7 principais problemas da coluna (e como tratar)

Revisão médica: Dr. Francisco Couto Valente
Ortopedista
janeiro 2022

Os problemas de coluna, como hérnia de disco, bico de papagaio ou hiperlordose, podem surgir na região cervical, lombar ou torácica da coluna, causando dor de costas na região afetada, que, em alguns casos, pode irradiar para outros locais como pernas, braços ou pescoço.

Geralmente, os problemas de coluna surgem com o envelhecimento natural do corpo, mas também podem ocorrer devido a má postura, excesso de peso, por falta de atividade física ou ser consequência de alterações congênitas. Veja outras causas de problemas na coluna.

É importante consultar o ortopedista sempre que existir suspeita de um problema na coluna, principalmente se estiver presente dor na coluna que não melhora e/ou outros sintomas, como sensação de ardência ou queimação nas pernas ou braços, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais indicado, que pode incluir o uso de remédios analgésicos, fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia.

Os principais problemas de coluna são:

1. Hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema que pode acontecer na região cervical, lombar ou torácica e surge quando um disco vertebral, localizado entre as vértebras da coluna, se desloca, saindo da posição correta, ou se rompe, o que acaba provocando compressão dos nervos da região. Entenda melhor como surge a hérnia de disco.

Geralmente, a hérnia de disco causa dor na coluna, que pode ser localizada ou irradiar para outros locais como pernas e braços. Além disso, dependendo da região na coluna afetada, podem surgir outros sintomas como sensação de queimação, formigamento ou sensação de fraqueza nos braços ou pernas.

Como tratar: o tratamento da hérnia de disco deve ser feito pelo ortopedista que pode indicar fisioterapia ou uso de remédios analgésicos e anti-inflamatórios, como paracetamol ou ibuprofeno, para ajudar a aliviar a dor e diminuir a inflamação. Nos casos mais graves, o médico pode ainda recomendar a cirurgia. Veja as principais opções de tratamento para hérnia de disco.

2. Bico de papagaio

Osteófitos em forma de bico de papagaio
Osteófitos em forma de bico de papagaio

O bico de papagaio, chamado cientificamente de osteofitose, é uma alteração que surge nas vértebras da coluna, em que ocorre a formação de novas estruturas ósseas nas bordas das vértebras, conhecidas como osteófitos, e que apresentam a forma de um gancho, semelhante ao bico do papagaio. 

O bico de papagaio pode causar sintomas como dor intensa nas costas ou formigamento nos braços ou na perna, e geralmente acontece devido ao envelhecimento normal da coluna ou à má postura ao longo dos anos, mas também pode ocorrer devido a outros problemas como hérnia de disco, artrose, escoliose ou artrite reumatóide, por exemplo.

Como tratar: o tratamento para bico de papagaio deve ser orientado pelo ortopedista, podendo ser indicado o uso de analgésicos, como paracetamol ou ibuprofeno, ou corticoides, para reduzir a dor e a inflamação. Além disso, a fisioterapia pode ser indicada para ajudar a fortalecer os músculos em volta das vértebras afetadas, e em alguns casos, pode ser necessária cirurgia. Entenda melhor como é feito o tratamento do bico de papagaio.  

3. Artrose na coluna

A artrose na coluna é uma doença, também conhecida como osteoartrite da coluna ou espondiloartrose, que ocorre devido a um desgaste da cartilagem das vértebras, podendo afetar diferentes regiões da coluna como a cervical ou a lombar.

Essa doença da coluna pode causar intensa dor nas costas que piora com o movimento, dificuldade de movimentar a região afetada da coluna ou sensação de formigamento ou de dormência nas pernas, nos braços ou no pescoço. 

Apesar de ser mais comum nos idosos, a artrose também pode afetar jovens e ser causada por acidentes, excesso de atividade física ou por levantar muito peso, por exemplo. 

Como tratar: o tratamento da artrose na coluna deve ser orientado pelo ortopedista e tem como objetivo promover o alívio dos sintomas. Desta forma, pode ser indicado o uso de remédios analgésicos, anti-inflamatórios, corticóides ou opióides, por exemplo. Além disso, o médico pode indicar fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia. Veja todas as opções de tratamento para a artrose na coluna.

4. Hiperlordose

A hiperlordose é uma curvatura mais acentuada da coluna para dentro, que pode acontecer tanto na região cervical como na lombar, e que pode causar dor ou desconforto no pescoço ou no fundo das costas.

Esse problema na coluna pode ser causado por má postura, sedentarismo, obesidade ou por um enfraquecimento muscular progressivo, chamado distrofia muscular. Além disso, a hiperlordose também pode surgir durante a gravidez, devido a alterações da curvatura da coluna e do centro de gravidade do corpo, fazendo com que a parte inferior das costas seja puxada para frente, enquanto o abdômen é projetado para fora.

O diagnóstico de hiperlordose é feito pelo ortopedista a partir da avaliação da postura e dos sintomas, além do exame de raio X.

Como tratar: o tratamento da hiperlordose é feito pelo ortopedista, que pode indicar a prática de atividades físicas, como natação ou pilates, para fortalecer os músculos do abdômen que dão sustentação à coluna. Também pode ser recomendado pelo médico o tratamento com fisioterapia ou recuperação postural global ou “RPG”. Confira outros tratamentos da hiperlordose

5. Hipercifose

A hipercifose, também conhecida como cifose ou “corcunda”, acontece quando a coluna apresenta uma curvatura acentuada para fora, fazendo com que o pescoço, ombros e cabeça fiquem muito inclinados para frente, e podendo causar dor nas costas, dificuldade para manter o corpo reto, e em alguns casos, dificuldade para respirar.

Esse problema na coluna pode ser causado por má postura, fraqueza dos músculos localizados ao lado da coluna e dos músculos abdominais, ou devido a acidentes ou quedas.

O diagnóstico da hipercifose é feito pelo ortopedista através da avaliação da curvatura da coluna e realização de exames de imagem, como raio-X.

Como tratar: o tratamento da hipercifose deve ser orientado pelo ortopedista, que pode indicar a prática de exercícios físicos, fisioterapia ou uso de colete ortopédico. Nos casos mais graves, o médico pode indicar cirurgia para corrigir o desvio da coluna. Entenda melhor como é feito o tratamento da hipercifose.

6. Osteoporose

A osteoporose é uma outra doença que pode afetar a coluna, e que ocorre quando os ossos da coluna se encontram mais fracos e frágeis devido a diminuição da massa óssea, devido a uma menor capacidade do corpo em metabolizar e absorver o cálcio da alimentação, um mineral essencial para a saúde dos ossos.

Essa doença é mais comum após os 50 anos e em mulheres, especialmente após a menopausa, aumentando o risco de fraturas na coluna.

A osteoporose é uma doença crônica que não apresenta sintomas, sendo descoberta em exames de rotina,  como raio X ou densitometria óssea, ou em casos de fraturas ósseas que ocorrem de forma espontânea. Saiba como identificar a osteoporose.

Como tratar: o tratamento da osteoporose deve ser feito de acordo com a orientação do clínico geral ou ortopedista, sendo normalmente indicado o uso de remédios que estimulam a produção de massa óssea, como os suplementos de cálcio e vitamina D. 

Além disso, pode-se fazer uma alimentação mais rica em cálcio e vitamina D, sob orientação de um nutricionista, para complementar o tratamento indicado pelo médico. Veja como fazer uma alimentação para osteoporose.

7. Escoliose 

A escoliose é um desvio lateral da coluna, em forma de C ou S, que afeta muitos jovens e adolescentes, levando ao aparecimento de alguns sintomas que podem ser percebidos ao longo do tempo e de acordo com a gravidade do desvio, como um ombro mais alto que o outro, um lado do quadril mais inclinado para cima ou dor muscular persistente. Entenda melhor o que é escoliose e como identificar.  

Essa alteração na maioria das vezes não tem causa conhecida, no entanto em alguns casos pode estar relacionada com a falta de atividade física, má postura ou com o fato de ficar muito tempo sentado ou deitado com a coluna torta, por exemplo.

