Ultrassom com doppler: o que é, para que serve e quando fazer

Revisão médica: Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
outubro 2021

O ultrassom com doppler, também chamado de ecografia com doppler ou eco-doppler colorido, é um exame de imagem que permite avaliar o fluxo de sangue dos vasos sanguíneos ou artérias em um determinado órgão ou região do corpo, como pernas, braços, pescoço ou tireóide, por exemplo. 

Esse exame pode ser solicitado pelo médico em casos de suspeita de estreitamento, dilatação ou obstrução de um vaso sanguíneo, como nos casos de trombose, aneurismas ou varizes, por exemplo, mas também pode ser indicado durante a gravidez, para verificar se o fluxo sanguíneo da mãe para o feto ocorre de forma adequada.

O ultrassom com doppler é feito pelo médico em clínicas de imagem ou no hospital, sendo disponível gratuitamente pelo SUS ou incluído em planos de saúde. 

Para que serve

Algumas das principais situações em que é indicado fazer um ultrassom com doppler colorido são:

  • Estudar o funcionamento do fluxo sanguíneo de artérias e veias;
  • Detectar tromboses venosas ou arteriais;
  • Diagnosticar e avaliar varizes;
  • Medir o fluxo sanguíneo da mãe para o feto, através da placenta, durante a gravidez;
  • Identificar aneurismas ou dilatações dos vasos sanguíneos;
  • Identificar estreitamentos ou obstruções nas veias e artérias.

As ondas sonoras geradas durante o exame produzem a imagem colorida diretamente para a tela de computador do aparelho, de forma que o médico consegue visualizar se há alterações. 

Como é feito

Assim como o exame de ultrassom comum, o ultrassom com doppler é realizado através de um aparelho capaz de emitir ondas sonoras, que atingem os glóbulos vermelhos do sangue, que estão em movimento, e retornam como um eco, que é convertido em imagens. O doppler é o adicional capaz de identificar e visualizar o fluxo de sangue no local. Saiba mais sobre os principais tipos de ultrassom e quando são indicados. 

O ultrassom com doppler é simples, não causa dor, nem desconforto necessitando apenas permanecer deitado na maca enquanto o médico realiza o exame, aplicando uma fina camada de gel na pele da região a ser analisada e posicionando o transdutor em cima deste gel, deslizando o aparelho pela pele. Este aparelho irá gerar imagens coloridas que podem ser vistas num computador e deverão ser analisadas pelo médico. Após terminar o exame, o médico retira o gel com um papel toalha e a pessoa pode ir para casa.

Quando fazer

O ultrassom com doppler colorido é feito quando o médico necessita avaliar o fluxo de sangue dentro dos vasos sanguíneos e pode ser realizado em várias regiões do corpo que incluem:

1. Ultrassom com doppler das pernas

O ultrassom com doppler das pernas, também chamado de eco-doppler dos membros inferiores, é indicado para identificar varizes, trombose, estreitamento dos vasos sanguíneos, para avaliar a circulação sanguínea antes de uma cirurgia da região ou mesmo avaliar a presença de sintomas de insuficiência venosa ou arterial, também chamados de má circulação. Entenda o que pode causar a má circulação e os principais sintomas

2. Ultrassom com doppler nos braços

Esse tipo de ultrassom com doppler, também chamado de eco-doppler dos membros superiores, é indicado para identificar a presença de trombose nos vasos sanguíneos dos braços, que pode se soltar e ir para os pulmões, causando o surgimento de embolia pulmonar, por exemplo. 

3. Ultrassom obstétrica com doppler

O ultrassom obstétrica com doppler, também conhecido como doppler fetal, é indicado pelo obstetra, e serve para avaliar os vasos sanguíneos e a velocidade do fluxo de sangue do cordão umbilical e da placenta para o feto, observando se há alguma alteração nesse fluxo sanguíneo, além da oxigenação e batimentos cardíacos do feto.

Este exame costuma ser feito no terceiro trimestre da gestação, entre 32 a 36 semanas, sendo especialmente necessário caso o médico suspeite de alguma alteração provocada por situações como crescimento abaixo do esperado, diabetes materna, alteração da quantidade do líquido amniótico, gestação de gêmeos ou diminuição da movimentação do feto, por exemplo. 

4. Ultrassom com doppler da tireoide

O ultrassom com doppler da tireoide pode ser indicado pelo endocrinologista para avaliar as características dos vasos sanguíneos da tireoide, de forma a ajudar a programar punções. Também é útil para identificar características de malignidade de um nódulo, já que a presença de excesso de vasos sanguíneos pode ser mais um dos indícios de nódulo suspeito. Confira quando o nódulo da tireoide pode ser câncer

5. Ultrassom com doppler de carótidas

As carótidas são artérias que levam sangue do coração ao cérebro, e quando sofrem alguma alteração, como obstrução ou estreitamento, podem provocar sintomas como tontura, desmaios ou, até, provocar um AVC.

Por isso, o ultrassom com doppler de carótidas é indicado pelo médico quando há suspeita destas alterações, para avaliar o risco de AVC e também em pessoas que sofreram um AVC, para ajudar a identificar a causa. Veja outras situações em que o doppler de carótida é indicado.

6. Ultrassom com doppler de artérias renais

O ultrassom com doppler das artérias renais é indicado pelo nefrologista para estudar o fluxo das artérias dos rins, buscando identificar estreitamentos ou obstruções desses vasos, que são causas de hipertensão arterial de difícil controle. 

Também podem ser indicados para buscar causas de alterações nos rins, como diminuição do tamanho, suspeita de aneurismas ou deformidades. 

7. Ultrassom com doppler da aorta

O ultrassom com doppler da aorta é indicado para avaliar a presença de dilatações ou de aneurisma na artéria aorta, que geralmente estão relacionados ao colesterol alto, doenças cardíacas ou hábito de fumar.

Esse tipo de doppler também é útil para investigar uma dissecção na aorta, que é uma grave complicação causada pelo descolamento de suas paredes, ou mesmo para observar a presença de placas de aterosclerose que podem causar obstrução da aorta.

Além disso, o ultrassom com doppler da aorta é muito importante para programar a cirurgia de correção da aorta, caso indicada pelo médico. Confira como identificar o aneurisma de aorta e como tratar

Como se preparar para o ultrassom com doppler

O exame de ultrassom com doppler geralmente não necessita de cuidados especiais ou  jejum, exceto nos exames realizados na região abdominal, como doppler de aorta ou das artérias renais.

Nestes casos, deve-se evitar o consumo de alimentos gordurosos, laticínios ou bebidas com gás no dia anterior ao exame, e realizar um jejum absoluto de pelo menos 8 horas antes do exame. Além disso, pode ser recomendado pelo médico o uso de remédio laxantes e para gases, com o objetivo de limpar o intestino e diminuir a formação de gases que podem interferir no exame.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em outubro de 2021. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em março de 2018.

Bibliografia

  • ALEXANDER, L. F.; et al. Thyroid Ultrasound: Diffuse and Nodular Disease. Radiol Clin North Am. 58. 6; 1041-1057, 2020
  • CANNELLA, R.; et al. Color Doppler Ultrasound in Portal Hypertension: A Closer Look at Left Gastric Vein Hemodynamics. J Ultrasound Med. 40. 1; 7-14, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • GARCÍA, Carriazo M.; et al. Doppler ultrasound study and venous mapping in chronic venous insufficiency. Radiologia. 58. 1; 7-15, 2016
  • ALFIREVIC, Z.; STAMPALIJA, T.; MEDLEY, N. Fetal and umbilical Doppler ultrasound in normal pregnancy. Cochrane Database Syst Rev. 4. CD001450, 2015
  • BODDI, M. Renal Ultrasound (and Doppler Sonography) in Hypertension: An Update. Adv Exp Med Biol. 956. 191-208, 2017
  • HAMELMANN, P.; et al. Doppler Ultrasound Technology for Fetal Heart Rate Monitoring: A Review. IEEE Trans Ultrason Ferroelectr Freq Control. 67. 2; 226-238, 2020
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886.