O que você precisa saber?

Sintomas, transmissão e tratamento da malária

A malária ou paludismo, como também é conhecida, é uma doença infecciosa que se desenvolve no fígado e destrói as células vermelhas do sangue. A infecção com esta doença acontece devido à picada do mosquito Anopheles fêmea. Dessa forma, a melhor forma de prevenção consiste em evitar ser picado, através do uso de repelente e proteções nas janelas, por exemplo.

Para o diagnosticar a presença da doença, existe um teste rápido, chamado teste da gota espessa, que utiliza uma gota de sangue para identificar a presença de um dos tipos de protozoários responsáveis pela doença.

A malária tem cura, mas para isso o tratamento deve ser iniciado rapidamente, pois caso a doença se desenvolva muito e chegue na sua forma mais grave, afetando o cérebro, onde as chances de complicações e de morte são muito maiores.

Mosquito da maláriaMosquito da malária

Principais sintomas

A infecção com malária pode demorar até 17 dias para surgir após a picada do mosquito mas em alguns casos estes sintomas podem demorar alguns meses para aparecer:

  • Febre acima de 38ºC;
  • Suores e calafrios;
  • Dor de cabeça forte;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor muscular em todo o corpo;
  • Fraqueza e cansaço constante;
  • Pele e olho amarelados;
  • Tremores fortes que podem durar de 15 minutos a 1 hora.

A maioria destes sintomas podem ser difíceis de identificar como sendo sinal de malária e, dessa forma, é importante ir ao médico diagnosticar a doença e iniciar o tratamento adequado, especialmente se se estiver num local em que a malária é frequente, como na região Amazônica e África, por exemplo.

Além disso, estes sintomas podem aparecer em ciclos, isto é manifestar-se a cada 48 horas ou 72 horas, dependendo do micro-organismo que está infectando o corpo. Isto acontece devido ao seu ciclo de vida, à medida que se desenvolvem, reproduzem e caem na corrente sanguínea.

Como acontece a transmissão

A malária não passa de uma pessoa infectada para outra saudável, no entanto, quando o mosquito Anopheles fêmea pica uma pessoa infectada, ele também fica infectado, passando a doença para outras pessoas caso o mosquito as pique logo a seguir.

Porém, como o parasita da malária está presente nas células vermelhas do sangue, ele também pode passar para pessoas saudáveis através da reutilização de agulhas ou transfusões de sangue, embora estes casos sejam mais raros.

Os locais de maior risco de contaminação, devido à presença do mosquito, são América do Sul, América Central, África e parte da Ásia, principalmente em locais com água limpa com pouca corrente, umidade e com temperatura entre 20º e 30ºC.

No Brasil os estados mais afetados pela malária são Amazonas, Roraima, Acre, Tocantins, Pará, Amapá, Mato Grosso, Maranhão e Rondônia.

Como se proteger

A prevenção da malária pode ser feita através de:

  • Uso de roupas de cor clara e de tecido fino, com mangas compridas e calças compridas;
  • Evitar as áreas mais propensas à contaminação da doença, como Amazônia e África, por exemplo;
  • Usar repelente à base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida), respeitando as orientações do fabricante quanto à reposição do repelente;
  • Colocar telas de proteção contra mosquitos em janelas e portas;
  • Evitar lagos, lagoas e rios ao final da tarde e à noite

Quem vai viajar para um local onde hajam casos de malária pode tomar os remédios anti-maláricos como forma de prevenção. Todavia estes possuem fortes efeitos colaterais e neste caso, o médico pode substituir por um antibiótico como a Primaquina, que também é eficaz na prevenção da doença. 

Estes medicamentos só devem ser usados após indicação médica e geralmente consiste na toma de 1 comprimido por dia durante todo o período da viagem, sendo importante começar a tomar 7 dias antes de viajar e tomar o último comprimido 4 semanas após o retorno à sua casa.

Sintomas, transmissão e tratamento da malária

Como confirmar o diagnóstico

Após o surgimento dos primeiros sintomas é recomendado ir no hospital ou no pronto-socorro, especialmente se os sintomas surgirem a cada 48 ou 72 horas. Desta forma é possível identificar a presença do parasita no organismo através de um exame de sangue e iniciar o tratamento adequado, evitando que a infecção agrave e coloque em risco a vida.

Como é feito o tratamento

O tratamento da malária é feito com a ingestão de medicamentos antimaláricos, como a Cloroquina, por 3 dias, e a Primaquina, por 7 ou 14 dias, fornecidos gratuitamente pelo SUS. Estes medicamentos são de dose única diária e devem ser ingeridos junto a uma refeição para evitar dores no estômago. A dose do medicamento varia conforme a idade e o peso de cada pessoa e os casos mais graves necessitam de internamento hospitalar. Veja mais detalhes do tratamento da malária.

Recomenda-se ainda:

  • Alimentar-se normalmente;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não parar o tratamento antes do conselho médico, mesmo se os sintomas desaparecem antes, pelo risco de recidiva e complicações da doença.

Além disso, alguma plantas medicinais como boldo, eucalipto e alho podem ser usadas para completar o tratamento e aliviar os sintomas da doença. Veja como preparar alguns remédios caseiros para malária.

Ciclo de infecção da malária

Sintomas, transmissão e tratamento da malária

O agente causador da malária, é o mosquito Anopheles fêmea, que pode estar contaminado com 4 tipos de parasitas diferentes. São eles:

  • Plasmodium falciparum: provoca o tipo mais grave da doença;
  • Plasmodium vivax: pode ficar no fígado durante 3 anos, voltando a sugir;
  • Plasmodium malariae: normalmente só é encontrado em África;
  • Plasmodium ovale: provoca um tipo raro da doença que geralmente não provoca sintomas durante vários anos.

Os parasitas presentes no mosquito instalam-se no fígado humano após a picada e amadurecem em 2 a 4 semanas. Após esse período invadem e destroem as células vermelhas do sangue causando os sintomas típicos da doença.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...