Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Causas de varizes esofágicas, sintomas e tratamento

As varizes esofágicas ocorrem quando os vasos sanguíneos do esôfago, que é o tubo que conecta a boca ao estômago, ficam muito dilatados podendo provocar sangramento pela boca. Essas varizes se desenvolvem por causa do aumento da pressão na veia principal do fígado, chamada de veia porta, e podem aparecer devido a doenças como cirrose hepática ou trombose no fígado, por exemplo.

Os sintomas das varizes esofágicas surgem normalmente quando os vasos sanguíneos do esôfago se rompem, podendo levar ao surgimento de vômito com sangue e fezes de cor preta. No entanto, mesmo que ainda não sofram com as varizes esofágicas, as pessoas que têm cirrose hepática e outros problemas no fígado possuem sinais e sintomas como barriga inchada, falta de ar ou inchaço excessivo das pernas.

O diagnóstico de varizes esofágicas é confirmado através de exames de imagem, como a endoscopia digestiva alta, e o tratamento indicado pelo gastroenterologista depende da gravidade da doença, sendo geralmente indicado o uso de remédios, cirurgia ou realização de transplante de fígado nos casos mais graves.

Causas de varizes esofágicas, sintomas e tratamento

Causas de varizes esofágicas

As varizes esofágicas surgem quando acontece uma obstrução do fluxo sanguíneo para o fígado, aumentando a pressão na principal veia deste órgão, conhecida como veia porta. Esse aumento de pressão faz com que as veias do esôfago fiquem dilatadas por causa do acúmulo de sangue, podendo provocar sangramentos. 

Esta condição pode ser causada por vários problemas do fígado, como excesso de gordura, uso exagerado e contínuo de álcool, hepatite C ou hepatite B, que é uma doença provocada por vírus e que pode ser transmitida por contato íntimo desprotegido ou através do uso de agulhas ou lâminas contaminadas. Veja o que fazer para prevenir a hepatite B.

Principais sintomas

As varizes esofágicas surgem quando os vasos sanguíneos do esôfago se rompem, podendo levar ao aparecimento de:

  • Vômito com sangue;
  • Fezes escurecidas ou pretas;
  • Tontura;
  • Pele pálida e amarelada;
  • Respiração ofegante;
  • Fraqueza.

Em casos mais graves, quando o sangramento pela boca é muito intenso, a pessoa pode perder a consciência devido a perda de sangue, e desta forma, é necessário chamar ambulância do SAMU, no telefone 192.

No entanto, mesmo que uma pessoa ainda não apresente as varizes esofágicas, pode ter outros sinais e sintomas de problemas no fígado que causam varizes esofágicas, como barriga inchada, falta de ar ou inchaço excessivo das pernas.

Como confirmar o diagnóstico

Alterar Sugestão 

O diagnóstico de varizes esofágicas deve ser feito por um clínico geral ou gastroenterologista, em que podem ser feitos exames de sangue, como o hemograma, testes da função do fígado e coagulograma, para verificar o tempo que o corpo demora para estancar um sangramento. Veja para que serve o coagulograma e como é feito.

A endoscopia digestiva alta é o exame usado para fazer a confirmação do diagnóstico de varizes esofágicas e é feito através da introdução de um tubo fino, flexível com uma pequena câmera acoplada para que seja possível visualizar a parede do esôfago e estômago e ver a origem do sangramento, dando assim o diagnóstico e podendo ser usada também como tratamento.

Causas de varizes esofágicas, sintomas e tratamento

Opções de tratamento

O tipo de tratamento utilizado para as varizes do esôfago depende da gravidade do problema no fígado e do tamanho destas varizes:

1. Remédios

Os remédios para varizes esofágicas mais utilizados incluem:

  • Remédios beta-bloqueadores, como propranolol ou nadolol, que reduzem a frequência cardíaca e, consequentemente, diminuem a pressão dentro das varizes;
  • Remédios vasodilatadores esplênicos, como vasopressina ou somatostatina, que diminuem drasticamente a pressão dentro das varizes, sendo, por isso, mais utilizados em situações de hemorragia.

Estes remédios são utilizados para diminuir o risco ou para aliviar os sangramentos em varizes grandes e, por isso, não curam as varizes esofágicas. Assim, o médico pode ainda recomendar outras opções de tratamento para serem utilizadas em conjunto com os remédios.

2. Endoscopia 

A endoscopia para varizes esofágicas, além de ajudar no diagnóstico, serve também para melhorar a dilatação das veias do esôfago, através da colocação de uma ligadura elástica em volta da varizes para coagular o sangue no local e reduzir o risco de um grande sangramento.

3. Cirurgia 

A cirurgia para varizes no esôfago, chamada de shunt hepático, é utilizada principalmente nos casos mais graves, em que não é possível controlar a pressão dentro das varizes apenas com medicação, e também pode ser indicada quando o sangramento no esôfago não é controlado com medicações e com a endoscopia.

Alimentação para varizes esofágicas

A alimentação para varizes esofágicas deve ser pobre em gorduras e com proteínas de fácil digestão, como peixe, carne branca ou vegetais, por exemplo, para facilitar o tratamento do problema no fígado. Veja outros alimentos da dieta indicada para problemas no fígado.

Além disso, devido à presença de varizes, é importante ter alguns cuidados com os alimentos como:

  • Dar preferência para alimentos pastosos, como mingaus, purês ou vitaminas, por exemplo;
  • Mastigar os alimentos em pequenas quantidades de cada vez;
  • Evitar alimentos muito duros, crocantes ou secos, como biscoitos, frutas secas ou coco;
  • Não comer alimentos muito quentes, deixando arrefecer cerca de 5 minutos, antes de comer.

Esses cuidados associados a redução do uso de bebidas alcoólicas são importantes para evitar lesões ou rompimento das varizes e, por isso, ajudam a diminuir o risco de hemorragia.

Bibliografia >

  • BMJ BEST PRACTICE. Varizes esofágicas. Disponível em: <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/815>. Acesso em 27 Fev 2020
  • STATPEARLS. Esophageal Varices. 2019. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448078/>. Acesso em 27 Fev 2020
  • YOSHIDA, Hiroshi et al. New methods for the management of esophageal varices. World J Gastroenterol. Vol.13, n.11. 1641-1645, 2007
  • UPTODATE. Patient education: Esophageal varices (Beyond the Basics). Disponível em: <https://www.uptodate.com/contents/esophageal-varices-beyond-the-basics/print>. Acesso em 02 Mar 2020
  • Yantiss, Rhonda. et al. Patologia de Diagnóstico: correlação anatomoendoscópica do trato gastrointestinal. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016. p. 18.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem