Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a Bradicardia Sinusal

A bradicardia sinusal é quando o coração passa a bater com uma frequência menor do que 50 batimentos por minuto, em repouso. Neste tipo de arritmia, o batimento é mais lento, porém o coração bate de maneira regular, mantendo a mesma frequência por minuto.

Normalmente a bradicardia sinusal não apresenta sintomas, porém, como há diminuição do fluxo de oxigênio para o coração, a pessoa pode se sentir cansada, fraca e ter episódios de tontura, sendo recomendado ir ao cardiologista para que sejam feitos exames e se chegue a uma conclusão diagnóstica. 

Este tipo de arritmia é muito comum em atletas por possuírem um coração já condicionado pelo esforço físico regular. Em idosos também pode acontecer pelo envelhecimento natural do coração. O tratamento é estabelecido pelo cardiologista dependendo dos sintomas, causas e gravidade da bradicardia, podendo ser necessária a colocação de um marcapasso nos casos mais graves. A melhor forma de prevenir as complicações da bradicardia é fazendo o acompanhamento regular com um cardiologista.

Como identificar e tratar a Bradicardia Sinusal

Sintomas e como identificar a bradicardia sinusal

Normalmente, a bradicardia sinusal não apresenta sintomas, mas pode evoluir com tonturas e até desmaios. Geralmente, é encontrada durante consulta médica ou com o uso de aparelhos digitais de pressão, que também mostram a frequência cardíaca. Em caso de sintomas como tonturas, desmaio, fraqueza, ou caso seja detectada uma frequência cardíaca mais baixa, deve-se procurar um cardiologista para avaliação.

Para investigar e definir a gravidade e o tratamento da bradicardia, é necessária fazer um eletrocardiograma, sendo que, de seguida, é também recomendado realizar um teste de esforço, também conhecido como teste ergométrico, assim como um ecocardiograma, para avaliar a estrutura cardíaca. Pode-se também realizar um Holter de 24 horas, que é um exame que avalia se a bradicardia é controlada ou se em algum momento, o indivíduo faz algum tipo de bloqueio cardíaco.

Pode ainda ser solicitado pelo médico a realização de alguns exames laboratoriais para que seja verificado se a bradicardia sinusal está relacionada com infecções, hipotireoidismo ou alteração na quantidade de eletrólitos (cálcio ou potássio) no sangue, por exemplo.

Possíveis consequências e quando é grave

As consequências da bradicardia sinusal podem ser:

  • Cansaço fácil; 
  • Fraqueza; 
  • Tontura; 
  • Falta de ar; 
  • Pele fria; 
  • Desmaio; 
  • Dor no peito em forma de queimação ou aperto; 
  • Diminuição da pressão; 
  • Mal-estar.  

Dessa forma, para combater todos estes desconfortos deve-se ir ao médico cardiologista e realizar exames para iniciar o tratamento adequado. Em alguns casos, essa bradicardia pode evoluir para um bloqueio cardíaco, sendo necessário colocar um marcapasso cardíaco para que o coração possa bater adequadamente. Ela é particularmente grave quando a pessoa apresenta dor no peito ou possui alguma doença cardíaca associada.

Como é feito o tratamento da bradicardia sinusal

O tratamento é feito de acordo com a causa, sintomas e a gravidade, podendo ser indicado pelo cardiologista que seja tratado o hipotireoidismo, por exemplo, se essa for a causa da bradicardia, ou a mudança dos medicamentos tomados pelo paciente ou, em casos mais graves, a utilização de um marca-passo, que é um aparelho colocado cirurgicamente que tem como objetivo regular os batimentos cardíacos no caso de bradicardia, por exemplo. Saiba mais sobre o marcapasso cardíaco. 

Para prevenir que ocorra bradicardia e esta leve ao aparecimento de sintomas e possíveis complicações, é recomendado que sejam realizados exames periódicos com o cardiologista. O uso de algumas medicações deve ser avaliado, pois existem aquelas que podem causar bradicardia.

Causas da bradicardia sinusal

A diminuição dos batimentos cardíacos pode acontecer durante o sono e em pessoas que praticam exercícios físicos regularmente, como atletas de corrida e ciclismo, por exemplo, o que é considerado normal. Também é normal que aconteça depois de uma grande refeição, durante a doação de sangue ou ao passar uma sonda nasogástrica. 

No entanto, a bradicardia pode ser causada por algumas condições cardíacas ou fisiológicas, sendo as causas mais comuns:

  • Doença do nó sinusal;
  • Infarto;
  • Hipotermia;
  • Hipotireoidismo;
  • Hipoglicemia;
  • Diminuição na concentração de potássio ou cálcio no sangue;
  • Uso de medicamentos para hipertensão ou arritmia;
  • Exposição a substâncias tóxicas;
  • Meningite;
  • Tumor no sistema nervoso central;
  • Hipertensão intracraniana;
  • Hipóxia severa;
  • Hipotireoidismo;
  • Apneia do sono, que corresponde a uma parada momentânea da respiração ou respiração superficial durante o sono. 

Em situações menos comuns, a bradicardia sinusal pode acontecer devido a infecções por vírus ou bactérias, como a difteria, febre reumática e miocardite, que é uma inflamação do músculo cardíaco causada pela infecção por vírus ou bactérias. Veja quais são os principais sintomas e como tratar a miocardite.

Bibliografia >

  • FILHO, Roberto Kalil; FUSTER, Valentin. Medicina Cardiovascular: Reduzindo o impacto das doenças. 1.ed. São Paulo: Atheneu, 2016. 955-986.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem