Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Toxoplasmose: o que é, transmissão, tipos e como prevenir

A toxoplasmose, popularmente conhecida como doença do gato, é uma doença infecciosa provocada pelo parasita Toxoplasma gondii (T. gondii), encontrado nas fezes do gato, na água ou em carne mal cozida como porco ou cordeiro, contaminados com o parasita. Na maioria das vezes, a infecção não provoca sintomas, no entanto, em pessoas que têm o sistema imune enfraquecido ou bebês nascidos de mães que tiveram a infecção durante a gravidez, podem ter sintomas graves como dificuldade para respirar, tontura ou confusão mental, por exemplo.

Essa doença é transmitida principalmente pela ingestão de alimentos contaminados pelos cistos do parasita ou por meio do contato com as fezes de gatos infectados. Além disso, a toxoplasmose pode ser transmitida de mãe para filho, no entanto isso só acontece quando a doença não é diagnosticada durante a gravidez ou o tratamento não é feito corretamente.

Apesar de não provocar sintomas, é importante que a toxoplasmose seja identificada e tratada corretamente de acordo com a orientação do médico para evitar que surjam complicações, como cegueira, convulsões e morte, por exemplo.

Toxoplasmose: o que é, transmissão, tipos e como prevenir

Como acontece a transmissão

A toxoplasmose é transmitida através da ingestão de água ou alimentos crus, mal higienizados ou mal cozidos, como carne de porco, boi, cordeiro ou veado, que estejam contaminados com o parasita Toxoplasma gondii. Além do consumo de carne crua, o ingestão de carne defumada ou embutidos preparados com animais contaminados com o parasita e que não foram processados de acordo com as condições de higiene adequadas também podem transmitir a toxoplasmose.

O parasita da toxoplasmose pode estar presente nas fezes de gatos ou no esterco usado como adubo. No entanto, o contato com os gatos infectados não é suficiente para que haja transmissão da toxoplasmose, é preciso que a pessoa tenha contato com as fezes desses gatos que pode ocorrer através da inalação ou ingestão acidental do parasita presente nas fezes. Assim, durante a limpeza da caixa de areia do gato que tenha toxoplasmose, é importante ter medidas de proteção como usar luvas e máscaras, e lavar bem as mãos após a limpeza, por exemplo.

A transmissão da toxoplasmose também pode acontecer durante a gravidez através da passagem do parasita pela placenta. No entanto, a transmissão depende do estado imunológico da gestante e da fase da gestação: quando a mulher está no primeiro trimestre da gravidez e possui sistema imune comprometido, há maior chance de transmissão da doença para o bebê, no entanto as consequências são consideradas mais leves. Veja mais sobre a toxoplasmose na gravidez.

Principais sintomas

Na maioria dos casos, a toxoplasmose não causa sintomas, no entanto quando a imunidade da pessoa encontra-se mais comprometida, é possível que surjam sintomas semelhantes aos de outras doenças infecciosas, como gripe e dengue, por exemplo, sendo os principais:

  • Ínguas pelo corpo, principalmente na região do pescoço;
  • Febre;
  • Dor muscular ou nas articulações;
  • Cansaço;
  • Dor de cabeça e de garganta;
  • Manchas vermelhas pelo corpo;
  • Dificuldade para enxergar.

Os sintomas surgem mais frequentemente nas pessoas que possuem o sistema imunológico mais enfraquecido, como aquelas que fazem quimioterapia para o câncer, que foram submetidos recentemente a transplantes, são portadores do vírus HIV, ou em mulheres que contraem a infecção durante a gravidez.

Em casos mais graves, a toxoplasmose pode prejudicar o funcionamento de órgãos como pulmões, coração, fígado e cérebro, podendo causar dificuldade para respirar, tosse, dor de cabeça forte, tontura, cansaço excessivo, sonolência, delírios e diminuição da força e dos movimentos do corpo. Conheça outros sintomas da toxoplasmose

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da toxoplasmose é feito pelo cínico geral ou infectologista através da avaliação dos sintomas e da realização do exame de sangue para detectar a presença de anticorpos IgG e IgM no corpo, que são produzidos para combater o parasita causador da doença.

No caso de mulheres grávidas com resultado positivo para os anticorpos IgG e IgM, o obstetra pode recomendar uma amniocentese após 15 semanas de gravidez para confirmar se a toxoplasmose foi transmitida da mãe para o bebê. Além disso, embora não sirva para diagnosticar a toxoplasmose no feto, o médico deve solicitar um ultrassom para verificar se o bebê possui alterações causada pela toxoplasmose, como hidrocefalia, por exemplo. Saiba como é feita a amniocentese.  

Tipos de toxoplasmose

O Toxoplasma gondii pode ser classificada em alguns tipos de acordo com o órgão atingido pelo parasita, sendo os principais:

1. Toxoplasmose ocular

A toxoplasmose ocular acontece quando o parasita atinge o olho e afeta a retina, causando uma inflamação que pode levar à cegueira se não for tratada a tempo. Essa doença pode afetar os dois olhos, e os prejuízos na visão podem ser diferentes para cada olho, podendo ocorrer diminuição da visão, vermelhidão ou dor no olho.

Essa complicação é mais comum de acontecer no bebê como consequência da infecção durante a gravidez, principalmente se o feto for infectado no início da gestação, mas também ocorrer em pessoas com o sistema imunológico mais comprometido, apesar de ser pouco frequente.

2. Toxoplasmose congênita

A toxoplasmose na gravidez provoca a toxoplasmose congênita, que é quando o bebê é infectado por essa doença ainda no útero da mãe. A toxoplasmose na gravidez pode levar a consequências graves, como malformações do feto, baixo peso ao nascer, parto prematuro, aborto ou morte do bebê ao nascer.

As consequências para o bebê variam de acordo com a idade gestacional em que aconteceu a infecção, havendo maior risco de complicações quando a infecção acontece mais perto do fim da gestação, existindo maior risco de inflamações nos olhos, icterícia intensa, aumento do fígado, anemia, alterações cardíacas, convulsões e alterações respiratórias. Além disso, pode haver alterações neurológicas, retardo mental, surdez, micro ou macrocefalia, por exemplo.

3. Toxoplasmose cerebrospinal ou meningoencefálica

Esse tipo de toxoplasmose é mais frequente em pessoas diagnosticadas com AIDS e normalmente está relacionada com a reativação dos cistos de T. gondii em pessoas que possuem a infecção latente, ou seja, que foram diagnosticadas e tratadas, mas o parasita não foi eliminado do organismo, permitindo que se deslocasse até o sistema nervoso.

Os principais sintomas desse tipo de toxoplasmose são dor de cabeça, febre, perda da coordenação muscular, confusão mental, convulsões e cansaço excessivo. Caso não seja identificada e tratada, a infecção pode levar ao coma e colocar a vida em risco.

Como é feito o tratamento

A maioria das pessoas saudáveis não necessita de tratamento para a toxoplasmose, já que o organismo é capaz de combater o parasita naturalmente. No entanto, na presença de sintomas, o tratamento deve ser feito com remédios que devem ser indicados pelo médico como a pirimetamina, sulfadiazina e ácido fólico, usados ao mesmo tempo, de acordo com a orientação médica.

Nas gestantes, dependendo da fase da gravidez, o tratamento pode ser feito com o antibiótico espiramicina, ou com a pirimetamina, sulfadiazina e ácido fólico, conforme orientação do obstetra. 

Prevenção da toxoplasmose

Para prevenir a toxoplasmose é importante ter alguns cuidados, como por exemplo:

  • Consumir água potável, filtrada ou mineral;
  • Cozinhar bem as carnes e evitar o consumo de carnes mal passadas em restaurantes;
  • Lavar bem os utensílios da cozinha em água quente e sabão, como tábuas de corte ou facas, depois de temperar ou cortar carne crua, para evitar a contaminação de outros alimentos;
  • Lavar bem as frutas, verduras e vegetais com água e sabão, ou utilizando solução de preparada com 1 litro de água e 1 colher de bicarbonato de sódio ou de água sanitária, e deixar por cerca de 15 minutos;
  • Usar luvas ao fazer jardinagem ou cuidar de plantas;
  • Evitar o contato com fezes do gato e usar uma luva e máscara ao limpar a caixa de areia e ao recolher as fezes;
  • Cobrir a caixa de areia em que a criança brinca, para evitar que gatos usem a caixa para eliminar as fezes.

Pessoas que têm animais domésticos devem levá-los ao veterinário para fazer exames que seja feito exame para identificação do parasita da toxoplasmose e o tratamento do animal, evitando a possível transmissão da toxoplasmose e de outras doenças.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Toxoplasmose: sintomas, tratamento e como prevenir. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/toxoplasmose>. Acesso em 24 Jul 2019
  • NEVES, David P. Parasitologia Humana. 12 ed. Editora Atheneu, 177-187.
  • MAHON, Connie R.; LEHMAN, Donald C. Textbook of Diagnostic Microbiology. 6 ed. St- Louis, Missouri: Elsevier, 2019. 649-652.
  • WILSON, Jennie. Infection Control in Clinical Practice. 3 ed. Elsevier, 2019. 212.
  • CDC - CENTERS FOR CONTROL DISEASE AND PREVENTION. Toxoplasmosis - Treatment. 2018. Disponível em: <https://www.cdc.gov/parasites/toxoplasmosis/treatment.html>. Acesso em 14 Jul 2021
  • DRUGS AND LACTATION DATABASE (LACTMED) [INTERNET]. BETHESDA (MD): NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE (US). Pyrimethamine. 2018. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK501163/>. Acesso em 14 Jul 2021
  • DRUGS.COM. Pyrimethamine / sulfadoxine Pregnancy and Breastfeeding Warnings. Disponível em: <https://www.drugs.com/pregnancy/pyrimethamine-sulfadoxine.html>. Acesso em 14 Jul 2021
  • DRUGS.COM. Sulfadiazine Pregnancy and Breastfeeding Warnings. Disponível em: <https://www.drugs.com/pregnancy/sulfadiazine.html>. Acesso em 14 Jul 2021
  • MONTOYA, Jose G.; REMINGTON, Jack S. Clinical Practice: Management of Toxoplasma gondii Infection during Pregnancy. Clinical Infectious Diseases. 47. 6; 554-566, 2008
Mais sobre este assunto:

Carregando
...