Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Cifose (hipercifose), principais causas e como tratar

A cifose é um desvio na coluna que faz com que as costas fique em posição de "corcunda" e, em alguns casos, pode fazer com que a pessoa apresente o pescoço, ombros e cabeça muito inclinados para frente, passando a também ser denominado de hipercifose dorsal.

A hipercifose pode ser a única alteração grave da coluna, no entanto também pode acontecer como forma de compensar outras alterações posturais, como a lordose ou a escoliose. Por isso, é importante que cada caso seja avaliado pelo ortopedista pelo fisioterapeuta para que o tratamento seja feito de acordo com as características apresentadas pela pessoa.

A hipercifose tende a piorar com a idade se nenhum tratamento for realizado podendo haver dor nas costas, deformidade na coluna, e dificuldade de manter o corpo ereto e a cabeça voltada para cima ou para trás. Além disso, a cifose pode comprometer a respiração por diminuir a expansão pulmonar e a flexibilidade da coluna. 

O que é Cifose (hipercifose), principais causas e como tratar

Principais causas

De acordo com a causa, a cifose pode ser classificada em:

  • Congênita, quando o bebê já nasce com essa deformidade na coluna e a deformidade tende a piorar com o tempo, sendo muitas vezes necessária intervenção cirúrgica nos primeiros anos de vida;
  • Adquirida, quando acontece como consequência de doenças como osteomielite, osteoporose ou traumatismos, por exemplo; 
  • Postural, que acontece devido a maus hábitos posturais, sendo possível sua correção voluntária ao colocar-se de pé numa boa postura. O tratamento desta lesão é através da correção postural, fortalecimento muscular dos extensores e dieta no caso de excesso de peso.

Dessa forma, alguma das causas que podem favorecer a ocorrência de hipercifose congênita, adquirida ou postural são:

  • Problemas psicológicos, como baixa auto-estima ou depressão;
  • Maus hábitos posturais, como ficar sentado com corpo curvado à frente;
  • Falta de condicionamento físico que provoca fraqueza dos músculos paravertebrais, localizados ao lado da coluna e dos músculos abdominais; 
  • Traumatismo na coluna, devido a um acidente;
  • Fratura por compensação vertebral;
  • Devido a doenças como espondilite anquilosante, osteoporose senil ou tumores;
  • Defeitos congênitos, que podem estar associados a síndromes neurológicas. 

A hipercifose é mais comum no adolescente que cresceu muito rápido e está mais alto que seus colegas da mesma idade, provocando sentimentos como vergonha, e também nos idosos, devido a alterações ósseas, como artrite ou osteoporose, por exemplo.

Como é o diagnóstico

O diagnóstico da hipercifose é feito pelo ortopedista baseado principalmente na observação da curvatura da coluna, sendo necessário para isso que a pessoa fique de lado para que o médico consiga observar melhor se há alterações. Além disso, é normalmente solicitado pelo médico a realização de exames de imagem, como raio-X lateral para que seja verificado o ângulo de Cobb e, assim, se possa saber a gravidade da alteração.

O ângulo normal da cifose torácica varia entre 20-40 graus, não havendo consenso do valor absoluto, e há necessidade de tratamento quando existe mais de 50 graus de cifose. Para essa medida deve-se considerar o ângulo entre as vértebras C7 à T12. 

Como é feito o tratamento 

O tratamento da hipercifose deve ser direcionado de acordo com a sua gravidade, sendo necessário para isso realizar um exame de imagem para verificar o grau de alteração da curvatura da coluna. Dependendo da gravidade e da causa da hipercifose o tratamento pode ser realizado com fisioterapia e cirurgia, nos casos mais graves.

1. Exercícios gerais para cifose

Os exercícios físicos são recomendados para os casos de cifose leve, quando a pessoa apresenta dor ou desconforto no meio das costas, sendo observado que são ombros estão caídos à frente.

Nestes casos os exercícios mais indicados para corrigir a cifose são a natação, musculação ou a hidroginástica pois, ajudam a fortalecer os músculos das costas e melhorar o condicionamento físico. Veja também alguns exemplos de exercícios para melhorar a postura.

2. Fisioterapia para cifose 

A fisioterapia para cifose pode ser feita com medidas que trazem alívio da dor, como uso de compressas quentes e exercícios de alongamento, por exemplo. Além disso, técnicas de manipulação da coluna vertebral e exercícios específicos para cifose devem ser orientados pelo fisioterapeuta, de acordo com a necessidade de cada pessoa. 

Os melhores exercícios de cinesioterapia para cifose são RPG, reeducação postural global, e os exercícios de Pilates clínico e water pilates, isostretching e hidroterapia, orientados pelo fisioterapeuta. Estes alcançam excelentes resultados na correção da cifose e correção da postura. 

3. Cirurgia para cifose 

A cirurgia é particularmente indicada para pessoas que apresentam cifose congênita, que é quando a deformidade está presente desde o nascimento, normalmente associada a alguma síndrome genética. Também pode ser uma opção para pessoas que apresentam sintomas neurológicos ou dor no meio das costas, de forma persistente, tal como acontece na doença de Scheuermann, uma doença comum em adolescentes do sexo masculino, sempre que esta apresenta mais de 70 graus de cifose, porque quando o ângulo é menor o tratamento com a fisioterapia alcança ótimos resultados.

Cifose tem cura? 

​A cifose tem cura e pode ser alcançada através do tratamento, que deve ser feito de acordo com a sua gravidade, e que pode incluir sessões de fisioterapia, prática regular de exercícios, manutenção da boa postura, e nos casos mais graves, pode-se recorrer à cirurgia para colocar as vértebras alinhadas.

Além disso, o uso de colchões ortopédicos, coletes para postura e palmilhas feitas sob medida auxiliam no tratamento e são benéficos para se obter melhores resultados no tratamento. 

Bibliografia >

  • MONTEIRO, Sílvia M. R. C.. Alterações da curvatura da coluna vertebral: Influência da Fisioterapia, a nível neuromuscular . Tese de Mestrado, 2013. Instituto Politécnico de Lisboa - Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.
  • BARBIERI, Leandro G. et al. Revisão Integrativa sobre Hipercifose: Análise dos Tratamentos Fisioterápicos. Revista Pesquisa em Fisioterapia. 55-61, 2014
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem