Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para os diferentes tipos de amigdalite

O tratamento para amigdalite deve ser sempre orientado por um clínico geral ou otorrinolaringologista, uma vez que varia em função do tipo de amigdalite, que pode ser bacteriana ou viral, devendo neste caso ser tratada com diferentes tipos de remédios. Porém, na maioria dos casos o médico pode recomendar o uso de remédios para baixar a febre e aliviar a dor de garganta, como o paracetamol, por exemplo.

Durante o tratamento para amigdalite é importante tomar medidas que podem ajudar a reduzir os sintomas e auxiliar na recuperação do corpo, como beber bastante água, comer alimentos mais pastosos e mais gelados.

É importante seguir as recomendações do médico, pois em algumas situações a amigdalite pode ainda tornar-se crônica, podendo ser necessário um tratamento mais prolongado ou até mesmo precisar fazer uma cirurgia para retirar as amígdalas. Confira quando é indicada a cirurgia para amigdalite.

Tratamento para os diferentes tipos de amigdalite

1. Amigdalite bacteriana

Este é o tipo mais comum de amigdalite, que surge quando a garganta é infectada por bactérias, geralmente do tipo StreptococcusPneumococos, gerando sintomas como dor forte ao engolir e pus nas amígdalas. Nestes casos, pode ser necessário usar antibióticos, sendo os mais comuns a penicilina, amoxicilina ou cefalexina.

No entanto, existem algumas pessoas com histórico de reações de hipersensibilidade grave a estes medicamentos, chamados de betalactâmicos e por isso, nestas pessoas é necessário substituir estes medicamentos por azitromicina, claritromicina ou clindamicina.

Estes antibióticos devem ser usados até ao final da cartela ou durante o número de dias indicado pelo médico, mesmo que os sintomas já tenham desaparecido, para garantir que as bactérias sejam completamente eliminadas e não ganhem resistência ao remédio.

Além disso, o médico pode ainda receitar remédios analgésicos ou anti-inflamatórios, como o paracetamol ou o ibuprofeno, respectivamente, para aliviar o desconforto durante o tratamento, como a dor ao engolir ou a dor de cabeça. Vejas também alguns remédios caseiros que podem ajudar a aliviar os sintomas de amigdalite.

2. Amigdalite viral

Nos casos de amigdalite viral, não existe um remédio capaz de eliminar o vírus, como nos casos de infecção por bactérias, por isso cabe ao próprio corpo eliminar o vírus. Para facilitar esse trabalho, deve-se manter o repouso em casa, beber pelo menos 2 litros de água por dia e tomar suplementos com vitamina C, equinácea e zinco, que fortalecem o sistema imune.

Assim como na amigdalite bacteriana, o médico também pode indicar o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios, como o paracetamol ou o ibuprofeno, para reduzir a dor de cabeça e dor de garganta, facilitando a recuperação.

3. Amigdalite crônica

O tratamento para amigdalite crônica também é feito com o uso de remédios antibióticos, assim como com remédios analgésicos e anti-inflamatórios, devendo sempre retornar ao médico sempre que ocorrer uma recidiva.

Quando a amigdalite crônica surge, pode ser recomendada a cirurgia para retirada das amígdalas, que geralmente é feita com anestesia geral, mas a pessoa pode regressar a casa no mesmo dia. A recuperação desta cirurgia pode durar até 2 semanas e normalmente pode sentir-se dor durante esse tempo, por causa disso recomenda-se comer alimentos mais pastosos que são mais fáceis de engolir.

Assista ao vídeo seguinte e saiba o que comer durante o período de recuperação da cirurgia:

4. Amigdalite na gravidez

O tratamento para amigdalite na gestante é delicado e deve ser sempre avaliado pelo médico que deve verificar os seus benefícios e riscos. Não existe nenhum antibiótico que não tenha um potencial de risco para o feto, no entanto, aqueles que são mais seguros na gravidez são a penicilina e derivados, como a amoxicilina e a cefalexina, ou em caso de alergia, a eritromicina.

Durante o tratamento para amigdalite na gestante, a mulher deve manter repouso durante todo o tratamento e ingerir bastantes líquidos frios, além de tomar remédios para a febre, como o paracetamol, pois é o mais recomendado para mulheres grávidas.

5. Tratamento caseiro para amigdalite

Em qualquer caso de amigdalite, durante o tratamento é recomendado:

  • Repousar enquanto se tiver febre;
  • Beber cerca de 2 litros de água por dia;
  • Comer alimentos pastosos mornos ou frios;
  • Beber líquidos sem gás, para que não irrite mais a garganta.

Além disso, podem-se tomar sucos ricos em vitamina C que ajudam a fortalecer o sistema imune como o suco de laranja, abacaxi ou kiwi e é recomendado também beber chá de equinácea ao longo do dia, já que possui propriedades antimicrobianas e anti-inflamatória, ajudando a aliviar os sintomas de amigdalite. Confira outros benefícios da equinácea e saiba como usar.

Possíveis complicações

É importante consultar um clínico geral ou otorrinolaringologista caso apresente os sintomas de amigdalite e se confirmado o diagnóstico deve-se seguir as recomendações médicas, pois se não tratada adequadamente, a amigdalite pode provocar complicações como a febre reumática, que acontece principalmente em crianças e adolescentes, entre 5 a 15 anos, sendo que os sintomas desta condição surgem de 2 a 3 semanas após o inicio da amigdalite. Veja quais são os sintomas da febre reumática.

Além disso, a liberação de substâncias durante a amigdalite pode causar a escarlatina, que é uma doença que se caracteriza por sintomas como manchas vermelhas no corpo, pele áspera, presença de ínguas no pescoço, vômito e febre, por isso se esses sintomas surgirem é necessário procurar novamente o atendimento médico o quanto antes.

Bibliografia >

  • NATIONAL HEALTH SERVICE. Tonsillitis. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/tonsillitis/>. Acesso em 10 Fev 2020
  • STATPEARLS [INTERNET]. Tonsillitis. 2019. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK544342/>. Acesso em 10 Fev 2020
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OTORRINOLARINGOLOGIA E CIRURGIA CÉRVICO-FACIAL. Guideline IVAS Guideline IVAS Infecções das Vias Aéreas Superiores. Disponível em: <https://www.aborlccf.org.br/imageBank/guidelines_completo_07.pdf>. Acesso em 10 Fev 2020
  • PITREZ, Paulo M.C.; PITREZ, José L.B. Infecções agudas das vias aéreas superiores – diagnóstico e tratamento ambulatorial. J Pediatr (Rio J). Vol.79(Supl.1). S77-S86, 2003
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem