Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Bradicardia: o que é, sintomas, causas e tratamento

A bradicardia é um termo medico utilizado quando o coração diminui os batimentos cardíacos, passando a bater com um ritmo menor que 60 batimentos por minuto em repouso.

Normalmente a bradicardia não apresenta sintomas, porém, devido à diminuição do fluxo de sangue, provocada pela diminuição dos batimentos cardíacos, pode surgir cansaço, fraqueza ou tonturas. Quando isso acontece, é recomendado ir ao cardiologista para que sejam feitos exames, identificada alguma possível causa e iniciado o tratamento mais adequado, que pode incluir a colocação de um marcapasso.

A bradicardia é muito comum em atletas de alta competição, uma vez que têm o coração já adaptado para o esforço físico que é feito regularmente, o que acaba diminuindo o ritmo cardíaco durante o repouso. Em idosos também pode existir uma diminuição dos batimentos cardíacos devido ao envelhecimento natural do coração, sem indicar a presença de problemas de saúde.

Bradicardia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Como identificar a bradicardia

Para medir a frequência cardíaca pode-se colocar os dedos indicador e médio na parte lateral do pescoço, na acima acima da clavícula, e contar durante 1 minuto o número de batimentos sentidos. Para que o resultado seja mais próximo à realidade pode ser usado um aparelho, chamado frequencímetro, que é colocado no dedo. Insira seus dados na calculadora a seguir para saber se a sua frequência cardíaca está adequada:

Erro
help
anos
Erro
help
bpm
Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

A bradicardia normalmente não apresenta sintomas, mas algumas pessoas podem apresentar:

  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Tontura;
  • Falta de ar.

Geralmente, a bradicardia é encontrada após utilização de um aparelho digital de pressão arterial, que também mostra a frequência cardíaca ou de um oxímetro, que mede a percentagem de oxigênio no sangue e também mostra qual a frequência cardíaca. 

No caso de se identificar uma diminuição dos batimentos cardíacos, é recomendado procurar um cardiologista para avaliar as queixas da pessoa e definir o tratamento da bradicardia, de forma mais adequada. Saiba mais sobre a frequência cardíaca normal, alta ou baixa.

Como confirmar o diagnóstico

Após se identificar uma possível diminuição dos batimentos cardíacos, é recomendado consultar um cardiologista para fazer exames mais específicos como eletrocardiograma, ecocardiograma ou teste de esforço, também conhecido como teste ergométrico. Pode ser também realizado com um Holter de 24 horas, que é um exame que avalia se a bradicardia é controlada ou se em algum momento das 24 horas existe algum tipo de bloqueio cardíaco.

Em alguns casos, também pode ser prescrito pelo médico a realização de alguns exames de sangue para verificar se a causa da bradicardia pode ser devido a infecções, hipotireoidismo ou alteração na quantidade de eletrólitos, como cálcio ou potássio, no sangue.

Bradicardia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Possíveis causas

A diminuição dos batimentos cardíacos pode ser considerada normal quando acontece durante o sono ou em pessoas que praticam exercícios físicos regularmente, como atletas de corrida e ciclismo. Também é normal que aconteça depois de uma grande refeição ou durante a doação de sangue, desaparecendo depois de algumas horas. 

No entanto, a bradicardia pode ser causada por algumas condições cardíacas ou fisiológicas que precisam ser identificadas e tratadas:

  • Doença do nó sinusal, que é caracterizada por uma incapacidade do coração para manter a frequência cardíaca adequada;
  • Infarto, que acontece quando o fluxo de sangue é interrompido e o coração não recebe o sangue e oxigênio necessário para fazer a sua atividade;
  • Hipotermia, quando a temperatura corporal fica abaixo dos 35ºC e as funções do corpo tornam-se mais lentas, como os batimentos cardíacos, para preservar a temperatura;
  • Hipotireoidismo, caracterizado por uma diminuição da quantidade de hormônios da tireoide, o que pode afetar o sistema cardíaco e diminuir a frequência cardíaca;
  • Hipoglicemia, que é uma diminuição da quantidade de açúcar no sangue e que pode diminuir o ritmo dos batimentos cardíacos;
  • Diminuição na concentração de potássio ou cálcio no sangue, pode influenciar a frequência cardíaca, diminuindo-a;
  • Uso de medicamentos para hipertensão ou arritmia, que normalmente têm como efeito colateral a bradicardia;
  • Exposição a substâncias tóxicas, como a nicotina, por exemplo;
  • Meningite, que consiste na inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal e que pode ter como consequência a bradicardia;
  • Tumor no sistema nervoso central, pode provocar bradicardia devido ao aumento de pressão que acontece dentro do crânio;
  • Hipertensão intracraniana, pode levar à diminuição dos batimentos cardíacos devido às alterações que provoca a nível cerebral;
  • Apneia do sono, que corresponde a uma parada momentânea da respiração ou respiração superficial durante o sono, o que pode comprometer o fluxo sanguíneo.

Na maior parte dos casos estas causas são acompanhadas de outros sintomas além da bradicardia, como por exemplo, dor no coração, no caso do infarto, arrepios, no caso da hipotermia, tonturas ou visão turva, no caso da hipoglicemia, e febre ou rigidez no pescoço, no caso da meningite.

Em situações menos comuns, a bradicardia pode acontecer devido a infecções por vírus ou bactérias, como a difteria, febre reumática e miocardite, que é uma inflamação do músculo cardíaco causada pela infecção por vírus ou bactérias. Veja quais são os principais sintomas e como tratar a miocardite.

Bradicardia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Quando a bradicardia é grave

A bradicardia pode ser grave quando causa o aparecimento de outros sintomas como:

  • Cansaço fácil; 
  • Fraqueza; 
  • Tontura; 
  • Falta de ar; 
  • Pele fria; 
  • Desmaio; 
  • Dor no peito em forma de queimação ou aperto; 
  • Diminuição da pressão; 
  • Mal-estar.  

No caso de existir algum destes sintomas é importante ir ao cardiologista para fazer uma avaliação mais detalhada e realizar exames que possam diagnosticar o problema.

Como é feito o tratamento

O tratamento da bradicardia deve ser orientado pelo cardiologista e varia de acordo com a causa, sintomas e a gravidade. Caso a bradicardia esteja associada a outra causa, como por exemplo, o hipotireoidismo, a mudança dos remédios ou um tratamento mais adequado para o hipotireoidismo pode resolver a bradicardia.

Em casos mais graves, pode ser necessária a utilização de um marca-passo, que é um aparelho colocado cirurgicamente e que tem como objetivo regular os batimentos cardíacos no caso de bradicardia, por exemplo. Saiba mais sobre o marcapasso cardíaco.

Bibliografia >

  • FILHO, Roberto Kalil; FUSTER, Valentin. Medicina Cardiovascular: Reduzindo o impacto das doenças. 1.ed. São Paulo: Atheneu, 2016. 955-986.
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE CARDIOLOGIA. Recomendações de 2013 da ESC para pacing cardíaco e terapêutica de ressincronização cardíaca. 2013. Disponível em: <https://spc.pt/wp-content/uploads/2019/10/Pacing-Card%C3%ADaco.pdf>. Acesso em 28 Dez 2020
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Palpitações e Arritmias Cardíacas. Disponível em: <http://sociedades.cardiol.br/socerj/publico/dica-arritmias.asp>. Acesso em 28 Dez 2020
  • REVISTA QUALIDADEHC. Bradiarritimias. Disponível em: <https://www.hcrp.usp.br/revistaqualidade/uploads/Artigos/159/159.pdf>. Acesso em 28 Dez 2020
  • ASSUMPÇÃO, Antônio Carlos; MOREIRA, Dalmo Antonio R. Arritmias cardíacas na sala de emergência e UTI. Bradiarritmias: como identificar e tratar o paciente com baixa perfusão. Rev Soc Cardiol Estado de São Paulo. Vol 28. 3 ed; 296-301, 2018
  • Friedmann, Antonio A. Síndrome bradicardia-taquicardia. Diagn Tratamento. Vol 24. 3 ed; 100-101, 2019
  • HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Protocolo de hipotireoidismo (no adulto). Disponível em: <http://www.hu.ufsc.br/setores/endocrinologia/wp-content/uploads/sites/23/2015/01/PROTOCOLO-DE-HIPOTIREOIDISMO-2-NO-ADULTO-OK-20-de-julho.pdf>. Acesso em 28 Dez 2020
  • PAIK, Jin H.; KANG, Soo; DUREY, Areum et al. Bradicardia sintomática causada por intoxicação por nicotina. Rev Bras Ter Intensiva. Vol 30. 1 ed; 121-126, 2018
  • SOCIEDADE DE INFECCIOLOGIA PEDIÁTRICA E DA SOCIEDADE DE CUIDADOS INTENSIVOS PEDIÁTRICOS DA SPP. Meningites Agudas Bacterianas. Disponível em: <https://www.spp.pt/UserFiles/file/Protocolos_SPP/Meningites_Agudas_Bacterianas_Protocolo.pdf>. Acesso em 28 Dez 2020
  • FRAGA, Cynthia Anne T.; COSTA, Thaís C.; HEADLEY, Selwyn A.; GOMES, Lucas A. Alterações neurológicas associadas a tumor cerebral. Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Vl 8. 272 ed; 2014
  • Protocolos das Unidades de Pronto Atendimento 24 horas. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/docsupload/1331559141Cap_49.pdf>. Acesso em 28 Dez 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem