O que é a Síndrome de Mallory-Weiss, causas, sintomas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
março 2022

A síndrome de Mallory-Weiss é uma doença caracterizada pelo aumento repentino da pressão no esôfago, que pode acontecer devido a vômitos frequentes, tosse intensa, ânsias de vômito ou soluços constantes, resultando em dor abdominal ou no tórax e vômitos com sangue.

O tratamento da síndrome deve ser orientado pelo gastroenterologista ou clínico geral de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela pessoa e gravidade dos sangramentos, sendo muitas vezes necessário que a pessoa fique internada no hospital para que receba os cuidados adequados e sejam evitadas complicações.

Causas da síndrome de Mallory-Weiss

A síndrome de Mallory-Weiss pode acontecer como consequência de qualquer condição que aumente a pressão no esôfago, sendo as principais causas:

  • Bulimia nervosa;
  • Tosse profunda;
  • Soluços constantes;
  • Alcoolismo crônico;
  • Pancada forte no peito ou no abdômen;
  • Gastrite;
  • Esofagite;
  • Grande esforço físico;
  • Refluxo gastroesofágico.

Além disso, a síndrome de Mallory-Weiss pode também estar relacionada com a hérnia de hiato, que corresponde a uma pequena estrutura que é formada quando uma porção do estômago passa por um pequeno orifício, o hiato, no entanto mais estudos precisam ser realizados para confirmar que a hérnia de hiato é também uma das causas da síndrome de Mallory-Weiss. Conheça mais sobre a hérnia de hiato.

Principais sintomas

Os principais sintomas da síndrome de Mallory-Weiss são:

  • Vômito com sangue;
  • Fezes muito escuras e com cheiro fétido;
  • Cansaço excessivo;
  • Dor abdominal;
  • Náuseas e tonturas.

Estes sintomas também podem indicar outros problemas gástricos, como úlcera ou gastrite, por exemplo, e por isso é recomendado ir ao pronto-socorro para fazer uma endoscopia, diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado.

Como é o tratamento

O tratamento para a síndrome de Mallory-Weiss deve ser orientado por um gastroenterologista ou clínico geral e, normalmente, é iniciado em internamento no hospital para parar a hemorragia e estabilizar o estado geral do paciente. Durante o internamento pode ser necessário receber soro diretamente na veia ou fazer transfusões de sangue para compensar a perda de sangue e evitar que o paciente entre em choque.

Assim, depois de estabilizar o estado geral, o médico pede a realização de uma endoscopia para observar se a lesão do esôfago continua sangrando. Dependendo do resultado da endoscopia, o tratamento é adequado da seguinte forma:

  • Lesão sangrando: o médico utiliza um pequeno aparelho que desce pelo tubo de endoscopia para fechar os vasos sanguíneos danificados e parar a hemorragia;
  • Lesão que não sangra: o gastroenterologista receita remédios antiácidos, como omeprazol ou cimetidina, para proteger o local da lesão e facilitar a cicatrização.

A cirurgia para a síndrome de Mallory-Weiss só é utilizada nos casos mais graves, em que o médico não consegue parar o sangramento durante a endoscopia, sendo necessário fazer cirurgia para costurar a lesão. Após o tratamento, o médico pode ainda marcar várias consultas e outros exames de endoscopia para garantir que a lesão esteja cicatrizando corretamente.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2020.

Bibliografia

  • Yantiss, Rhonda. et al. Patologia de Diagnóstico: correlação anatomoendoscópica do trato gastrointestinal. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016. p. 20.
  • NATIONAL ORGANIZATION FOR RARE DISODERS. Mallory Weiss Syndrome. Disponível em: <https://rarediseases.org/rare-diseases/mallory-weiss-syndrome/>. Acesso em 10 fev 2020
Mostrar bibliografia completa
  • NCBI. Mallory Weiss Syndrome. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538190/>. Acesso em 10 fev 2020
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.