Hematêmese: o que é, causas e o que fazer

junho 2022

A hematêmese é o vômito com sangue que ocorre devido a algum sangramento no estômago, esôfago ou duodeno, causado por alterações gastrointestinais como gastrite, úlceras estomacais ou esofágica, inflamação no duodeno ou ainda pode ocorrer devido à sangramento nasal ou irritação do esôfago, por exemplo.

Além disso, a hematêmese pode ocorrer devido a situações mais graves como cirrose ou câncer de esôfago, por exemplo, podendo estar associada com outros sintomas como dor abdominal, perda de peso sem motivo aparente ou dificuldade ou dor para engolir.

É importante consultar o clínico geral sempre que ocorrer hematêmese, especialmente se é constante ou frequente, ou acompanhada de outros sintomas, para que sejam realizados exames, identificada a causa e iniciado o tratamento mais adequado.

Principais causas

As principais causas de hematêmese são:

1. Engolir sangue

Engolir sangue é uma das principais causas de hematêmese e pode acontecer quando existe sangramento nasal. Nesses casos, é possível que o sangue seja involuntariamente engolido e a pessoa libera o sangue não digerido através do vômito.

Na maioria dos casos, a hematêmese devido ao sangramento nasal não é uma situação grave, no entanto, deve-se observar a quantidade de sangue eliminado e a frequência que o sangramento acontece.

O que fazer: como não corresponde a uma situação grave, não é necessário que a pessoa vá ao hospital para solucionar o sangramento e tratar a causa do vômito. No entanto, se o sangramento nasal é muito intenso, é frequente ou decorrente de fratura, por exemplo, deve-se consultar o clínico geral ou ir ao pronto-socorro para identificar a causa do sangramento nasal e realizar o tratamento mais adequado. Saiba como parar o sangramento nasal.

2. Gastrite

A gastrite também pode causar a hematêmese devido a irritação e inflamação frequente da mucosa gástrica pelo ácido produzido pelo estômago. Dessa forma, como consequência do aumento da acidez e da irritação local, podem surgir alguns sintomas como vômito com sangue, desconforto abdominal, sensação de queimação no estômago e náuseas.

Na maioria das vezes, a hematêmese está relacionada com a gastrite crônica, que é aquela em que a inflamação do estômago dura mais de 3 meses e cujo tratamento não é iniciado ou não é feito corretamente.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento da gastrite conforme orientado pelo gastroenterologista, que pode indicar o uso de remédios protetores gástricos, como o omeprazol ou o pantoprazol, por exemplo. Além disso, o médico pode recomendar mudanças nos hábitos alimentares, como evitar alimentos apimentados, gorduras, bebidas alcoólicas e frituras, pois também irritam a mucosa do estômago.

Assista o vídeo a seguir com dicas de alimentação saudável para gastrite:

3. Úlceras no estômago

A presença de úlceras no estômago também podem levar à hematêmese, e geralmente está relacionada à gastrite que não foi tratada, o que faz com que a mucosa gástrica fique irritada, levando à formação de feridas na parede do estômago. Assim, à medida que essas úlceras são irritadas pelo ácido estomacal, acontece o sangramento, resultando na hematêmese.

Além da hematêmese, a úlcera no estômago pode estar associada com outros sintomas como dor na boca do estômago, fezes mais escuras e com mau cheiro ou dor abdominal. Saiba identificar todos os sintomas de úlcera no estômago.

O que fazer: é recomendado consultar o clínico geral ou o gastroenterologista para que sejam feitos exames e possa ser iniciado o tratamento, que normalmente é feito por meio do uso de medicamentos que protegem a mucosa gástrica do ácido produzido no estômago, além de também ser recomendada mudança nos hábitos alimentares.

4. Esofagite

A esofagite é a inflamação do esôfago causada por infecções, refluxo gastroesofágico ou gastrite, que são condições que podem causar agressão na parede do esôfago e levar ao surgimento de hematêmese, além de outros sintomas como azia, gosto amargo na boca, dificuldade para engolir e dor de garganta, por exemplo.

O que fazer: o tratamento da esofagite deve ser feito com remédios indicados pelo clínico geral ou gastroenterologista, como o omeprazol, além de mudanças nos hábitos alimentares até que a esofagite esteja curada e não exista mais risco de haver inflamações. Saiba como identificar a esofagite e como deve ser o tratamento.

5. Varizes esofágicas

As varizes esofágicas são vasos sanguíneos dilatados no esôfago, geralmente, causados por aumento da pressão na veia principal do fígado ou coágulos no fígado que bloqueiam o fluxo sanguíneo normal, o que pode levar ao rompimento desses vasos sanguíneos, causando sangramento e hematêmese.

As varizes esofágicas são normalmente causadas por doenças no fígado, como cirrose ou trombose hepática, e além da hematêmese podem surgir outros sintomas como fezes escuras ou pretas, pele pálida ou amarelada, ou tontura, por exemplo.

O que fazer: deve-se procurar atendimento médico imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo para parar a hemorragia. Além disso, no caso de pessoas que já tem o diagnóstico de varizes esofágicas, o tratamento deve ser feito com orientação do gastroenterologista que pode indicar o uso de remédios como betabloqueadores ou vasodilatadores, para diminuir o risco ou para aliviar os sangramentos. Nos casos mais graves, pode ser recomendada cirurgia. Entenda como deve ser o tratamento para as varizes esofágicas.

6. Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e em direção à boca, causando dor e inflamação constante da parede do esôfago, e em casos graves, pode causar sangramento e hematêmese.

Além disso, o refluxo gastroesofágico pode levar ao surgimento de sintomas como azia, regurgitação dos alimentos, indigestão ou excesso de arrotos. Saiba identificar todos os sintomas do refluxo gastroesofágico.

O que fazer: o tratamento do refluxo gastroesofágico com remédios deve ser orientado pelo gastroenterologista, que pode indicar o uso de antiácidos, inibidores da produção de ácido, protetores gástricos ou aceleradores do esvaziamento gástrico, por exemplo. Veja todos os remédios indicados para o refluxo gastroesofágico.

7. Cirrose hepática

A cirrose hepática é a inflamação crônica do fígado, que leva à substituição das células saudáveis por uma cicatriz ou nódulos, fazendo com que a função do fígado fique prejudicada, e causando alterações que podem resultar na obstrução da veia portal, que é responsável pela drenagem do sangue proveniente dos órgãos abdominais. Como consequência da falha do fígado e do sistema portal, há aumento da pressão nas veias do esôfago, resultando em sangramentos.

Assim, em caso de cirrose, além da hematêmese, é possível que seja notada inchaço abdominal, perda de apetite, pele e olhos amarelados, náusea, fraqueza, cansaço excessivo e, em casos mais avançados, desnutrição.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento recomendado pelo hepatologista para evitar complicações e melhorar a qualidade de vida. Além disso, é importante também que sejam realizados exames para que identificar a causa da cirrose, que pode ocorrer por consumo de bebidas alcoólicas, hepatites virais ou até uso de medicamentos, por exemplo. Veja as principais causas da cirrose e como é feito o tratamento.

8. Efeito colateral de medicamentos

Alguns medicamentos podem ter como efeito colateral pequeno sangramento gastrointestinal, que pode ser percebido por meio da hematêmese, no entanto esse efeito colateral não é sentida por todas as pessoas.

Alguns dos medicamentos que podem ter como efeito colateral a hematêmese é a Aspirina e o Ibuprofeno, que são anti-inflamatórios, no entanto a hematêmese na maioria das vezes só acontece quando a pessoa já possui alguma alteração na mucosa do estômago ou quando faz uso desses medicamentos em grandes quantidades e sem indicação médica.

O que fazer: no caso de ter sido verificado que a hematêmese pode estar relacionada com o uso de determinado medicamento, é importante consultar o médico responsável pelo tratamento para que o medicamento possa ser suspenso ou trocado com segurança.

9. Câncer de estômago ou de esôfago

O câncer de estômago ou de esôfago é outra causa grave de hematêmese, sendo mais comum de acontecer nas fases mais avançadas do câncer. Além do vômito com sangue, podem surgir outros sintomas, como perda do apetite, dor na barriga frequente, perde de peso sem motivo aparente, fraqueza ou cansaço excessivo.

No caso de câncer de esôfago também podem estar presentes outros sintomas como dificuldade ou dor para engolir, presença de nódulos ao redor do umbigo e fezes escuras e com mau cheiro.

O que fazer: é importante consultar o gastroenterologista ou o oncologista para que sejam feitos exames que permitam a identificação do câncer e do estágio que se encontra, pois assim é possível indicar o tratamento mais adequado, que pode ser feito com cirurgia, quimioterapia ou radioterapia, por exemplo.

10. Síndrome de Mallory-Weiss

A síndrome de Mallory-Weiss é uma doença em que ocorre aumento repentino da pressão no esôfago, geralmente causado por vômitos frequentes, tosse intensa, ânsias de vômito ou soluços constantes, que podem causar feridas ou ruptura da mucosa da junção do estômago e esôfago, resultando em hematêmese, dor abdominal e dor no tórax.

O que fazer: deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo para estancar o sangramento, o que pode ser feito através de endoscopia, aplicando medicamentos diretamente na lesão, eletrocoagulação ou colocação de clip, por exemplo. No caso do sangramento não melhorar com a endoscopia, o médico pode recomendar cirurgia. Veja todas as opções de tratamento para a síndrome de Mallory-Weiss.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em junho de 2022.

Bibliografia

  • CHUANG, T. W.; CHEN, S. C.; CHEN, K. T. Current status of gastroesophageal reflux disease: diagnosis and treatment. Acta Gastroenterol Belg. 80. 3; 396-404, 2017
  • WUERTH, B. A.; ROCKEY, D. C. Changing epidemiology of upper gastrointestinal hemorrhage in the last decade: a nationwide analysis. Dig Dis Sci. 63. 1286–129, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • RAWLA, P.; DEVASAHAYAM, J. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Mallory Weiss Syndrome. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538190/>. Acesso em 22 jun 2022
  • AZER, S. A.; AKHONDI, H. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Gastritis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK544250/>. Acesso em 22 jun 2022
  • KAMBOJ, A. K.; et al. Upper Gastrointestinal Bleeding: Etiologies and Management. Mayo Clin Proc. 94. 4; 697-703, 2019
  • KHOURY, L.; et al. The Natural History of Hematemesis in the 21st Century. Cureus. 10. 7; e3029, 2018
  • KIM, B. S.; et al. Diagnosis of gastrointestinal bleeding: a practical guide for clinicians. World J Gastrointest Pathophysiol. 5. 467–478, 2014
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • Remédio caseiro para acabar com AZIA e QUEIMAÇÃO rápido

    12:46 | 657996 visualizações
  • Pare de sofrer com esofagite AGORA!

    07:47 | 340151 visualizações
  • REFLUXO GASTROESOFÁGICO - tratamento natural

    05:19 | 2571987 visualizações
  • Sintomas de problemas no fígado

    01:55 | 860324 visualizações
  • O que comer para aliviar os sintomas de Gastrite

    03:11 | 2156101 visualizações