O diagnóstico da escoliose é feito com exames como o raio X, que evidencia também o seu grau, e que são importantes para definir o melhor tipo de tratamento. 

Como tratar: dependendo do grau de desvio na coluna o médico pode recomendar exercícios físicos nos casos mais leves, como natação, fisioterapia ou uso de colete ortopédico. Já nos casos mais graves, em que há um grande desvio da coluna, a cirurgia normalmente é indicada. 

Assista o vídeo seguinte e saiba os exercícios que pode fazer em casa para ajudar a corrigir a escoliose:

Quando ir ao médico

É recomendado consultar o ortopedista, sempre que surgir dor constante na coluna para que possa ser avaliada e identificada a sua causa.

Outros sinais que podem indicar uma situação mais séria incluem:

  • Dor nas costas intensa, que não melhora com o uso de analgésicos e anti-inflamatórios;
  • Dificuldade em se movimentar;
  • Dor persistente ou que piora com o passar do tempo;
  • Dor na coluna que irradia para outras regiões do corpo;
  • Febre ou calafrios;
  • Acidentes que possam ter machucado a coluna;
  • Perda de mais de 5 kg em 6 meses, sem motivo aparente;
  • Dificuldade de controlar a urina e as fezes;
  • Fraqueza muscular.

Na consulta, além de avaliar os sintomas, o médico pode pedir a realização de alguns exames, como raio X ou ressonância magnética, para melhor determinar a causa. 

É importante dizer ao médico as características da dor, quando começou, o que se estava fazendo quando surgiu, se existe algum momento em que piora ou se existem outras áreas afetadas.

Como prevenir doenças da coluna 

Para prevenir problemas na coluna vertebral, é importante praticar exercícios físicos regularmente sob orientação profissional para fortalecer os músculos abdominais, que são importantes para dar sustentação à coluna, 

Além disso, deve-se ter uma boa postura sentado, deitado ou em movimento, e evitar levantar pesos de forma incorreta. 

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em janeiro de 2022. Revisão médica por Dr. Francisco Couto Valente - Ortopedista, em janeiro de 2022.

Bibliografia

  • KOELÉ, M. C.; et al. The Clinical Relevance of Hyperkyphosis: A Narrative Review. Front Endocrinol (Lausanne). 11. 5; 2020
  • SHAKIL, H.; et al. Scoliosis: review of types of curves, etiological theories and conservative treatment. J Back Musculoskelet Rehabil. 27. 2; 111-115, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • TU, K. N.; et al. Osteoporosis: A Review of Treatment Options. P&T. 43. 95-99, 2018
  • SÖZEN, Tümay; et al. An overview and management of osteoporosis. European Journal of Rheumatology. 4. 52-54, 2017
  • VIALLE, R.; et al. Lumbar hyperlordosis of neuromuscular origin: pathophysiology and surgical strategy for correction. Int Orthop. 31. 4; 513-23, 2007
  • BENZAKOUR, T.; et al. Current concepts for lumbar disc herniation. Int Orthop. 43. 4; 841-851, 2019
  • DYDYK, A. M.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Disc Herniation. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441822/>. Acesso em 06 jan 2022
  • ABDEL-AZIZ, M.; et al. Cervical osteophytosis and spine posture: contribution to swallow disorders and symptoms. Curr Opin Otolaryngol Head Neck Surg. 26. 6; 375-381, 2018
  • GELLHORN, A. C.; KATZ, J. N.; SURI, P. Osteoarthritis of the spine: the facet joints. Nat Rev Rheumatol. 9. 4; 216-24, 2013
Ortopedista
Médico ortopedista formado pela Faculdade Souza Marques em 2011, com CRM.RJ 52.92679-5 e Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia.

Tuasaude no Youtube

  • ESCOLIOSE - Exercícios para fazer em casa

    04:18 | 528713 visualizações
  • Ossos Fortes Sempre | Tati & Marcelle | Como tratar osteopenia e osteoporose

    09:05 | 174714 visualizações
  • O que fazer para aliviar a dor nas costas

    02:58 | 760546 visualizações
  • Alimentação rica em CÁLCIO

    02:16 | 232929 visualizações