Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

DST tem cura?

As doenças sexualmente transmissíveis, conhecidas como DST, são doenças que podem ser evitadas por meio de relações sexuais protegidas. Apesar de algumas DST possuírem cura com o tratamento correto, como a clamídia, gonorreia e a sífilis, por exemplo, outras não possuem cura e podem ser muito debilitantes, como no caso da AIDS, em que o sistema imunológico da pessoa fica extremamente enfraquecido, expondo-a a diversos agentes infecciosos.

O tratamento das DSTs é feito de acordo com a causa e podem ter objetivo de eliminar o agente causador, normalmente as bactérias, ou aliviar os sintomas, como no caso das doenças provocadas por vírus, como o herpes e o HPV, por exemplo, já que os antivirais não conseguem expulsar o vírus do organismo. Além disso é determinado pelo urologista, no caso dos homens, ou pelo ginecologista, no caso das mulheres.

Os sintomas variam entre homens e mulheres, mas, de uma forma geral, podem haver corrimentos, presença de bolhas ou feridas na região genital, e dor ou ardor ao urinar. Saiba quais são os sintomas de DST nos homens e os sintomas nas mulheres.

A melhor forma de prevenir uma DST é usar preservativo em todos os contatos íntimos, pois impede o contato direto entre os órgãos genitais, além de impedir o contato com o agente infeccioso.

DST tem cura?

Herpes genital

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível causada por vírus que ao entrarem em contato com a mucosa genital, provocam sintomas como feridas ou bolhas na região genital que contêm um líquido rico em vírus, além de dor e ardor ao urinar. Além de ser transmitido por meio do contato íntimo desprotegido, o herpes genital também pode ser transmitido por meio do contato direto com as bolhas ou feridas. Saiba como identificar os sintomas do herpes genital.

Essa DST não é tem cura, pois o vírus não consegue ser eliminado do organismo, mas os sintomas podem ser controlados com o uso de medicamentos antivirais, como Aciclovir ou o Valaciclovir, 2 vezes ao dia ou de acordo com a recomendação do urologista, no caso dos homens, ou ginecologista, no caso das mulheres. Saiba mais sobre o tratamento para herpes genital.

HPV

O HPV, também chamado de crista de galo, é uma DST provocada pelo Papiloma Vírus Humano que provoca a formação de verrugas na região genital, que não causam dor mas que são contagiosas, transmitindo o vírus de uma pessoa para outra. Veja como identificar o HPV.

O tratamento para o HPV é feito com objetivo de diminuir os sintomas e eliminar as verrugas, sendo normalmente feito com medicamentos capazes de aliviar os sintomas, diminuir as chances de transmissibilidade e impedir a evolução para o câncer, como o Podofilox, Retinoides e o Ácido tricloroacético. Saiba tudo sobre o tratamento para o HPV.

Tricomoníase

A tricomoníase é provocada pelo parasita Trichomonas sp., que pode infectar tanto homens quanto mulheres, causando sintomas como corrimento amarelo-esverdeado e com mau-cheiro nas mulheres, e coceira e sensação ao urinar ou durante a ejaculação. Saiba como diferenciar os sintomas da tricomoníase nos homens e na mulheres.

A tricomoníase, além de ser transmitida por meio do contato sexual desprotegido, também pode ser transmitida por meio do compartilhamento de toalhas úmidas, por exemplo. O tratamento é indicado pelo urologista ou pelo ginecologista e normalmente é feito com o uso de antibióticos, como Tinidazol ou Metronidazol, durante 5 a 7 dias. É recomendado que durante o tratamento a pessoa evite ter relações sexuais, já que a doença é facilmente transmissível. Entenda como tratar a tricomoníase.

Clamídia

A clamídia é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que normalmente é assintomática mas também pode causar sintomas como corrimento amarelado, no caso da mulher, além de dor e ardor ao urinar que também pode ser sentido no homem. Múltiplos parceiros sexuais, duchas vaginais com frequência e falta de proteção durante a relação sexual são fatores que podem aumentar as chances de infecção pela bactéria. Saiba quais são os sintomas e como ocorre a transmissão da Clamídia.

Essa doença tem cura se o tratamento for realizado conforme o indicado pelo médico e normalmente é feito com o uso de antibióticos por cerca de 7 dias, como a Azitromicina, por exemplo. O tratamento correto é capaz de eliminar a bactéria e, assim, evitar complicações como a Doença Inflamatória Pélvica e infertilidade. Entenda como é feito o tratamento para clamídia.

DST tem cura?

Gonorreia

A gonorreia é uma DST que tem cura com o tratamento adequado, que normalmente é feito antibióticos como Azitromicina e Ceftriaxona por 7 a 14 dias ou de acordo com a orientação médica. O tratamento com antibióticos é capaz de eliminar a bactéria causadora da doença, havendo remissão da doença. Mesmo que o parceiro sexual não apresente sintomas, é importante, também, que faça o tratamento para evitar que haja transmissão da doença. Saiba mais sobre o tratamento para a gonorreia.

Os sintomas da gonorreia normalmente surgem após 2 a 10 dias a contaminação e pode ser transmitido através do contato íntimo desprotegido, de mãe para o filho durante o parto e, mais raramente, por meio do uso de roupas íntimas e objetos contaminados. Veja como se pega e como saber se é gonorreia.

AIDS

A AIDS normalmente é transmitida por meio do contato sexual desprotegido, no entanto o vírus pode ser transmitido de pessoa para pessoa por meio de troca de agulhas ou contato com sangue de pessoas contaminadas. Os sintomas da AIDS podem surgir 3 a 6 semanas após o contato com o vírus HIV e incluem febre, mal estar e perda de peso. Saiba quais são os principais sintomas da AIDS.

O tratamento é feito por meio do uso de diversos medicamentos que atuam contra o vírus HIV, além de medicamentos que possam aumentar a imunidade da pessoa.

Sífilis

A sífilis é uma DST que, ao ser tratada corretamente e de acordo com a orientação médica, tem cura. O primeiro sintoma da sífilis é uma ferida na região genital que não sangra e não dói e que surge, normalmente, após o contato íntimo desprotegido com uma pessoa contaminada. Saiba quais são os sintomas da sífilis.

Quando a sífilis não é tratada corretamente, a doença pode evoluir, podendo ser classificada de acordo nos sintomas em:

  • Sífilis primária: é o estágio inicial da doença e é caracterizado pela presença de pequenas feridas avermelhadas, denominadas cancro duro, nos órgãos genitais;
  • Sífilis secundária: que é caracterizada pela presença de manchas rosadas ou acastanhadas na pele, boca, nariz, palma das mãos e planta dos pés. Além disso, pode haver comprometimento dos órgãos internos devido ao espalhamento da bactéria;
  • Sífilis terciária ou neurossífilis: ocorre quando a sífilis secundária não é tratada corretamente, levando a lesões maiores na pele, boca e nariz. Além disso, na sífilis terciária, a bactéria pode invadir o sistema nervoso central, atingindo as meninges e a medula espinhal e causando sintomas como perda da memória, depressão e paralisia, por exemplo. Saiba como identificar e tratar a neurossífilis.

O tratamento é feito normalmente com o uso de Penicilina G ou eritromicina, que são antibióticos capazes de eliminar o Treponema pallidum, que é a bactéria causadora da sífilis. Entenda como é feito o tratamento para a sífilis.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar