Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Leptospirose tem cura

A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria presente principalmente na urina dos ratos de esgotos e de outros animais como pombos e baratas, chamada Leptospira que penetra no corpo através do contato com a pele ferida ou mucosas, como olhos, nariz, boca e órgãos genitais, ou através da pele íntegra após horas de imersão em águas contaminadas.

Essa doença apesar de poder ser grave tem boas chances de cura quando a pessoa recebe o tratamento adequado, indicado pelo médico. No entanto, quando o tratamento não é realizado a pessoa pode morrer por hemorragia pulmonar. É importante tratar esta doença com os medicamentos adequados porque a leptospirose não se cura sozinha.

Tratamento para Leptospirose

O tratamento pode ser feito em casa com a toma de Paracetamol e Antibióticos, além de boa hidratação e repouso. Não devem ser utilizados medicamentos para dor ou para febre que contenham ácido acetil-salicílico nem anti-inflamatórios porque estes podem piorar a situação e trazer complicações, assim como acontece na dengue. Veja uma lista com vários medicamentos que também não devem ser usados para aliviar a dor e a febre clicando aqui.

Algumas complicações que podem acontecer em caso de leptospirose são hemorragia, meningite, insuficiência renal, respiratória ou hepática. Mas a maioria das pessoas ficam curadas e melhoram em 4 a 10 dias.

Sintomas da leptospirose

Os primeiros sintomas são:

  • Febre alta que começa de forma repentina;
  • Dor de cabeça;
  • Dores pelo corpo, principalmente na panturrilha(batata da perna), costas e abdômen;
  • Perda do apetite;
  • Vômito, diarreia;
  • Calafrios;
  • Olhos vermelhos.

Entre 3 a 7 dias após o início dos sintomas podem surgem sinais de agravamento, como pele e olhos amarelados, insuficiência renal que provoca alterações na urina e pode haver graves alterações na circulação sanguínea, podendo surgir hemorragias. O diagnóstico é feito através do exame de sangue ou de urina que evidencia a presença da bactérias.

Como ocorre a contaminação

A leptospirose é sempre transmitida dos animais para o homem, sempre pelo contato da urina do animal ou com objetos contaminados com a sua urina. A forma mais comum de contaminação ocorre em situações de enchentes e inundações, esta doença não é contagiosa, não havendo transmissão de uma pessoa para outra, mas basta pequenas lesões como um arranhão ou uma picada de mosquito para que esta bactéria consiga entrar pela pele e se instalar nos rins.

As pessoas e animais domésticos como cães e gatos podem ser contaminados e desenvolver leptospirose ao entrar em contato com:

  • Água parada de poços e buracos da rua;
  • Locais com sinais de ratos ou outros roedores;
  • Terreno baldio;
  • Lixo, entulho;
  • Rios, corregos, represas, lagoas e lagos;
  • Plantações e colheitas;
  • Fossas, caixas de gordura de casas, apartamentos ou empresas.

A contaminação com as águas de enchentes é a principal forma de contaminação com esta doença e os meses mais comuns são de novembro à abril. No entanto, a leptospira pode sobreviver até 6 meses no meio ambiente úmido e por isso é comum que domésticas e trabalhadores como faxineiros, lixeiros e pedreiros sejam contaminados.

Veja também: Doenças transmitidas pela chuva.

O que fazer para evitar a leptospirose

Para se proteger e evitar essa doença deve-se evitar o contato com águas contaminadas, enchentes, lama, rios com água parada e piscina não tratada com cloro. Quando é necessário enfrentar uma enchente pode ser útil utilizar galochas de borracha para manter a pele seca e devidamente protegida das águas contaminadas.

Outras medidas que ajudam na prevenção desta doença são sempre usar luvas de borracha, principalmente quando mexer no lixo ou realizar limpezas em locais que possam ter ratos ou outros roedores e lavar muito bem os alimentos antes de consumir com água potável e também as mãos antes de comer.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...