Amigdalite: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

Atualizado em maio 2023

A amigdalite é uma doença infecciosa que causa uma inflamação nas amígdalas, que são estruturas presentes no fundo da garganta e que têm como função defender o organismo contra infecções de bactérias e vírus.

Quando o sistema imunológico está mais comprometido, devido ao uso de medicamentos ou existência de doenças, é possível que vírus ou bactérias causem inflamação das amígdalas, levando ao surgimento de sintomas como dor de garganta, dificuldade para engolir e febre.

O tratamento da amigdalite, também chamada de amidalite ou tonsilite, é feito pelo otorrinolaringologista, e varia conforme sua causa, podendo ser indicado hidratação oral, uso de remédios anti-inflamatórios ou antibióticos para combater bactérias.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de amigdalite

Os principais sintomas de amigdalite são:

  1. Dor de garganta que dura mais de 2 dias;
  2. Dor ou dificuldade para engolir;
  3. Garganta vermelha e inchada;
  4. Febre e calafrios;
  5. Tosse seca irritativa;
  6. Dor de cabeça ou no pescoço;
  7. Perda do apetite;
  8. Mal estar e mau hálito;
  9. Ínguas no pescoço ou mandíbula;
  10. Alteração da voz;
  11. Dor de ouvido, em alguns casos.

Quando a amigdalite é causada por bactérias, podem ainda ser observados pontos brancos de pus na garganta, sendo importante a avaliação do otorrinolaringologista para que o tratamento com antibiótico seja iniciado. Conheça mais sobre a amigdalite bacteriana.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da amigdalite é feito pelo otorrinolaringologista ou clínico geral a partir da avaliação dos sintomas e observação da garganta.

Se apresenta sintomas de amigdalite, consulte um otorrinolaringologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Otorrinolaringologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Em alguns casos, principalmente quando é identificada a presença de pus, pode ser indicado pelo médico a realização de uma cultura de garganta, que é um exame que consiste na coleta de uma amostra de secreções da garganta, para identificar o tipo de bactéria responsável pela infecção, ajudando na adequação do antibiótico a utilizar.

Possíveis causas

A amigdalite é causada por infecções por vírus ou bactérias, que levam a uma inflamação das amígdalas, resultando nos sintomas.

Esses microrganismos podem ser transmitidos por meio da inalação de gotículas liberadas no ar ao tossir ou espirrar, além de também poderem ser transmitidos através do beijo e do contato com objetos contaminados.

Apesar de pouco frequente, a amigdalite pode ainda acontecer como consequência de uma infecção por fungos, sendo mais provável de acontecer em pessoas com o sistema imunológico mais comprometido.

Tipos de amigdalite

A amigdalite pode ser classificada em alguns tipos:

1. Amigdalite aguda

A amigdalite aguda é aquela em que os sintomas duram entre 3 a 5 dias, melhorando mesmo sem a realização de tratamento específico.

2. Amigdalite crônica

A amigdalite crônica é aquela em que os sintomas de amigdalite são mais duradouros e surgem de forma recorrente, ou seja, a pessoa desenvolve amigdalite com alguma frequência, sendo importante que o médico seja consultado para que seja realizado tratamento mais específico, que pode envolver a retirada das amígdalas para evitar a recorrência da inflamação.

3. Amigdalite bacteriana

A amigdalite bacteriana é a inflamação das amígdalas causada por bactérias, principalmente Streptococcus pyogenes. Conheça mais sobre a amigdalite bacteriana.

No entanto, também pode ser causada por bactérias como Streptococcus pyogenes, Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus aureus ou Haemophilus influenza.

Além disso, a amigdalite bacteriana também pode ser causada por sífilis, gonorreia ou clamídia.

4. Amigdalite viral

A amigdalite viral acontece devido à infecção por vírus, principalmente adenovírus, rinovírus, influenza, vírus sincicial respiratório e o coronavírus. Veja mais sobre a amigdalite viral.

Além disso, outras doenças virais podem causar amigdalite, como mononucleose infecciosa, citomegalovírus, rubéola, hepatite A ou HIV, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento da amigdalite deve ser feito com orientação do otorrinolaringologista e varia de acordo com sua causa.

No caso da amigdalite viral, o médico pode recomendar repouso, hidratação oral e uso de remédios anti-inflamatórios, como ibuprofeno ou paracetamol, por exemplo, para reduzir a dor na garganta e baixar a febre. 

Além disso, o gargarejo com água morna e sal, pode ajudar a aliviar os sintomas. Confira outras formas naturais de aliviar a amigdalite.

Já no caso da amigdalite bacteriana, o tratamento é feito com remédios antibióticos, geralmente da classe das penicilinas, como a amoxicilina. No entanto, no caso de alergia às penicilinas, co médico pode recomendar o uso de azitromicina ou cefalosporinas, por exemplo.

Nos casos mais graves, quando a amigdalite é recorrente, pode ser indicado pelo médico a realização de cirurgia para retirar as amígdalas. Veja como é a recuperação da cirurgia para retirar as amígdalas:

youtube image - TIREI AS AMÍGDALAS, O QUE COMER?

Opções de tratamento natural

Beber bastante água, aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina C e dar preferência ao consumo de alimentos líquidos ou pastosos também ajuda a controlar melhor a doença.

Além disso, um bom tratamento caseiro para amigdalite é fazer gargarejos com água morna e sal, 2 vezes por dia, pois o sal é antibacteriano e poderá auxiliar no tratamento clínico da doença. Confira alguns remédios caseiros para amigdalite.

Como prevenir

Para prevenir a amigdalite, é recomendado:

  • Evitar permanecer em ambientes fechados ou com muitas pessoas e com pouca circulação de ar por muito tempo, como shoppings ou academias;
  • Evitar o contato com pessoas que estejam com gripes ou resfriados;
  • Passar álcool gel nas mãos frequentemente;
  • Evitar tocar em superfícies e levar as mãos nos olhos, boca ou nariz; 
  • Evitar compartilhar objetos pessoais que possam estar em contato com gotículas de saliva ou secreções respiratórias, como talheres, copos e escovas de dentes;
  • Cobrir sempre o nariz e a boca ao tossir ou espirrar, utilizando um lenço descartável ou a roupa.

Além disso, deve-se lavar as mãos regularmente, utilizando água e sabonete neutro, por pelo menos 20 segundos antes de enxaguar, de forma a prevenir a amigdalite e evitar a transmissão da doença.