Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

O que é Cólera, sintomas e tratamento

A cólera é uma doença infecciosa que pode ser adquirida por meio do consumo de água e alimentos contaminados pela bactéria Vibrio cholerae. Este tipo de infecção é mais comum e causa surtos mais facilmente em locais que não têm água encanada ou com saneamento básico inadequado, em que não há coleta de lixo ou que há esgoto a céu aberto, por exemplo.

Apesar de nem sempre causar sintomas, algumas pessoas infectadas podem desenvolver um quadro mais grave, o que depende da quantidade de bactérias ingeridas e do estado de saúde da pessoa contaminada, podendo manifestar-se desde uma leve diarreia a uma diarreia intensa e potencialmente fatal.

O que é Cólera, sintomas e tratamento

Sintomas da Cólera

Em alguns casos, a cólera pode ser assintomática ou demorar 2 a 5 dias após o contato com á água ou alimento contaminado para os primeiros sintomas aparecerem, sendo os principais:

  • Diarreia intensa, mais de 1 vez por hora, que surge porque as toxinas da bactéria fazem com que as células que revestem o intestino produzam uma grande quantidade de fluidos;
  • Fezes líquidas de cor branca, semelhante a leite ou água de arroz;
  • Náuseas e vômitos constantes;
  • Ausência de produção de urina;
  • Cansaço e fraqueza excessivos;
  • Desidratação, com excesso de sede, e boca e pele secas; 
  • Aumento dos batimentos cardíacos e redução da pressão arterial.

É importante que a cólera seja identificada e tratada rapidamente para evitar que ocorram complicações, como por exemplo a desidratação severa, necrose renal, hipoglicemia e choque hipovolêmico, podendo resultar em óbito em menos de 24 horas, por exemplo.

A bactéria permanece nas fezes durante 7 a 14 dias, podendo ser um meio de contaminação para outras pessoas, especialmente quando não se lava as mãos após ir ao banheiro, por exemplo. Por isso é importante continuar o tratamento conforme a orientação do médico mesmo que os sintomas não estejam mais presentes.

Como acontece a transmissão

A pessoa pode ser contaminada ao ingerir água ou alimentos contaminados com a bactéria, já que ela é eliminada através do vômito e da diarreia, podendo ser facilmente espalhada. Assim, é comum que a infecção seja transmitida entre pessoas que convivem no mesmo ambiente, como moradores da mesma casa ou pessoas que frequentam a mesma escola e local de trabalho, por exemplo.

Além disso, o consumo de peixes e crustáceos de água doce ou de água do mar contaminados também pode causar a doença, isso porque a bactéria faz parte do ambiente aquático. Rios, açudes e lagoas contaminadas podem causar epidemia em determinadas regiões e, por isso, é importante só ingerir água filtrada ou fervida.

Uma vez que a bactéria presente nas fezes se multiplica facilmente entre 5 e 40ºC, sendo também resistente ao congelamento, é comum ocorrer epidemias de cólera em áreas populacionais superlotadas, com más condições de higiene e falta de saneamento básico. 

Como prevenir

O Vibrio cholerae, que é o agente infeccioso da doença, não resiste a temperaturas acima de 80ºC, por isso, para prevenir a cólera é recomendado beber água filtrada, ferver a água encanada antes de a ingerir, assim como consumir alimentos preparados e servidos quentes, evitando comidas cruas como saladas ou sushi. 

Ao preparar os alimentos, é importante lavar as mãos e ter atenção com os alimentos, principalmente as frutas que possuem casca fina, que devem ficar de molho em água com um pouco de cloro para que seja desinfectadas. Além de lavar as mãos antes de preparar os alimentos, é recomendado lavar as mãos com água e sabão sempre que utilizar o banheiro e sempre que estiver com vômito e diarreia. Dessa forma é possível prevenir a transmissão da bactéria.

Estas estratégias de prevenção devem ser utilizadas especialmente em regiões de sem saneamento básico, com excesso de população ou que sofreram um desastre natural, por exemplo.

Além das medidas preventivas, outra forma de evitar a cólera é por meio da vacinação, que é disponibilizada nos países que possuem alto risco de cólera e para viajantes ou trabalhadores que irão para regiões endêmicas. Saiba tudo sobre a vacina contra a cólera.

Como é feito o tratamento

Não é necessário nenhum tipo de tratamento especial para a cólera, sendo apenas recomendado manter a ingestão de líquidos ou soro para evitar a desidratação causada pela diarreia severa. O soro de reidratação oral, comprado em farmácias, ou o soro caseiro, são também interessantes para prevenir e tratar a desidratação, repondo a quantidade de líquidos e sais minerais que são perdidos na diarréia e vômito.

O uso de remédios para parar a diarreia e os vômitos não são recomendados, pois pode impedir que as toxinas produzidas pelos microrganismos sejam eliminados. No entanto, casos surjam sintomas que podem ser desconfortáveis para a pessoa, o médico pode indicar o uso de remédios para enjôo, para dor e para repor a microbiota intestinal.

Nos casos mais graves, quando a desidratação provoca sintomas como tonturas ou cansaço extremo, pode ser necessário ficar internado no hospital para fazer soro diretamente na veia e avaliar os sinais vitais. Além disso, embora os antibióticos não sejam necessários para eliminar a cólera, o médico pode recomendar em casos mais graves, principalmente quando é observada diarreia grave com sangue, o uso de Sulfametoxazol-Trimetoprim, Doxiciclina ou Azitromicina com o objetivo de reduzir a transmissão da bactéria.

Sinais de melhora e piora

Os principais sinais de melhora da cólera são a diminuição do vômito e da diarreia, além da melhora da cor e diminuição da fraqueza. Já os sinais de piora são palidez, emagrecimento, olhos fundos, boca seca, pele seca, além de batimentos cardíacos acelerados, cãibras e convulsões. Casos estes sintomas estejam presente deve-se manter a pessoa internada no hospital para receber o tratamento adequado.

Além disso, quando grave, a cólera pode causar desidratação em poucas horas e esta complicação pode levar ao surgimento de comprometimento dos rins, alterações no intestino, arritmia cardíaca, pressão baixa e colapso cardíaco.

Bibliografia >

  • MÉDICOS SEM FRONTEIRAS. Cólera. Disponível em: <https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/colera>. Acesso em 04 Abr 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cólera: causas, sintomas, transmissão, tratamento e diagnóstico. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/colera#prevencao>. Acesso em 04 Abr 2019
  • BARER, Michael R. Medical Microbiology: A guide to microbial infections - pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 221-224.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem