A equinácea é uma planta medicinal, também conhecida como flor-de-cone, púrpura ou rudbéquia, rica em alcamidas, flavonóides e polissacarídeos, com propriedades anti-inflamatórias, antialérgicas e imunomoduladoras, sendo, por isso, muito utilizada como remédio caseiro no tratamento de gripes e resfriados, aliviando a coriza e a tosse,

O nome científico desta planta é Echinacea spp. e as espécies mais conhecidas são Echinacea purpurea e Echinacea angustifolia, sendo que as partes normalmente utilizadas são a raíz ou a folha, que podem ser usadas na forma de chá, compressas ou cápsulas.

A equinácea pode ser encontrada em ervanárias, lojas de produtos naturais ou farmácias de manipulação, mas deve ser usada com orientação de um médico ou outro profissional de saúde que tenha experiência com o uso de plantas medicinais.

Para que serve

A equinácea apresenta vários benefícios para a saúde, sendo os principais:

1. Fortalecer o sistema imunológico

A equinácea é rica em alcamidas, polissacarídeos, glicoproteínas e derivados do ácido caféico, com ação anti-inflamatória e imunomoduladora, que ajudam a fortalecer o sistema imunológico, prevenindo e ajudando no combate de infecções do sistema respiratório, como gripes, resfriados, sinusite ou otite, por exemplo.

Além disso, essa planta medicinal também pode ajudar a combater infecções urinárias, ou pélvicas crônicas, assim como candidíase ou herpes labial.

2. Combater a inflamação

A equinácea possui propriedades anti-inflamatórias que ajudam a combater a inflamação e o inchaço, podendo ser útil para auxiliar no tratamento da dor de dente e gengiva, por exemplo.

3. Ajudar na cicatrização da pele

A equinácea possui ação anti-inflamatória e antibacteriana, podendo ser utilizada sobre a pele para acelerar a cicatrização de feridas superficiais ou ajudar a combater infecções da pele, como abscessos ou furúnculos.

Além disso, essa planta também pode ser usada em problemas de pele, como eczema, queimaduras ou intoxicações como picada de aranha ou cobra.

4. Diminuir a ansiedade

Alguns estudos [1,2] mostram que a equinácea possui substâncias na sua composição, como alcamidas, ácido rosmarínico e ácido caféico, com ação ansiolítica, por se ligarem aos receptores canabinóides no cérebro, ajudando a reduzir a ansiedade.

No entanto, ainda são necessárias mais pesquisas que comprovem esse benefício. Além disso, é importante ressaltar que a equinácea não substitui o tratamento para ansiedade indicado pelo médico. Veja como é feito o tratamento da ansiedade.

5. Ajudar a controlar a glicemia

Alguns estudos [3,4] feitos com células em laboratório, mostram que a equinácea possui substâncias na sua composição com propriedades hipoglicemiantes, por inibirem enzimas responsáveis pela digestão de carboidratos, o que ajuda a reduzir a quantidade de açúcar no sangue.

Além disso, a equinácea pode ajudar a deixar as células mais sensíveis aos efeitos da insulina, o que pode ser útil para controlar a diabetes.

No entanto, a equinácea não substitui o tratamento para diabetes indicado pelo médico, além de serem necessários estudos em humanos que comprovem esse benefício. Veja como é feito o tratamento da diabetes.

6. Auxiliar no combate ao câncer

Alguns estudos feitos [5,6] em laboratório com células de câncer de pâncreas e intestino mostram que o ácido chicórico presente na equinácea pode ajudar a diminuir a proliferação ou aumentar a morte de células desses tipos de câncer.

Entretanto, ainda são necessários estudos em humanos que comprovem esse benefício.

Como usar

As partes utilizadas da equinácea são as folhas, raízes e sementes, de onde são extraídas as substâncias com propriedades medicinais, geralmente para o preparo do chá, compressas ou cápsulas.

1. Chá de equinácea

O chá de equinácea é uma ótima opção para tomar em casos de gripe e resfriados, pois alivia os sintomas como tosse e coriza.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de raiz ou folhas de equinácea;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Colocar 1 colher de chá da raiz ou folhas da equinácea em uma xícara de água fervente. Deixar repousar por 15 minutos, coar e beber 2 vezes por dia. Conheça mais outras opções naturais para gripe e resfriado.

2. Compressas de equinácea

A equinácea também pode ser usada na pele, através da aplicação de uma pasta à base de raízes e folhas de equinácea.

Ingredientes

  • Folhas e raízes de equinácea;
  • Pano umedecido com água quente.

Modo de preparo

Amassar as folhas e raízes de equinácea, com a ajuda de um pilão, até formar uma pasta. Em seguida, deve-se aplicar na zona afetada com o auxílio de um pano umedecido com água quente.

3. Comprimidos ou cápsulas

A equinácea pode ser também encontrada na forma de cápsulas e comprimidos, em farmácias de manipulação ou lojas de produtos naturais, como é o caso de Enax ou Imunax, por exemplo.

A dose normalmente recomendada é de 300 mg a 500 mg, 3 vezes ao dia, porém deve-se consultar um médico ou fitoterapeuta para que seja orientada a dose correta, de forma individualizada. Veja mais sobre as indicações da equinácea em cápsulas.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o uso da equinácea são náusea, vômito, dor de estômago, diarréia, febre, dor de garganta, dor muscular, dor de cabeça, tontura, confusão, insônia ou e gosto desagradável na boca.

Podem ainda ocorrer reações alérgicas diversas, como coceira e agravamento de crises asmáticas.

Quem não deve usar

A equinácea não deve ser usada por crianças, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que tenham tuberculose, leucemia, doenças do colágeno, esclerose múltipla, ou doenças autoimunes, como artrite reumatóide, lupus ou psoríase.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em março de 2022.

Bibliografia

  • TSAI, Y-L.; et al. Cytotoxic effects of Echinacea purpurea flower extracts and cichoric acid on human colon cancer cells through induction of apoptosis. J Ethnopharmacol. 143. 3; 914-9, 2012
  • MANAYI, A.; et al. Echinacea purpurea: Pharmacology, phytochemistry and analysis methods. Pharmacogn Rev. 9. 17; 63-72, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • DRUGS.COM. ECHINACEA. 2020. Disponível em: <https://www.drugs.com/mtm/echinacea.html>. Acesso em 22 mar 2022
  • CHICCA, A.; et al. Cytotoxic effects of Echinacea root hexanic extracts on human cancer cell lines. J Ethnopharmacol. 110. 1; 148-53, 2007
  • CHRISTENSEN, K. B.; et al. Activation of PPARgamma by metabolites from the flowers of purple coneflower (Echinacea purpurea). J Nat Prod. 72. 5; 933-7, 2009
  • CHIOU, S-Y.; et al. Antioxidant, Antidiabetic, and Antihypertensive Properties of Echinacea purpurea Flower Extract and Caffeic Acid Derivatives Using In Vitro Models. J Med Food. 20. 2; 171-179, 2017
  • HALLER, J.; et al. The effect of Echinacea preparations in three laboratory tests of anxiety: comparison with chlordiazepoxide. Phytother Res. 24. 11; 1605-13, 2010
  • HALLER, J.; et al. The anxiolytic potential and psychotropic side effects of an echinacea preparation in laboratory animals and healthy volunteers. Phytother Res. 27. 1; 54-61, 2013
  • SHARIFI-RAD, Mehdi et al. Echinacea plants as antioxidant and antibacterial agents: From traditional medicine to biotechnological applications. Phytother Res. Vol.32, n.9. 1653-1663, 2018
  • LUENGO, M.T.L. Echinacea. OFFARM. Vol.24, n.1. 68-74, 2005
  • AGENCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITARIA. ENAX - Echinacea purpurea . Disponível em: <http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM[34048-1-0].PDF>. Acesso em 17 jan 2020
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.