente e normalmente deve-se a defeitos cardíacos de nascença. 

Os sintomas da doença só surgem em estados avançados e podem ser inchaço das pernas, cansaço muscular, falta de ar ou parada cardíaca. 

4. Valvulopatia tricúspide

A valvulopatia tricúspide ocorre na válvula tricúspide localizada entre o ventrículo e o átrio direito que permite a passagem de sangue entre estes dois locais do coração. As valvulopatias tricúspides normalmente surgem devido a infecções como febre reumática ou endocardite e a hipertensão arterial pulmonar. 

Os sintomas mais comuns desta doença são aumento do peso, inchaço das pernas, dor de barriga, cansaço e, em casos mais avançados, sensação de falta de ar, palpitações e angina do peito. 

Valvulopatia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento de uma valvulopatia deve ser orientado pelo cardiologista e depende da gravidade da doença e dos sintomas, tendo como objetivo proteger a válvula cardíaca de mais danos, diminuir os sintomas ou reparar a válvula. 

Geralmente, o médico indica o uso de remédios como diuréticos, antiarrítmicos, betabloqueadores, vasodilatadores ou anticoagulantes, para melhorar os sintomas de inchaço, palpitações cardíacas ou falta de ar, por exemplo. No caso da valvulopatia ter sido causada por uma infecção, o médico também pode receitar antibióticos.

Além disso, em alguns casos, o médico pode indicar a realização de cirurgia para reparar ou substituir as válvulas afetadas, mesmo que a pessoa não apresente sintomas, para prevenir complicações. 

Cuidados durante o tratamento

Algumas medidas importantes durante o tratamento de uma valvulopatia são: 

  • Não fumar;
  • Manter o peso saudável;
  • Manter os níveis de glicose no sangue controlados e fazer o tratamento da diabetes recomendado pelo médico;
  • Fazer acompanhamento médico para controlar a pressão alta;
  • Evitar bebidas alcoólicas e cafeína;
  • Não usar drogas como cocaína ou anfetaminas;
  • Fazer exercícios físicos recomendados pelo médico;
  • Dormir pelo menos 8 a 9 horas por noite.

É ainda importante fazer acompanhamento com o cardiologista que também deve orientar mudanças na alimentação e a fazer uma dieta equilibrada e pobre em gorduras, açúcar ou sal. Confira a lista completa de alimentos que fazem bem ao coração.

Possíveis complicações

As complicações que uma valvulopatia pode causar são:

  • Insuficiência cardíaca;
  • Infarto;
  • Arritmia;
  • Parada cardíaca.

Além disso, uma valvulopatia pode aumentar o risco de formação de coágulos no sangue e o desenvolvimento de embolia pulmonar ou AVC.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SCHACHTER, Michael. Cardiac valvulopathy. Hosp Med. 66. 4; 228, 2005
  • HOLLENBERG, Steven M. Valvular Heart Disease in Adults: Etiologies, Classification, and Diagnosis. FP Essent. 457. 11-16, 2017
  • O'DONNELL, Anna; YUTZEY, Katherine E. Mechanisms of heart valve development and disease. Development. 147. 13; dev183020, 2020
  • HARB, Serge C.; et al. Mitral Valve Disease: a Comprehensive Review. Curr Cardiol Rep. 19. 8; 73, 2017
  • SIU, Samuel C.; SILVERSIDES, Candice K. Bicuspid aortic valve disease. J Am Coll Cardiol. 55. 25; 2789-800, 2010
  • RUCKDESCHEL, Emily; KIM, Yuli Y. Pulmonary valve stenosis in the adult patient: pathophysiology, diagnosis and management. Heart. 105. 5; 414-422, 2019
  • ASMARATS, Lluis; et al. Tricuspid valve disease: diagnosis, prognosis and management of a rapidly evolving field. Nat Rev Cardiol. 16. 9; 538-554, 2019
  • HUH, Joseph; BAKASEEN, Faisal. Heart valve replacement: which valve for which patient?. Curr Cardiol Rep. 8. 2; 109-16, 2006
Mais sobre este assunto: