7 doenças causadas pela água contaminada

maio 2022

O consumo de água contaminada pode aumentar o risco de algumas doenças, como leptospirose, cólera, hepatite A e giardíase, por exemplo, já que os agentes infecciosos responsáveis por essas doenças conseguem se desenvolver na água e se espalhar mais facilmente. Embora seja mais fácil isso acontecer em rios e lagos poluídos, a água de fontes cristalinas também pode ficar contaminada por algum tipo de bactéria, parasita ou vírus.

Essas doenças acontecem principalmente quando a água não não passa por tratamentos de limpeza e de purificação que eliminem os microrganismos que contaminam a água, especialmente os responsáveis por causar doenças. As doenças causadas por água contaminadas são mais frequentes em crianças entre 1 e 6 anos, gestantes e idosos, devido a alterações no sistema imune, podendo ser considerado um grave problema de saúde pública.

Assim, é importante que se tenha atenção à água usada tanto para consumo quanto para higienização e preparação dos alimentos. Caso tenha dúvidas se a água está própria para utilização, pode-se usar uma solução de hipoclorito de sódio, por exemplo.

Algumas das principais doenças que podem ser causadas por águas paradas contaminadas ou água de esgoto não tratado incluem:

1. Hepatite A 

A hepatite A é uma doença causada pelo vírus da família Picornavírus e que pode ser transmitida através do contato com água contaminada pelo vírus. Essa doença é altamente contagiosa caracterizada por inflamação do fígado e que, apesar de geralmente ser leve, em alguns casos pode evoluir de forma grave e ser fatal quando não tratada.

Principais sintomas: Os sintomas da hepatite A normalmente surgem cerca de 4 semanas após a contaminação pelo vírus, sendo os principais indicativos de hepatite A a urina escura, fezes claras, amarelamento da pele e mucosas, febre, calafrios, sensação de fraqueza, náusea, perda de apetite e fadiga.

Como é o tratamento: O tratamento para a hepatite A tem como objetivo aliviar os sintomas da doença, podendo ser indicado o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Além disso, o médico deve recomendar repouso e ingestão de bastante líquidos. Saiba o que fazer para se recuperar mais rápido da hepatite A.

2. Giardíase

A giardíase é uma infecção do aparelho digestivo causada pelo parasita Giardia lamblia cuja transmissão é feita através do consumo de alimentos ou água contaminadas por fezes contendo cistos do parasita, sendo uma doença infecciosa que pode ser transmitida entre pessoas. 

Principais sintomas: Os principais sintomas indicativos de giardíase são dor abdominal, diarreia, febre, náusea, fraqueza e perda de peso. 

Como é o tratamento: O tratamento é feito com medicamentos que combatem o parasita, como Metronidazol ou Tinidazol, indicados pelo médico. Também pode ser recomendado o consumo de líquidos ao longo do dia, e em caso de desidratação grave devido à diarreia, pode ser necessária hidratação diretamente na veia.

3. Amebíase

A amebíase ou disenteria amebiana é uma infecção causada pelo protozoário Entamoeba histolytica, que se instala no intestino e que impede a absorção de nutrientes importantes para o organismo. A transmissão acontece por meio do consumo de alimentos ou água contaminadas por fezes contendo cistos amebianos maduros.

Principais sintomas: Normalmente, os principais sintomas de amebíase são dor abdominal, diarreia, febre e calafrios, além de fezes com sangue ou muco, em alguns casos. Em casos mais graves, a doença pode desenvolver a forma invasiva, em que são infectados outros órgãos como fígado, trato respiratório e até mesmo cérebro.

Como é o tratamento: Em geral, são usados remédios antiparasitários como Secnidazol, Metronidazol ou Tinidazol para combater a amebíase, entretanto a duração e a dose é orientada pelo médico de acordo com a gravidade da infecção.

4. Leptospirose

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria que pode estar presente em urina dos ratos de esgotos, ou de outros animais infectados como cães e gatos, que penetra no corpo através do contato dos excrementos destes animais ou da água contaminada com a pele ferida ou mucosas, como olhos, nariz.

Principais sintomas: Os principais sintomas de leptospirose são febre alta, dor de cabeça, dor no corpo, perda de apetite, vômito, diarreia e calafrios. Saiba reconhecer outros sintomas da leptospirose.

Como é o tratamento: O tratamento para a leptospirose deve ser orientado pelo médico, sendo normalmente recomendado o uso de antibiótico para combater a bactéria e analgésicos para aliviar a dor e a febre. 

5. Cólera

A Cólera é uma infecção intestinal causada pela bactéria Vibrio cholerae que pode contaminar água e alimentos. A produção de toxinas por essa bactéria é responsável pelo aparecimento de sintomas, sendo importante que a identificação dessa bactéria seja feita o mais rápido possível para que sejam evitadas complicações, como a desidratação grave. Conheça mais sobre a cólera.

Principais sintomas: Os sintomas de cólera surgem entre 2 e 5 dias depois da infecção pela bactéria e há principalmente diarreia intensa e vômitos, que podem levar à uma grave desidratação. 

Como é o tratamento: O tratamento para a cólera tem como objetivo principal evitar a desidratação, por isso é recomendada a realização de hidratação oral e, nos casos mais graves, diretamente na veia, podendo também ser necessário o internamento e tratamento com antibióticos. 

6. Ascaridíase (lombriga)

A ascaridíase é uma verminose causada pelo parasita Ascaris lumbricoides, também conhecido como lombriga, que habita, se desenvolve e se multiplica no intestino. Esta doença, é transmitida através da ingestão água ou alimentos contaminados com ovos do parasita.

Principais sintomas: Os principais sintomas de ascaridíase são dor abdominal, enjoo, dificuldade em evacuar e perda do apetite.

Como é o tratamento: O tratamento é feito com o uso de medicamentos antiparasitários indicados pelo médico, como Albendazol, que deve ser feita conforme a orientação médica. 

7. Febre tifoide

A febre tifoide é uma doença infecciosa causada pela bactéria Salmonella typhi, e a sua transmissão é feita através do consumo de água e alimentos contaminados com o parasita. 

Principais sintomas: Febre alta, vômito, dor de barriga, prisão de ventre, diarreia, dor de cabeça, perda de apetite, perda de peso ou manchas vermelhas na pele podem ser indicativos de febre tifoide. Veja como identificar os sintomas.

Como é o tratamento: O tratamento é feito com uso de antibióticos, conforme orientação médica, sendo muito importante o descanso e a hidratação durante a fase de recuperação. Esta é uma doença que pode ser prevenida com a vacina contra a febre tifoide.

Como evitar as doenças

Para se proteger e evitar as doenças transmitidas pela água contaminada, deve-se evitar o contato com o esgoto, águas não tratadas, enchentes, lama ou rios com água parada, sendo também desaconselhado o uso de piscinas não tratadas com cloro. 

Para assegurar a sua segurança, é indicado ferver sempre a água antes de a utilizar, quer seja para lavar ou preparar alimentos ou para beber, caso não seja filtrada. Além disso, pode também optar por usar hipoclorito de sódio para desinfectar e purificar a água.

Como saber se a água está contaminada

Pode-se suspeitar que a água está contaminada, e por isso é imprópria para o consumo, quando apresenta algumas características como:

  • Parece suja, turva ou com lama;
  • Possui algum cheiro;
  • Nota-se pequenas partículas de sujeira em suspensão na água;
  • Não está devidamente transparente, tendo uma coloração amarelada, alaranjada ou amarronzada.

Além disso, a água também pode parecer estar limpa e ainda assim, estar contaminada, e, por isso, o melhor é sempre optar por água filtrada ou água mineral engarrafada, que foi sujeita a testes de qualidade.

Como purificar a água para beber

Para tornar uma água contaminada em água boa para beber deve-se utilizar uma solução chamada hipoclorito de sódio, que se compra nas farmácias e supermercados, mas que também é distribuída pelo governo. Basta pingar 2 a 4 gotas de hipoclorito de sódio para cada 1 litro de água e esperar 30 minutos para poder consumir esta água. Veja mais detalhes sobre o hipoclorito de sódio.

Ferver a água durante 1 minuto também ajuda a purificar a água, mas não resolve o problema e, portanto, não exclui o uso do hipoclorito. Além disso, em caso de contaminação com mercúrio, não se deve ferver a água porque o mercúrio pode passar para o ar, aumentando o risco de contaminação.

Essas estratégias são especialmente indicadas para purificar águas que estejam contaminadas com vírus, bactérias e coliformes fecais, o que pode acontecer em águas de cisternas, poços artesianos, pequenos poços e em caso de contaminação com a água das chuvas. No entanto, em caso de enchentes a melhor estratégia é não utilizar a água suja e barrenta porque a lama é mais difícil de ser eliminada.

A água contaminada pela lama, pode ser utilizada através de um processo chamado decantação, o que normalmente acontece nas empresas de tratamento de água das cidades. Um coagulante que pode ser usado para eliminar a lama da água é o polímero de acácia negra, um produto orgânico, que não prejudica a saúde. Essa substância consegue separar a água da lama, mas após este processo, a água ainda precisa ser devidamente tratada.

Confira todos os métodos caseiros para purificar a água em casa.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em maio de 2022. Revisão médica por Drª Sylvia Hinrichsen - Infectologista, em março de 2020.

Bibliografia

  • BARER, Michael R et al. Medical Microbiology: A guide to microbial infections - pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 221-224; 326-330; 447-449.
  • NEVES, David P. Parasitologia Humana. 12 ed. Atheneu, 49-65; 69-70; 89-99; 121-127; 129-136; 164-166; 177-187.
Mostrar bibliografia completa
  • CDC. Make water safe. Disponível em: <https://www.cdc.gov/healthywater/pdf/emergency/09_202278-b_make_water_safe_flyer_508.pdf>. Acesso em 06 mar 2020
  • WHO. Household Water Treatment and Safe Storage Following Emergencies and Disasters. Disponível em: <https://www.who.int/household_water/resources/emergencies.pdf>. Acesso em 06 mar 2020
Revisão médica:
Drª Sylvia Hinrichsen
Infectologista
Médica infectologista, doutorada em Medicina Tropical pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1995. Cremepe: 6522