Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é ecodoppler, principais tipos e para que serve

Dezembro 2019

O ecodoppler é um tipo de ultrassom, com técnicas específicas, que permite a visualização colorida do fluxo de sangue nas artérias e veias do corpo, ajudando a verificar o funcionamento de tecidos, como as paredes do coração, nervos e cérebro.

É um tipo de exame não invasivo, ou seja, não utiliza agulhas e não precisa de anestesia para ser feito, e é realizado por um médico radiologista, que vai passar um transdutor com gel, que é uma parte pequena do aparelho de ultrassom, no local do corpo a ser examinado.

Através da realização do ecodoppler pode-se diagnosticar várias doenças como aterosclerose, vasculites e aneurismas, por isso muitas vezes é indicado pelo cardiologista ou neurologista. No entanto, este exame também é indicado por obstetras com objetivo de verificar as condições de saúde do bebê durante a gravidez.

O que é ecodoppler, principais tipos e para que serve

Para que serve

O ecodoppler é um tipo de ultrassom que serve para verificar o fluxo de sangue nas veias e artérias, do coração, cérebro e até dos membros inferiores. Assim, este exame pode ser indicado para as seguintes situações:

  • Detectar obstruções por gordura nas artérias ou veias;
  • Localizar coágulos sanguíneos nas veias do braço ou da perna;
  • Verificar se existe alguma dilatação da parede das veias ou artérias;
  • Analisar os resultados de cirurgias realizadas no coração;
  • Avaliar as características de varizes.

Além disso, o ecodoppler pode ainda ajudar a verificar a pressão sanguínea dentro das artérias, mostrando a quantidade de sangue que flui nos vasos sanguíneos e pode ser feito como alternativa a outros exames mais invasivos, como a angiografia, que envolve a injeção de contraste na veia.

Este exame também pode ser realizado em crianças e, geralmente, é recomendado pelo pediatra para avaliar se existe alguma malformação no coração ou para auxiliar na colocação de um cateter venoso central, na veia ou artéria. Veja mais o que é cateter venoso central e em que casos é indicado.

Como é feito

O exame ecodoppler é feito por um médico radiologista em uma sala de uma unidade, ou centro de diagnóstico, e não precisa de anestesia, nem de contraste na veia, além de não ser utilizado nenhum tipo de radiação. 

Para fazer o exame é necessário a pessoa colocar um avental e ficar deitada em uma maca. Depois o médico vai passar um gel e mover um transdutor pela pele, que é um pequeno aparelho com o qual vai ser possível visualizar as partes internas do corpo, como as veias e artérias. Isto não causa dor e nem desconforto.

O médico irá visualizar as imagens em uma tela de computador e analisar as estruturas do corpo, sendo que após alguns dias, será emitido um relatório com a descrição do que foi encontrado no exame e este laudo deverá ser entregue para o médico que o solicitou.

Preparo para o exame

Na maioria dos casos, não é preciso nenhum cuidado específico para realizar o exame, no entanto, pessoas que fazem uso de medicamentos que alteram a pressão arterial ou quem fumam, devem comunicar o médico que fará o exame, pois essas situações podem aumentar o fluxo de sangue nas veias e artérias do corpo.

Quais são os tipos de ecodoppler

Dependendo da parte ou estrutura do corpo que o médico quer que seja analisada, o exame pode ser:

  • Ecodoppler fetal: realizado durante a gravidez, consiste na avaliação cardíaca do bebê;
  • Ecodoppler de membros inferiores: serve para analisar veias e artérias das pernas;
  • Ecodoppler de membros superiores: consiste em verificar as condições das veias e artérias dos braços;
  • Ecodoppler de carótidas: indicado para verificar a veia que fornece sangue para região da cabeça;
  • Ecodoppler de artérias renais: aconselhado para análise das veias e artérias dos rins;
  • Ecodoppler transcraniano: recomendado para avaliar as veias e artérias do cérebro;
  • Ecodoppoler de tireoide: é o tipo que serve para verificar o fluxo de sangue na tireoide.

Esses tipos específicos de ecodoppler podem ser solicitados ao se consultar com um médico cardiovascular ou neurologista, porém também podem ser indicados para pessoas que estejam internadas em um hospital com suspeita de alguma doença ou alteração.

O que é ecodoppler, principais tipos e para que serve

Principais doenças diagnosticadas

O ecodoppler, ou ultrassom doppler, pode ser indicado por um médico cardiovascular, neurologista ou nefrologista para investigar e diagnosticar algumas doenças como:

1. Aterosclerose

A aterosclerose é uma doença que acontece devido ao acúmulo de placas de gordura, ou ateromas, na parte das artérias do coração e que se não for tratada pode bloquear o fluxo de sangue e levar ao aparecimento de complicações graves como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral.

O ecodoppler é um tipo de exame muito utilizado para investigar esta doença, entretanto, o médico cardiologista pode solicitar outros exames como a angiografia e o cateterismo cardíaco. Após diagnosticada esta alteração, o médico vai recomendar o tratamento mais adequado que baseia-se em mudanças de hábitos e remédios. Veja mais outras opções de tratamento para aterosclerose.

2. Vasculite

A vasculite é uma alteração causada por uma inflamação dos vasos sanguíneos do corpo e pode provocar sintomas como manchas vermelhas na pele, formigamento ou perda de sensibilidade nas mãos ou nos pés, dor nas articulações e febre. Esta doença pode ser provocada por outras condições como infecções, doenças autoimunes e câncer e, em alguns casos, levam a complicações como hemorragias.

O médico reumatologista deve ser consultado em caso de suspeita de vasculite, sendo que poderá indicar a realização de ecodoppler para confirmar o diagnóstico. O tratamento desta doença é recomendado pelo médico de acordo com a gravidade e a localização da inflamação dos vasos sanguíneos. Confira outros exames que podem ser feitos para confirmar o diagnóstico de vasculite e qual tratamento.

3. Aneurismas

Os aneurismas podem surgem devido a uma elevação na pressão com que o sangue passa em um vaso sanguíneo, que leva ao surgimento de uma dilatação da parede da veia ou da artéria. Esta dilatação pode ocorrer em vasos sanguíneos do coração, do cérebro ou em partes do corpo, como a aorta abdominal, por exemplo.

Os sintomas dependem da localização do aneurisma, sendo que pessoas que sofrem esta alteração podem ter dor intensa no local, formigamento na cabeça, vista embaçada e até convulsão e devem procurar atendimento de emergência de um hospital. Confira mais os principais sintomas de aneurisma cerebral e da aorta.

4. Trombose venosa profunda

A trombose venosa profunda é uma situação que ocorre devido uma obstrução de uma veia profunda da perna, coxa ou abdome, comprometendo o fluxo do sangue e, na maioria das vezes, causa inchaço, dor intensa e coloração arroxeada na perna, por exemplo.

Alguns fatores de risco estão relacionados ao aparecimento da trombose venosa profunda como câncer, cirurgia de grande porte, uso de contraceptivo oral e pouca movimentação do corpo e o diagnóstico é feito por meio da realização de ecodoppler colorido. Muitas vezes, é necessária a hospitalização para o tratamento desta alteração que é baseado no uso de medicamentos anticoagulantes, como a heparina. Saiba como evitar a trombose na perna.

5. Estenose da artéria renal

A estenose da artéria renal é definida como o estreitamento da principal artéria dos rins por causa de placas de gordura, coágulo de sangue ou tumor e o diagnóstico desta alteração é feita através de exames como a angiografia e ecodoppler renal.

O tratamento da estenose da artéria renal é indicado pelo nefrologista e consiste na realização de cateterismo, cirurgia e uso de medicamentos anticoagulantes e trombolíticos. Muitas vezes, este tratamento deve ser feito com a pessoa internada em um hospital para que receba os remédios pela veia e deve ser iniciado o quanto antes para evitar complicações como edema pulmonar.

Bibliografia >

  • LEE, Whal. General principles of carotid Doppler ultrasonography. Ultrasonography. VOL.33, N.1. 11-17, 2014
  • NAREDO, E.; MONTEAGUDO, I. Doppler techniques. Clin Exp Rheumatol. Vol.32, n. 1(80). 12-9, 2014
  • EVANS, David H. et al. Ultrasonic colour Doppler imaging. Interface Focus. Vol.1, n.4. 490-502, 2011
  • RADIOLOGICAL SOCIETY OF NORTH AMERICA. Ultrasound - Vascular. Disponível em: <https://www.radiologyinfo.org/en/info.cfm?PG=vascularus>. Acesso em 04 Dez 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. Vasculites. Disponível em: <https://www.reumatologia.org.br/doencas-reumaticas/vasculites/>. Acesso em 04 Dez 2019
  • BMJ BEST PRACTICE. Trombose venosa profunda. Disponível em: <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/70>. Acesso em 04 Dez 2019
  • FELDMAN, Andre et al. A relação entre estenose de arteria renal, hipertensão arterial e insuficiência renal crônica. Rev Bras Hipertens. Vol.15, n.3. 181-184, 2008
  • ROMUALDO, André P. Doppler sem segredos. 1.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem