Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a isquemia cardíaca

A isquemia cardíaca ou isquemia do miocárdio é caracterizada pela diminuição da passagem de sangue pelas artérias coronárias, que são os vasos que levam sangue ao coração. Geralmente, é causada pela presença de placas de gordura em seu interior, que quando não são devidamente tratadas, podem romper e entupir o vaso, causando dor e aumentando as chances de infarto.

Seu tratamento é feito com medicamentos para melhorar o fluxo de sangue destes vasos, prescritos pelo cardiologista, como metoprolol, sinvastatina e AAS, por exemplo, além do controle do colesterol e sal na alimentação e realização de atividade física. 

Como identificar e tratar a isquemia cardíaca

Tipos de isquemia cardíaca

A obstrução do fluxo de sangue pelas coronárias pode acontecer de formas diferentes:

  • Angina estável: é um tipo de isquemia crônica, mas transitória, porque a dor no peito surge quando a pessoa faz algum esforço, sofre algum estresse emocional ou após comer, e melhora e poucos minutos ou quando faz repouso. Se não for tratada, pode virar um infarto, no futuro. 
  • Angina instável: também é um tipo de isquemia crônica, mas a dor no peito pode surgir à qualquer momento, dura mais que 20 minutos, não melhora com o descanso, e, se não for rapidamente tratada, irá evoluir para um infarto. Entenda melhor o que é a angina, suas causas e como tratar.
  • Infarto agudo do miocárdio: o infarto pode acontecer após transformação da angina, ou pode ser súbita, surgindo sem aviso prévio. Caracteriza-se por uma dor ou queimação no peito, intensa, que não melhora, e deve ser tratada o mais rápido possível no pronto-socorro. Aprenda como identificar um infarto
  • Isquemia silenciosa: é a diminuição da passagem de sangue nas coronárias que não causa sintomas, sendo muitas vezes descoberta em exames de rotina, e causa grande risco de evoluir para um infarto ou parada cardíaca súbita. 

Estes tipos de isquemia causam grande comprometimento da saúde do coração, por isto, devem ser diagnosticados e tratados o mais breve possível, tanto pela realização de check-up´s anuais, como procurando atendimento com clínico geral ou cardiologista sempre que aparecerem sintomas de dor ou queimação no peito. 

Como é feito o tratamento

O tratamento para isquemia cardíaca pode ser feito com o uso de medicamentos para:

  • Reduzir os batimentos cardíacos, como propranolol, etanolol ou metoprolol;
  • Controlar os níveis da pressão arterial, como enalapril, captopril ou losartana;
  • Reduzir as placas de gordura, como sinvastatina e atorvastatina;
  • Diminuir a formação de coágulos sanguíneos, como AAS ou clopidrogrel, para o rompimento das placas de gordura;
  • Dilatar os vasos do coração, como isordil e monocordil.

Estes medicamentos só devem ser utilizados sob rigorosa orientação do cardiologista. Deve-se, também, controlar doenças como colesterol alto, pressão alta, tabagismo, sedentarismo, diabetes, apneia do sono e crises de ansiedade, pois elas podem aumentar o risco de isquemia cardíaca.

Nos casos mais graves, quando o uso de medicamentos não é suficiente, o cardiologista poderá indicar a realização cirurgia, que é um procedimento delicado em que o paciente pode ficar internado no hopital por mais de 4 dias e deve realizar fisioterapia ainda no hospital para reabilitação cardíaca precoce. O médico pode solicitar, por exemplo, a angioplastia com ou sem a colocação de um stent ou a cirurgia de revascularização do miocárdio, que é a substituição de uma coronária pela veia safena, por exemplo. Entenda como é feita a cirurgia de ponte de safena.

Como identificar e tratar a isquemia cardíaca

Sintomas da isquemia cardíaca

Os sintomas da isquemia cardíaca podem ser:

  • Dor ou queimação no peito que pode irradiar para nuca, queixo, ombros ou braços;
  • Palpitações cardíacas;
  • Pressão no peito;
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • Enjôo, suor frio, palidez e mal estar;

No entanto, a isquemia cardíaca pode não apresentar sintomas sendo somente descoberta num exame de rotina ou quando gera um ataque cardíaco. Veja quais são os 12 sinais que podem indicar problemas no coração. 

Causas da isquemia cardíaca

A principal causa de isquemia cardíaca é a aterosclerose, que é o acúmulo de gordura dentro das coronárias, devido ao efeito, à longo prazo, do colesterol alto, açúcar elevado, sedentarismo, tabagismo e obesidade.

Entretanto, outras doenças podem levar à isquemia cardíaca, como lupus, diabetes, embolia coronariana, sífilis, estenose aórtica, espasmo coronariano, hipertireoidismo muito grave e uso de drogas como cocaína e anfetaminas. 

Como é feito o diagnóstico

Para identificar a presença de uma isquemia no coração, podem feitos alguns exames, que devem ser solicitados pelo clínico geral ou cardiologista, como:

  • Eletrocardiograma;
  • Teste ergométrico ou teste do esforço;
  • Ecocardiograma;
  • Cintilografia miocárdica.

Exames de sangue são realizados para identificar a presença de alterações que causam risco ao coração, como colesterol, glicemia, triglicerídeos e função renal, por exemplo. Quando a suspeita de infarto, exame de sangue para avaliar os níveis das enzimas cardíacas também podem ajudar a confirmação. Saiba quais são os exames solicitados para avaliar o coração.

Cada exame solicitado depende dos sintomas apresentados pela pessoa, e, se ainda houver dúvida, o cardiologista pode solicitar um cateterismo cardíaco para confirmar a presença de uma isquemia cardíaca. Saiba para que serve, como é feito e os riscos do cateterismo cardíaco

Mais sobre este assunto:


Carregando
...