Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para cardiomiopatia dilatada

O tratamento para cardiomiopatia dilatada deve ser orientado por um cardiologista, pois varia de acordo com os sintomas do paciente, como cansaço excessivo ou dificuldade para respirar, por exemplo.

A cardiomiopatia dilatada consiste em uma doença que provoca a dilatação excessiva do músculo do coração, dificultando o seu trabalho em bombear o sangue por todas as partes do corpo e, geralmente, é mais frequente em homens entre os 20 e os 60 anos, embora possa surgir em qualquer idade.

O tratamento para cardiomiopatia dilatada deve ser inciado o mais rápido possível para evitar complicações como embolia pulmonar ou parada cardíaca, por exemplo. Assim, o tratamento pode ser feito com:

  • Remédios para pressão alta, como Captopril ou Amlodipino: diminuindo a pressão arterial e facilitando o trabalho do coração;
  • Remédios para arritmia, como Atenolol ou Bisoprolol: diminuem o ritmo cardíaco, reduzindo a pressão arterial, facilitando o bombeamento de sangue pelo coração e evitando o surgimento de arritmias;
  • Diuréticos, como Furosemida ou Indapamida: removem o excesso de líquidos do organismo, evitando que se acumulem nas veias e dificultem o batimento cardíaco. Além disso, aliviam o inchaço nas pernas e pés provocado pela doença;
  • Digoxina: é um medicamento utilizado para fortalecer o músculo cardíaco, facilitando as contrações e permitindo o bombeamento mais eficaz de sangue;
  • Remédios anticoagulantes, como Varfarina ou Aspirina: diminuem a viscosidade do sangue, facilitando o seu bombeamento e prevenindo o surgimento de coágulos que podem causar embolias ou AVC, por exemplo.

Além disso, durante o tratamento da cardiomiopatia dilatada, é importante seguir as orientações do médico sobre exercício físico e fazer uma alimentação equilibrada e pobre em gorduras, açúcar ou sal. Veja ainda alguns alimentos que pode incluir na sua dieta em: Alimentos que fazem bem ao coração.

Nos casos mais graves, em que o tratamento não é feito de forma adequada ou a doença é diagnosticada mais tarde, o médico pode ainda recomendar cirurgia para colocar um pacemaker no coração ou, até, fazer um transplante cardíaco.

Causas da cardiomiopatia dilatada

A causa da cardiomiopatia dilatada, normalmente, não pode ser identificada, sendo chamada de cardiomiopatia dilatada idiopática. No entanto, algumas causas que levam ao surgimento da doença incluem infecções cardíacas, uso excessivo de álcool ou drogas, pressão arterial alta, diabetes ou exposição prolongada a metais pesados como chumbo, mercúrio ou cobalto.

Além disso, a cardiomiopatia dilata também pode aparecer devido a problemas genéticos e, por isso, é mais comum em pacientes com histórico da doença na família, especialmente quando afeta algum dos pais.

Sintomas de cardiomiopatia dilatada

Os principais sintomas de cardiomiopatia dilatada incluem:

  • Cansaço excessivo constante;
  • Dificuldade para respirar, especialmente ao dormir;
  • Inchaço nas pernas e pés;
  • Dificuldade para fazer execício físico;
  • Inchaço excessivo da barriga.

Quando existe suspeita de cardiomiopatia dilatada é recomendado consultar um cardiologista para fazer exames de diagnóstico, como eletrocardiograma, exames de sangue ou raio X do tórax, identificar a doença e iniciar o tratamento adequado.

Conheça outros sinais que também podem indicar problemas no coração em:

Mais sobre este assunto:
Carregando
...