Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

8 doenças causadas por fungos e como identificar

Existem diversas doenças que os fungos podem provocar em seres humanos, e a maioria são as micoses na pele, unhas, mucosas ou couro cabeludo, como pano branco, tinha, frieira, sapinho ou candidíase, por exemplo.

Geralmente, os fungos convivem de forma harmoniosa com o corpo, mas podem provocar doenças quando conseguem driblar as barreiras de proteção do organismo, o que ocorre principalmente durante períodos de queda da imunidade ou por ferimentos da pele. 

Além disso, embora as infecções fúngicas sejam na maioria das vezes superficiais e facilmente tratadas, existem espécies de fungos que podem causar lesões profundas e, até, atingir a circulação sanguínea e órgãos como pulmões, como é o caso da esporotricose, histoplasmose ou aspergilose, por exemplo.

Apesar de serem inúmeras as doenças causadas por fungos, algumas principais são:

1. Pano branco

Também conhecida como micose de praia, esta infecção tem o nome científico de Ptiríase versicolor, e é provocada pelo fungo Malassezia furfur, que provoca manchas arredondadas na pele. Geralmente, as manchas são de cor branca, pois o fungo impede a produção de melanina quando a pele é exposta ao sol, e são mais comuns no tronco, abdomen, face, pescoço ou braços. 

  • Como tratar: o tratamento costuma ser feito com cremes ou loções a base de antifúngicos, como Clotrimazol ou Miconazol, indicados pelo dermatologista. No caso de lesões muito grandes, pode ser indicado o uso de comprimidos, como Fluconazol.

Entenda melhor sobre o que é pano branco e como tratar

8 doenças causadas por fungos e como identificar

2. Tinha

Cientificamente chamada de dermatofitose, esta infecção fúngica também é conhecida como tínea, e pode atingir diversos locais do corpo, como pele, cabelos e unhas, e é provocada por fungos como TrichophytonMycrosporon ou Epidermophyton, que são transmitidos de uma pessoa para outra através do contato, ou também pelo solo e animais contaminados. 

Algumas das principais lesões provocadas são:

  • Tinha corpórea, também chamada de impingem e surge em qualquer área da pele.
  • Tinha dos pés, também chamada de frieira ou pé-de-atleta, que é localizada entre os dedos dos pés;
  • Tinha cruris, que se desenvolve na virilha;
  • Tinha capitis, ou do couro cabeludo, que é mais ocmum em crianças e pode provocar a queda do cabelo no local;
  • Tinha das unhas, que torna a unha espessa e sem brilho.

A lesão que surge na tinha cosutuma ser descamativa, avermelhada e com muita coceira. Geralmente, sem o tratamento adequado, a lesão se espalha aos poucos, e é muito contagiosa. 

  • Como tratar: o tratamento é feito com pomadas antifúngicas, como Miconazol, Clotrimazol ou Itraconazol, e pode durar semanas a meses. Quando há uma infecção grave, ou quando as unhas estão muito afetadas, pode ser necessário o uso de medicamentos em comprimido, como Fluconazol, Itraconazol ou Terbinafina. Durante o tratamento é essencial secar bem os pés após o banho e evitar sapatos fechados por muito tempo.

Saiba mais sobre os tipos de tinha e como identificar

3. Candidíase

Existem várias espécies de fungos que fazem parte da família Candida, sendo a mais comum a Candida albicans. Apesar de habitar naturalmente o organismo, principalmente a mucosa da boca e da região íntima, estes fungo pode causar diversos tipos de de infecção no organismo, sobretudo quando as defesas imunes estão prejudicadas. 

As regiões do corpo mais afetadas são dobras da pele, como virilhas, axilas e entre os dedos das mãos e dos pés, as unhas, e também pode atingir mucosas, como boca, esôfago, vagina e reto. Além disso,  infecção pode ser grave a ponto de se disseminar pela corrente sanguínea a atingir órgãos como pulmões, coração ou rins, por exemplo.

  • Como tratar: o tratamento é feito principalmente com pomadas antifúngicas como Fluconazol, Clotrimazol, Nistatina ou Cetonoconazol. No entanto, nos casos mais graves ou na infecção no sangue e órgãos do corpo, podem ser necessário antifúngicos em comprimido ou na veia. 

Saiba mais sobre como é feito o tratamento para candidíase

4. Esporotricose

Esta micose pode ultrapassar a pele e atingir também a região subcutânea e os gânglios. Esta infecção é provocada por fungos da família Sporothrix spp., que habitam a natureza e estão presentes no solo, plantas, folhas e madeira, por exemplo, por isso, infectam principalmente fazendeiros, jardineiros ou agricultores.

Este fungo também pode de ser transmitido pela arranhadura de gatos contaminados. Geralmente, a infecção da pele provoca o surgimento de caroço indolor, avermelhado e que cresce gradualmente. Em alguns casos, principalmente nas pessoas com a imunidade comprometida, a pode haver o surgimento de diversas lesões, assim como pode se espalhar pela corrente sanguínea e infectar pulmões, ossos, articulações, testículos e, até, o cérebro. 

  • Como tratar: o tratamento é feito com antifúngicos de uso oral ou venoso, como Itraconazol, por 3 a 6 meses, e nos casos mais graves pode ser necessário o uso de antifúngicos venosos, como a Anfotericina B, podendo durar por 12 meses. 

Confira mais detalhes sobre o que é a esporotricose, sintomas e como tratar

8 doenças causadas por fungos e como identificar

5. Aspergilose

É a infecção causada pelo fungo Aspergillus, que afeta principalmente os pulmões, apesar de também provocar alergias ou atingir outras regiões das vias respiratórias, causando sinusites ou otites, por exemplo. 

Este fungo é encontrado no ambiente, podendo estar inclusive dentro de casa, em ambientes úmidos, como cantos da parede ou banheiros. Ao invadir os pulmões através da respiração, o Aspergillus provoca lesões, chamadas de bolas fúngicas ou aspergilomas, que podem causar tosse, falta de ar, catarro com sangue, perda de peso e febre.

  • Como tratar: o tratamento é feito com antifúngicos potentes, como Itraconazol ou Anfotericina B, orientados pelo médico.

Confira mais sobre os sintomas de Aspergilose e como tratar

6. Paracoccidioidomicose

Também chamada de blastomicose sulamericana, esta infecção é provocada por fungos da família Paracoccidioides, que habita o solo e as plantas, por isso atinge mais pessoas da área rural.

A transmissão acontece principalmente através do ar, ao se inalar o fungo, que penetra nos pulmões e na corrente sanguínea, provocando sintomas como falta de apetite, emagrecimento, tosse, falta de ar, febre, coceira, feridas na pele e surgimento de ínguas.

  • Como tratar: para tratar esta infecção, o médico indicará o uso de antifúngicos como Itraconazol, Fluconazol, Cetoconazol ou Voriconazol, por exemplo, e o tratamento pode durar meses a anos. 

Entenda melhor o que é a paracoccidioidomicose, como identificar e tratar.

7. Histoplasmose

É uma infecção provocada pelo fungo Histoplasma capsulatum, cuja transmissão acontece pela inalação dos fungos presentes na natureza.

A doença costuma se desenvolver em pessoas com a imunidade enfraquecida, como por doenças imunológicas, AIDS ou desnutridos, por exemplo, ou pessoas que inalam uma grande quantidade de fungos. Os sinais e sintomas que podem ocorrer são tosse, dor do peito, falta de ar, suor, febre e perda de peso. 

  • Como tratar: o tratamento é feito com o uso de antifúngicos sistêmicos como Itraconazol, Cetonocazol ou Anfotericina B, por exemplo. 

Saiba mais sobre a Histoplasmose

Mais sobre este assunto:


Carregando
...