Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

6 sintomas de espondilose cervical

A espondilose cervical é uma degeneração normal da idade que vai surgindo entre as vértebras da coluna cervical, na região do pescoço, causando sintomas como:

  1. Dor no pescoço ou em volta do ombro;
  2. Dor que irradia do ombro para os braços ou dedos;
  3. Fraqueza nos braços;
  4. Sensação de pescoço rígido;
  5. Dor de cabeça que aparece na nuca;
  6. Formigamento que afeta os ombros e os braços

A dor provocada pela espondilose cervical pode piorar ao caminhar, sentar, espirrar ou tossir.

6 sintomas de espondilose cervical

Alguns pacientes, com o agravamento da doença, podem perder o movimento dos braços e das pernas e ter dificuldade em caminhar e sensação de rigidez dos músculos das pernas. Algumas vezes, associado a estes sintomas, pode surgir a sensação de urgência para urinar ou incapacidade de reter a urina. Nestes casos é aconselhado consultar um ortopedista, pois podem estar havendo comprometimento da coluna.

Veja quais as principais doenças da coluna que também pdoem causar este tipo de sintomas.

Como confirmar o diagnóstico

Para confirmar o diagnóstico de espondilose cervical é importante consultar um ortopedista. Geralmente, o médico começa por fazer uma avaliação física, para entender quais os sintomas e quais os movimentos que podem causar seu agravamento.

No entanto, na maioria dos casos, é preciso fazer exames de diagnóstico, como raio X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para garantir que não existe outros problemas que possam estar causando o mesmo tipo de sintomas, como fibromialgia, por exemplo.

Uma vez que é necessário ir despistando outras doenças da coluna, o diagnóstico de espondilose cervical pode demorar algumas semanas ou meses até ser descoberto, no entanto, o tratamento pode ser iniciado mesmo antes de saber o diagnóstico, para ir aliviando a dor e melhorando a qualidade de vida da pessoa.

Confira quais as opções de tratamento para a espondilose cervical.

Quem tem maior risco de espondilose cervical

A espondilose cervical é muito comum em idosos, devido a pequenas alterações que vão surgindo naturalmente nas articulações da coluna ao longo dos anos. No entanto, pessoas com excesso de peso, que têm má postura ou que têm empregos com movimentos repetidos do pescoço também podem desenvovler espondilose.

As principais alterações que acontecem na coluna incluem:

  • Discos desidratados: após os 40 anos, os discos que se encontram entre as vértebras da coluna vão se tornando cada vez mais desidratados e pequenos, permitindo o contato entre os ossos, o que causa o surgimento de dor;
  • Hérnia de disco: são alterações muito comuns não apenas da idade, mas em pessoas que levantam muito peso sem proteger as costas. Nestes casos, a hérnia pode fazer pressão sobre a medula espinhal, causando vários tipos de sintomas;
  • Esporões nas vértebras: com a denegeração do osso, o corpo pode acabar produzindo esporões, que são acúmulos de osso, produzidos para tentar fortalecer a coluna. Esses esporões também podem acabar pressionando a coluna e vários nervos na região da coluna.

Além disso, os ligamentos da coluna também vão perdendo a sua elasticidade, provocando dificuldade para movimentar o pescoço e até o surgimento de dor ou formigamento.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...