Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Principais causas e o que fazer para dor no estômago

A dor no estômago é um sintoma muito comum, que pode ter diversas causas, como a gastrite, sendo muitas vezes acompanhado por outros sintomas, como vômitos ou azia, por exemplo. A dor de estômago também pode ser causada pelo consumo de café em excesso, bebidas alcoólicas, comidas apimentadas, estresse, ansiedade e uso de medicações.

Quando a dor se mantém, o médico gastroenterologista deve ser consultado, pois pode ser necessário tomar remédios inibidores da produção de ácido, como omeprazol ou esomeprazol, remédios antieméticos, como a metoclopramida ou anti-espasmódicos, como o Buscopan. Veja mais remédios para gastrite.

Principais causas da dor no estômago

Outras causas comuns para dor no estômago são:

Principais causas e o que fazer para dor no estômago

1. Dor de estômago e gases

Estes são importantes sinais de má digestão, que podem estar ligados a complicações como a gastrite, por exemplo. Neste caso quando o bolo alimentar chega ao estômago encontra um ambiente hostil, que pode conter até mesmo a bactéria H. Pylori, dificultando a digestão e por isso o alimento pode permanecer horas e horas ainda no estômago causando os desconfortáveis arrotos. Veja como é feito o diagnóstico da H. pylori.

2. Dor de estômago e diarreia

Podem ser sintomas de gastroenterite, sendo recomendado beber muitos líquidos, como água, soro caseiro ou chá e tentar estimular o apetite com alimentos leves, como biscoito maisena, arroz branco ou fruta, por exemplo. Porém, caso surjam outros sintomas como febre, calafrios ou vômitos frequentes é recomendado ir ao pronto-socorro.

3. Dor de estômago após comer

Há suspeita de gastrite, úlcera ou refluxo, que provoca também a sensação de azia após comer ou quando se está deitado, sendo orientado consultar um gastroenterologista e tomar alguns cuidados, como elevar a cabeceira da cama, evitar deitar antes de 40 minutos após as refeições e evitar alimentos gordurosos, como frituras e embutidos, ou que aumentam a acidez do estômago, como leite de vaca, pimentão, tomate e milho, por exemplo. Saiba como identificar os sintomas de gastrite.

4. Dor de estômago e vômito

Geralmente, indica gastrite ou refluxo, mas também pode surgir noutras situações como intoxicação alimentar e, por isso, é importante ir ao pronto-socorro em caso de vômitos recorrentes.

5. Dor de estômago forte e constante

Pode ser sinal de problemas em outros órgãos, como a pancreatite ou colecistite e, por isso, deve-se ir ao pronto-socorro, especialmente quando a dor é incapacitante e de início súbito.

6. Dor de estômago após endoscopia

Este sintoma é normal porque, durante o exame, o médico coloca no tubo digestivo uma sonda que pode incomodar um pouco na garganta e no estômago, podendo causar desconforto durante algumas horas.

Porém, se a dor de estômago durar mais de 48 horas, a pessoa deve ser avaliada por um gastroenterologista, para se iniciar o tratamento adequado. Para aliviar os sintomas, pode-se tomar remédios antiácidos ou protetores gástricos, por exemplo. Em caso de vômito e sangramentos é recomendado procurar o pronto-socorro rapidamente.

7. Dor de estômago por tomar anti-inflamatórios

Após tomar remédios anti-inflamatórios, como Ibuprofeno, é comum haver dor de estômago porque este tipo de medicamento compromete a proteção do estômago, deixando suas paredes mais expostas à ação do ácido gástrico.

Para evitar a dor de estômago pode-se tomar um inibidor da produção de ácido, como o Omeprazol ou um antiácido como o Pepsamar, de forma a diminuir a dor e o desconforto. Estes remédios devem ser tomados em jejum para que tenham melhor efeito. Além disso, é importante não tomar o anti-inflamatório de estômago vazio, sendo mais indicado tomá-lo após as refeições ou comer uma fruta ou iogurte, por exemplo.

8. Dor de estômago na gravidez

A dor de estômago na gravidez é um sintoma muito frequente, que resulta das alterações hormonais e corporais da mulher. Neste caso, é recomendado que a grávida evite utilizar roupas muito apertadas ou comer muito nas refeições. Para aliviar a dor de estômago na gravidez, uma boa dica é tomar chá de erva cidreira, por exemplo.

​​Caso a dor de estômago não passe após estes cuidados, é importante informar o médico obstetra para que ele avalie a possibilidade de outras causas e indique a ingestão de algum medicamento, se necessário.

Principais causas e o que fazer para dor no estômago

O que fazer para aliviar a dor de estômago

O que se pode fazer para aliviar a dor de estômago é:

  • Afrouxar as roupas e repousar sentando ou recostado num ambiente tranquilo;
  • Tomar um chá de espinheira santa, que é uma ótima planta medicinal para tratar problemas estomacais;
  • Comer uma pera ou uma maçã cozida;
  • Comer um pedacinho de batata crua porque este é um antiácido natural, sem contraindicações;
  • Colocar uma bolsa de água morna na região do estômago para aliviar a dor;
  • Beber pequenos goles de água fria, para hidratar e facilitar a digestão.

O tratamento para dor no estômago deve ainda incluir uma dieta leve, à base de saladas, frutas e sucos de frutas, como melancia, melão ou mamão, evitando comer alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas. 

No entanto, quando a dor de estômago se torna persistente ao longo dos anos e se a dor estiver associada a perda de peso, vômitos ou fezes com sangue, deve-se procurar um médico porque estes sintomas podem indicar câncer de estômago. Saiba mais sobre o câncer no estômago.

Assista ainda o vídeo seguinte, para saber como deve ser a alimentação nos casos de gastrite.

Sinais de alerta para ir ao médico

É aconselhado ir ao médico gastroenterologista quando:

  • Dor no estômago é forte e persistente;
  • Se apresentar vômito com sangue;
  • Se as fezes estiverem pretas e com um cheiro muito intenso.

Estes sinais podem indicar uma hemorragia dentro do sistema digestório que precisa ser investigada e corretamente tratada. Veja como pode ajudar o médico a entender a sua dor.

Bibliografia >

  • DISPEPSIA FUNCIONAL: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO. 2018. Disponível em: <http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/03/881599/dispepsia-funcional-diagnostico-e-tratamento.pdf>. Acesso em 10 Mar 2020
  • JBM. Gastroenterites infecciosas. 2013. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/0047-2077/2013/v101n2/a3986.pdf>. Acesso em 23 Abr 2020
  • Longo, DL et al.. Harrison’s Principles of Internal Medicine. 19th ed. New York: McGraw-Hill, 2015.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem