Remédios indicados para o tratamento da sífilis

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
maio 2022

O remédio mais eficaz para tratar a sífilis é a penicilina benzatina, que deve ser sempre administrada em forma de injeção e a dose varia conforme o estadiamento da doença. É importante que o tratamento seja feito conforme a orientação do médico para garantir a eliminação da bactéria e, assim, diminuir o risco de formas mais graves da doença.

Em caso de alergia a penicilina pode ser recomendado pelo médico o uso de outros antibióticos, como a ceftriaxona. Porém, a penicilina é o medicamento mais eficaz sendo sempre a primeira escolha.

Assim, antes de testar um outro antibiótico deve-se optar pela dessensibilização à penicilina para que o tratamento possa ser feito com este mesmo medicamento. A dessensibilização consiste em aplicar pequenas doses de penicilina até que o corpo possa não rejeitar esse medicamento.

O esquema de tratamento para sífilis deve ser feito de acordo com as orientações do médico, no entanto, de forma geral, é recomendado:

Fase da doençaDose de penicilinaOutros medicamentos
Sífilis primária1 injeção de penicilina benzatina de 2.400.000UI.

Doxiciclina, 100 mg 2x/dia por 15 dias (com exceção das gestantes) ou Ceftriaxona, 1g 1x/dia, 8 a 10 dias, via intravenosa ou intramuscular, para gestantes e não gestantes

Sífilis secundária1 injeção de penicilina benzatina de 2.400.000UI.Doxiciclina, 100 mg 2x/dia por 15 dias (com exceção das gestantes) ou Ceftriaxona, 1g 1x/dia, 8 a 10 dias, via intravenosa ou intramuscular, para gestantes e não gestantes
Sífilis terciária3 injeções de penicilina com 2.400.000 UI em locais diferentes do corpo, com intervalo de 7 dias cada doseDoxiciclina, 100 mg 2x/dia por 30 dias (com exceção das gestantes) ou Ceftriaxona, 1g 1x/dia, 8 a 10 dias, via intravenosa ou intramuscular, para gestantes e não gestantes
Neurossífilis

Injeções diárias de Penicilina G Cristalina, com intervalo de 4 horas, com 3 a 4 milhões de UI por 14 dias

Ceftriaxona, 1g 1x/dia por 10 a 14 dias

Sífilis congênita

- No caso de crianças com ou sem neurossífilis: Benzilpenicilina potássica 50 mil UI/kg, por via intravenosa, a cada 12 horas na primeira semana de vida e a cada 8 horas após a primeira semana de vida por 10 dias;

- No caso de criança sem neurossífilis: Benzilpenicilina procaína 50 mil UI/kg, por via intramuscular, 1x/dia por 10 dias;

- No caso de crianças nascidas de mães não tratadas ou tratadas inadequadamente e com testes laboratoriais normais/ não reagentes: Benzilpenicilina benzatina 50 mil UI/kg, por via intramuscular dose única

- Crianças diagnosticadas após 1 mês de vida: Benzilpenicilina potássica: 50 mil UI/kg, por via intravenosa, a cada 4 ou 6 horas por 10 dias

Não indicado

É importante que o tratamento não seja interrompido, mesmo que não existam mais sinais e sintomas, pois a bactéria pode não ser devidamente eliminada no organismo, resultando na sífilis latente, em que a bactéria permanece no corpo se multiplicando silenciosamente e podendo causar sífilis mais graves após alguns anos. Veja mais sobre as fases da sífilis.

No caso de gestantes com sensibilidade a penicilina, é indicada a realização da dessensibilização e tratamento com penicilina benzatina. No entanto, caso não seja possível realizar a dessensibilização durante a gravidez, o médico pode indicar o tratamento com Ceftriaxona, apesar de ser considerado pouco eficaz nessa situação, devendo o recém-nascido ser testado para sífilis após o nascimento com o objetivo de identificar precocemente a sífilis congênita.

Durante o tratamento para a sífilis, é recomendado que a pessoa realize teste para sífilis, como o VDRL, com o objetivo de avaliar a eficácia do tratamento. Entenda como é feito o VDRL.

Veja mais sobre a sífilis no vídeo a seguir:

Como é feita a dessensibilização à penicilina

A dessensibilização à penicilina é indicada em caso de alergia a este medicamento, especialmente em caso de tratamento para sífilis na gestação e tratamento para neurossífilis. Essa retirada da sensibilidade em relação à penicilina deve ser feita no hospital, sendo o uso de comprimidos, a forma mais segura.

Não há indicação para o uso de anti-histamínicos ou de esteroides, antes do uso da penicilina, uma vez que estes medicamentos não evitam a reação anafilática e podem mascarar seus primeiros sinais atrasando o tratamento.

Logo a seguir ao procedimento de dessensibilização deve-se iniciar o tratamento com penicilina. Se a pessoa passar mais de 28 dias sem ter nenhum contato com este medicamento, se necessário verificar novamente se há sinais de alergia e se estes estiverem presentes, deve-se iniciar novamente a dessensibilização.

Como saber se tem alergia à penicilina

O teste para saber se a pessoa é alérgica a penicilina consiste em esfregar uma pequena quantidade deste medicamento na pele e observar se o local apresenta algum sinal de reação como vermelhidão ou coceira. Se estes sinais estiverem presentes a pessoa tem alergia. Esse teste deve ser realizado por um enfermeiro em ambiente hospitalar e geralmente é feito na pele do antebraço.

Além disso, após a injeção de penicilina podem surgir sintomas como febre, calafrios, dor de cabeça, dor nos músculos e nas articulações, que podem surgir entre 4 a 24 horas após a injeção. Para controlar estes sintomas o médico poderá recomendar a toma de um analgésico ou antitérmico.

Quando a penicilina é contraindicada

O tratamento para sífilis não pode ser feito com penicilina em caso de síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica e dermatite exfoliativa. Nestes casos, o tratamento para sífilis deve ser realizado com outros antibióticos.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em maio de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • DOMINGUES, Carmen Silvia B.; DUARTE, Geraldo; PASSOS, Mauro R. L. Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: sífilis congênita e criança exposta à sífilis. Epidemiol. Serv. Saude. Vol 30. 1-15, 2021
  • BVS. Novas Recomendações: Qual é o tratamento alternativo para sífilis primária na impossibilidade do uso de penicilina?. Disponível em: <https://aps-repo.bvs.br/aps/novas-recomendacoes-qual-e-o-tratamento-alternativo-para-sifilis-primaria-na-impossibilidade-do-uso-de-penicilina/>. Acesso em 09 mai 2022
Mostrar bibliografia completa
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Esquema terapêutico para sífilis e controle de cura. 2017. Disponível em: <https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201703/16152016-4-5-7-esquema-tto-sifilis.pdf>. Acesso em 09 mai 2022
  • CDC. 2015 Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines: Syphilis. Disponível em: <https://www.cdc.gov/std/tg2015/syphilis.htm>. Acesso em 28 mai 2019
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • Tudo que precisa saber sobre SÍFILIS

    08:49 | 95141 visualizações