Radioterapia: o que é, como funciona, tipos e efeitos colaterais

Janeiro 2022

A radioterapia é um tipo de tratamento contra o câncer que tem como objetivo destruir ou impedir o crescimento das células tumorais, por meio da aplicação de radiação concentrada, diretamente no tumor.

Esse tipo de tratamento pode ser usado sozinho ou juntamente com a quimioterapia ou cirurgia, dependendo do tipo de câncer e do grau de desenvolvimento.

Ao contrário da quimioterapia, a radioterapia não causa queda de cabelo, pois seus efeitos são sentidos principalmente no local do tratamento, embora possam variar também de acordo com o tipo e a quantidade de radiação utilizada.

Radioterapia: o que é, como funciona, tipos e efeitos colaterais

Quando é indicada

A radioterapia é indicada para tratar ou controlar o crescimento de tumores benignos ou de câncer, podendo ser utilizada antes, durante ou após o tratamento com cirurgia ou quimioterapia.

Além disso, este tipo de tratamento também pode ser usado apenas para aliviar os sintomas e conferir conforto em casos mais avançados de câncer, sendo nesse caso conhecida como "radioterapia paliativa".

Como funciona

A radioterapia tem como objetivo diminuir a taxa de multiplicação das células cancerígenas, o que pode ser feito através de diferentes técnicas que podem ser indicadas de acordo com a localização do tumor a ser tratado, sua extensão e estado geral de saúde da pessoa:

1. Radioterapia com feixe externo (teleterapia)

A radioterapia externa, também chamada de teleterapia, é feita com a pessoa deitada sob um aparelho que tem a radiação inicialmente direcionada para o corpo todo. Por isso, antes de iniciar a radioterapia externa, é feita uma avaliação médica para delimitar o local a ser tratado, o que é feito com uma tinta vermelha, que não deve ser removida após o procedimento, pois assim a pessoa consegue ser devidamente posicionada no aparelho.

Durante todo o procedimento, a pessoa deve permanecer imóvel, pois assim é possível garantir que a radiação não saia da área delimitada. De forma geral, as aplicações de teleterapia são feitas diariamente e duram de 10 a 40 minutos, e durante este período o paciente fica deitado e não sente nenhum incômodo.

2. Braquiterapia

Na braquiterapia, a radiação é enviada ao corpo através de aplicadores especiais, como agulhas, fios ou cateteres, que são colocados diretamente no local a ser tratado. Dependendo do tipo de tumor, pode ser necessário o uso de aplicadores diferentes, além de também poder ser indicada a sedação, que tem como objetivo evitar o desconforto no momento da colocação do aplicador.

Devido à necessidade de sedação, em alguns casos, pode ser indicado que a pessoa fique em jejum antes de realizar a braquiterapia.

Após a sedação, a pessoa é encaminhada para a sala de aplicação da radiação, devendo ser permanecer na posição mais adequada para a colocação dos aplicadores. No caso de tumores ginecológicos, por exemplo, a mulher deve ser posicionada em posição ginecológica, pois assim o aplicador é colocado em um local próximo ao tumor para que a radiação atue localmente.

De forma geral, a braquiterapia é indicada 1 a 2 vezes por semana.

3. Injeção de radioisótopos

Neste tipo de tratamento, um líquido radioativo é aplicado diretamente na corrente sanguínea do paciente, sendo normalmente usada em casos de câncer de tireoide.

Principais efeitos colaterais

Os efeitos colaterais dependem do tipo de tratamento utilizado, das doses de radiação, do tamanho e do local do tumor e da saúde geral do paciente, mas normalmente podem ocorrer:

  • Vermelhidão, ressecamento, bolhas, coceira ou descamação da pele;
  • Cansaço e falta de energia que não melhora mesmo com o repouso;
  • Boca seca e feridas na gengiva;
  • Problemas para engolir;
  • Náuseas e vômitos;
  • Diarreia;
  • Inchaço;
  • Problemas urinários e na bexiga;
  • Queda de cabelo, especialmente quando aplicada na região da cabeça;
  • Ausência de menstruação, secura vaginal e infertilidade em mulheres, quando aplicada na região da pélvis;
  • Impotência sexual e infertilidade em homens, quando aplicada na região da pélvis.

Em geral, essas reações começam durante a 2ª ou 3ª semana de tratamento, podendo durar até várias semanas após a última aplicação. Além disso, os efeitos colaterais são mais graves quando a radioterapia é feita juntamente com a quimioterapia. Conheça os efeitos colaterais da quimioterapia.

Cuidados durante o tratamento

Para aliviar os sintomas e efeitos colaterais do tratamento, deve-se ter alguns cuidados como evitar a exposição solar, usar produtos de pele à base de Aloe vera ou camomila e manter o local limpo e sem cremes ou hidratantes durante as sessões de radiação.

Além disso, pode-se falar com o médico para usar medicamentos que combatem a dor, as náuseas, os vômitos e a diarreia, o que ajuda a aliviar o cansaço e facilitar a alimentação durante o tratamento.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • INCA. Radioterapia. Disponível em: <https://www.inca.gov.br/tratamento/radioterapia>. Acesso em 28 Jan 2022
Mais sobre este assunto: