Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

Janeiro 2020

Os arrotos, também chamados de eructação, acontecem devido ao acúmulo de ar no estômago e é um processo natural do corpo. Entretanto, quando os arrotos se tornam constantes pode ser sinal de alguma situação específica como engolir muito ar, que pode ocorrer quando uma pessoa respira muito pela boca, conversa durante a refeição e tem o hábito de mastigar chicletes.

Algumas doenças também podem levar ao surgimento de arrotos constantes como refluxo gastroesofágico, úlcera gástrica e hérnia hiatal e, nestes casos, outros sintomas como dor e queimação no estômago e regurgitação podem estar associados.

Geralmente, é possível diminuir a quantidade dos arrotos com mudança de hábitos, como evitar tomar bebidas gaseificadas, no entanto, se isto persistir e, se junto com esses arrotos surgirem outros sintomas, é necessário consultar um médico gastroenterologista para analisar as causas e indicar o melhor tratamento.

Algumas doenças e situações podem estar relacionadas com a ocorrência de arrotos constantes, como:

1. Refluxo gastroesofágico

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

O refluxo gastroesofágico é uma doença que ocorre quando o conteúdo do estômago retorna para o esôfago e para a boca, levando à sensação de queimação, azia, dor no tórax e gosto amargo na boca, devido à acidez do suco gástrico. Muitas vezes, pessoas com este tipo de doença também apresentam arrotos constantes, pois o movimento do retorno do conteúdo do estômago para o esôfago, produz muito ar. 

O que fazer: o suco gástrico é um líquido muito ácido e ao retornar para o esôfago pode provocar lesões e úlceras, por isso ao aparecer esses sintomas é importante consultar um médico gastroenterologista que poderá pedir exames como endoscopia digestiva, phmetria ou raio X, e depois, indicar o tratamento que pode envolver medicamentos que inibem a produção de ácido, antiácidos, remédios que ajudam a regular a motilidade do estômago e protetores gástricos, por exemplo. Veja mais como é feito o tratamento para refluxo gastroesofágico.

2. Hérnia hiatal

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A hérnia hiatal, ou hérnia de hiato, provoca sintomas como azia, queimação, sabor amargo na boca e arrotos frequentes e pode ser causada pela obesidade, tosse crônica ou excesso de atividade física que exige muita força. Esta condição ocorre devido a uma dilatação da região de entrada do estômago, permitindo o retorno de suco gástrico para o esôfago, levando o aparecimento dos sintomas.

O que fazer: os sintomas da hérnia hiatal são muito parecidos aos de outras doenças, por isso é necessário consultar o médico gastroenterologista para avaliar as causas através de exames e para recomendar o tratamento, que na maioria das vezes, consiste no uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como antiácidos e protetores gástricos, e alguns casos, é indicada a cirurgia de correção da hérnia. Veja outros sintomas da hérnia de hiato e qual o tratamento indicado.

3. Alguns tipos de alimentos

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A ingestão de certos alimentos pode favorecer o aparecimento de arrotos constante e flatulência, pois durante sua digestão, produzem muito ar no estômago e no intestino. Alguns destes alimentos podem ser legumes, como ervilha e feijão, vegetais verdes, como o brócolis, couve e repolho. 

O uso de balas e goma de mascar também causam arrotos constantes pois levam a pessoa a ingerir uma elevada quantidade de ar, além de contribuir para o aumento da produção do suco gástrico.

O que fazer: pessoas que sentem desconforto porque têm arrotos com muita frequência, devem reduzir o consumo de alimentos cuja digestão produz muitos gases e evitar o uso de goma de mascar.

4. Úlcera gástrica

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A úlcera gástrica, ou úlcera no estômago, é um tipo de ferida que se forma na parede interna do estômago e provoca sintomas como dor, queimação, náuseas e arrotos frequentes. Este tipo de doença pode ser causada pelo uso excessivo de medicamentos, como anti-inflamatórios e antibióticos, ou pela ingestão exagerada de alimentos muito ácidos e bebidas alcoólicas.

Existem vários graus desta doença, por isso, quando aparecem os primeiros sintomas é importante consultar o gastroenterologista que poderá indicar a realização de endoscopia, para verificar se existe uma infecção pela bactéria H. pylori ou algum sangramento no estômago.

O que fazer: para aliviar os sintomas da úlcera gástrica é indicado fazer uma dieta balanceada, recomendada por um nutricionista, que seja rica em vegetais, frutas, leites desnatados e carnes magras e não se deve ficar muito tempo em jejum para que o suco gástrico não agrida o estômago. O tratamento medicamentoso é indicado pelo médico e consiste no uso de medicamentos que reduzem a acidez estomacal.

5. Bebidas gaseificadas e fermentadas

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A ingestão de bebidas gaseificadas e fermentadas, como refrigerante e a cerveja, principalmente com auxílio de canudo, faz com que o estômago se encha de ar, provocando os arrotos constantes. Essas bebidas têm um alto teor de açúcar e gás carbônico na sua composição e, durante a digestão, provocam o aumento de ar no estômago e por causa do excesso de açúcar podem levar ao aparecimento de doenças, como a diabetes.

O que fazer: a ingestão de refrigerantes deve ser evitada, pois desta forma, é possível reduzir os arrotos constantes e diminuir o risco de desenvolver outras doenças. Entenda melhor porque o refrigerante faz mal à saúde.

6. Intolerância à lactose

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A intolerância à lactose ocorre porque o corpo não consegue digerir o açúcar presente no leite e nos produtos lácteos, como os queijos e os iogurtes. Geralmente, os sintomas desta condição aparecem logo depois da ingestão de produtos derivados do leite e podem ser cólicas abdominais, arrotos constantes, inchaço na barriga e flatulência.

Para confirmar o diagnóstico é necessário consultar um médico gastroenterologista que poderá solicitar exames de sangue, de fezes, ultrassom ou, em casos mais graves, biópsia de intestino.

O que fazer: após a confirmação do diagnóstico o médico poderá indicar o uso de medicamentos à base de enzima lactase e recomendar o acompanhamento com um nutricionista, que vai estabelecer uma dieta com alimentos que poderão substituir os produtos que contém leite. Veja mais sobre os alimentos que se deve comer na intolerância à lactose.

7. Aerofagia

O que pode ser arrotos constantes e o que fazer

A aerofagia é o ato de engolir o ar, e isto acontece no momento da mastigação dos alimentos, durante a fala ou no ato de respirar pela boca. Os arrotos constantes podem ser causados quando este processo acontece em excesso, que pode ser por causa do uso de gomas de mascar, próteses dentárias mal ajustadas ou quando o nariz está entupido por muito tempo.

Além disso, pessoas que comem muito rápido ou que possuem algum problema de saúde que prejudica a respiração, como carne no nariz, podem engolir mais ar do que o normal. Veja mais sobre as causas de carne no nariz e qual tratamento.

O que fazer: é importante descobrir a causa da aerofagia, sendo que, em alguns casos, pode ser indicado sessões de fonoaudiologia para ajudar a melhorar os movimentos de respiração e deglutição, por exemplo.

O que fazer para melhorar

A maioria das pessoas que apresentam arrotos constantes não sofrem de nenhuma condição de saúde grave e, nestas situações, é preciso mudar alguns hábitos como evitar mascar chicletes, falar com a boca cheia ou ingerir refrigerantes. Alguns remédios caseiros podem auxiliar na diminuição deste sintoma, como o chá de boldo. Confira outros remédios caseiros que podem ser usados para reduzir os arrotos.

Entretanto, quando este sintoma é acompanhado de dor no estômago, sensação de queimação, azia, náuseas e vômitos, é necessário consultar um médico gastroenterologista para indicar o tratamento mais adequado. E ainda, se além dos arrotos constantes a pessoa apresentar sangue nas fezes, perda de peso sem explicação e febre, recomenda-se procurar atendimento médico o quanto antes, pois pode ser sinal de outras doenças.

Bibliografia >

  • AMERICAN COLLEGE OF GASTROENTEROLOGY . Belching, Bloating, and Flatulence. Disponível em: <https://gi.org/topics/belching-bloating-and-flatulence/>. Acesso em 09 Dez 2019
  • HARVARD UNIVERSITY. By the way, doctor: What can I do about excessive belching and feeling full?. Disponível em: <https://www.health.harvard.edu/staying-healthy/what-can-i-do-about-excessive-belching-and-feeling-full>. Acesso em 09 Dez 2019
  • DISNEY, Benjamin; TRUDGILL, Nigel. Managing a patient with excessive belching. Frontline Gastroenterol. Vol.5. 79-83, 2014
  • BMJ BEST PRACTICE. Hérnia de hiato. Disponível em: <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/735?locale=it>. Acesso em 09 Dez 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem