Remédio para micose: pomadas, loções e comprimidos

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
julho 2022

Os principais remédios indicados para tratar a micose da pele, unhas, couro cabeludo, pés e virilhas são os antifúngicos na forma de pomadas, cremes, loções, sprays, shampoo ou esmalte medicamentoso, apesar de em alguns casos ser necessário o uso de comprimidos. Existem diversas opções, e alguns dos mais utilizados incluem terbinafina, fluconazol, clotrimazol, miconazol ou itraconazol, por exemplo.

O tratamento da micose deve ser orientado pelo médico de acordo com o tipo de micose e a gravidade das lesões formadas, e costuma durar cerca de 1 a 4 semanas, no entanto, pode durar meses nos casos de micose de couro cabeludo ou das unhas, por exemplo.

As micoses mais comuns que afetam as pessoas são conhecidas como tinha, micose de unha, frieira, candidíase, pano branco ou micose de virilha, por exemplo, e todas são provocadas por fungos que vivem no ambiente e podem causar lesões na pele quando conseguem escapar as barreiras de proteção do organismo. Saiba quais são os principais tipos de micose da pele e como identificar.  

Os principais remédios para micose são:

1. Pomadas, cremes e soluções

As pomadas, cremes ou soluções para micose possuem ação antifúngica que ajudam a eliminar o fungo, aliviando sintomas como coceira intensa, vermelhidão ou descamação da pele, e podem ser usados para micose nos pés, na virilha, nas axilas, no tronco ou no pescoço, como candidíase, pano branco, frieira, impingem ou pitiríase versicolor, por exemplo.

Algumas das pomadas, cremes ou soluções usados para o tratamento da micose são:

  • Clotrimazol 1% creme, solução ou loção (Canesten ou Clotrimix);
  • Terbinafina 1% creme ou solução (Lamisilate ou Funtyl);
  • Amorolfina 2,5% creme (Loceryl);
  • Ciclopirox olamina 1% creme ou loção (Loprox ou Micolamina);
  • Cetoconazol creme 2% (Nizoral ou Cetonax);
  • Miconazol 2% creme, spray, loção ou pó (Vodol);
  • Oxiconazol 1% creme ou loção (Oxipelle);
  • Fenticonazol creme solução ou spray (Fentizol).

Estes cremes, pomadas ou soluções devem ser sempre usados de acordo com as indicações do médico, mas geralmente devem ser aplicados 1 a 2 vezes por dia, por pelo menos 2 semanas ou pelo período de tempo determinado pelo médico.

Esses remédios devem ser aplicados na área da pele afetada e pelo menos 2 cm além das bordas da micose e após a aplicação é importante deixar a pele absorver todo o produto para então vestir-se ou calçar-se. 

É importante manter o tratamento até ao fim, mesmo que ocorram melhora dos sintomas em 1 a 2 semanas, para evitar o reaparecimento da infecção.

2. Comprimidos antifúngicos

Os comprimidos antifúngicos podem ser recomendados pelo dermatologista quando a área afetada pela micose é muito grande, nos casos de micose na unha, ou quando a pessoa possui algum problema que afeta o sistema imune, por exemplo.

Nestes casos, o dermatologista pode recomendar apenas o uso de comprimidos, como:

  • Fluconazol 150 mg cápsulas (Zoltec ou Triazol);
  • Itraconazol 100 mg cápsulas (Sporanox ou Itraspor);
  • Terbinafina 250 mg comprimidos ou cápsulas (Zior ou Funtyl).

A posologia depende da região afetada e da extensão das lesões, devendo ser determinada pelo médico.

3. Shampoos antifúngicos

Os shampoos antifúngicos podem ser indicados para micose no couro cabeludo ou na barba, para ajudar a eliminar o fungo e prevenir a transmissão da micose para outras pessoas ou para outras áreas do corpo.

Os principais shampoos antifúngicos que podem ser indicados pelo dermatologista são:

  • Cetoconazol 20mg/mL (Lozan, Medicasp ou genérico);
  • Ciclopirox olamina 1,5% (Stiprox ou Shampoo Anticaspa Celamina Zinco Glenmark).

Esses shampoos devem ser aplicados sobre o couro cabeludo ou barba, deixando agir por 5 a 10 minutos, ou enxaguando imediatamente, o que depende do tipo de shampoo indicado pelo médico. 

Para evitar o ressecamento da pele, pode-se utilizar um shampoo hidratante após o uso dos shampoos antifúngicos. 

4. Esmalte medicamentoso

O esmalte medicamentoso é indicado pelo dermatologista no caso de micose na unha dos pés ou das mãos, pois tem ação antifúngica que ajuda a eliminar o fungo na unha. 

Os esmaltes medicamentosos que podem ser indicados pelo médico são:

  • Amorolfina 5% (Loceryl);
  • Clotrimazol 10 mg/g(Clotrimix);
  • Ciclopirox olamina 80 mg/g (Micolamina).

O esmalte deve ser aplicado na unha afetada das mãos ou dos pés, uma a duas vezes por semana, e a duração do tratamento depende da gravidade, localização e velocidade de crescimento da unha, podendo ser de cerca de 6 meses para as unhas das mãos e 9 a 12 meses para as unhas dos pés. Veja outras opções de tratamento para micose de unha.   

Opções de remédios caseiros

Algumas opções de remédios caseiros para micose são o chá de sálvia ou o óleo de melaleuca, pois possuem propriedades antifúngicas, o que pode ser útil para complementar o tratamento indicado pelo médico, mas estes remédios caseiros não devem ser utilizados exclusivamente para tratar qualquer tipo de micose.

O uso destes ou de qualquer outro remédio caseiro não deve substituir os remédios indicados pelo médico, sendo apenas uma forma de ajudar a aliviar os sintomas mais rapidamente. Saiba como preparar os remédios caseiros para micose

Cuidados durante o tratamento da micose

Alguns cuidados durante o tratamento da micose são importantes para ajudar a combater a micose e facilitar a recuperação, como:

  • Manter a região limpa e seca;
  • Evitar permanecer com roupas ou sapatos molhados ou úmidos;
  • Não compartilhar peças de roupas ou calçados;
  • Evitar andar descalço em locais públicos, principalmente aqueles com maior umidade, como saunas e banheiros.

Além disso, é necessário observar se os animais da casa apresentam lesões sugestivas de micose, pois é possível que eles estejam transmitindo fungos, o que provocará novas infecções no futuro.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • ELY, J. W.; et al. Diagnosis and management of tinea infections. Am Fam Physician. 90. 10; 702-10, 2014
  • NIVOIX,.; et al Y. Antifungal Therapy: New and Evolving Therapies. Semin Respir Crit Care Med. 41. 1; 158-174, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • LEUNG, A. K.; et al. Tinea corporis: an updated review. Drugs Context. 9. 5-6, 2020
  • LIPNER, S. R.; SCHER, R. K. Onychomycosis: Treatment and prevention of recurrence. J Am Acad Dermatol. 80. 4; 853-867, 2019
  • WEINSTEIN, Andrew; BERMAN, Brian. Topical Treatment of Common Superficial Tinea Infections. Am Fam Physician. 65. 10; 2095-2103, 2002
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.

Tuasaude no Youtube

  • Como acabar com a CASPA de vez!

    07:17 | 230397 visualizações
  • Segredos para uma pele bonita e saudável | Tatiana Zanin

    07:21 | 56914 visualizações
  • Como ter uma PELE PERFEITA | com @Bruna Vieira

    14:28 | 66000 visualizações
  • 5 ALIMENTOS para ter uma PELE FIRME e HIDRATADA

    03:23 | 481270 visualizações