Dor na coluna cervical: 8 causas comuns (e o que fazer)

Atualizado em dezembro 2023

A dor na coluna cervical pode ser causada por tensão muscular, pancadas ou acidentes na região do pescoço, hérnia de disco ou artrose cervical, causando sintomas como dor no pescoço ou rigidez.

Além disso, a dor na coluna cervical, conhecida cientificamente como cervicalgia, pode estar acompanhada de outros sintomas como dor que irradia para ombros ou braços, sensação de formigamento, fraqueza ou perda de força nos braços, ou dor de cabeça na nuca, por exemplo. 

Embora na maioria das vezes a dor na coluna cervical seja uma dor temporária, é importante consultar o ortopedista, sempre que a dor demora mais de 3 dias para melhorar ou está acompanhada de outros sintomas, para que a causa seja identificada e indicado o melhor tratamento.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas

Algumas das causas mais comuns para a dor na coluna cervical incluem:

1. Tensão muscular

A tensão muscular, ou torcicolo, é a causa mais comum de dor na região da coluna cervical que normalmente é provocada por atividades ou comportamentos do dia a dia como ter má postura, trabalhar sentado por muito tempo, dormir na posição errada ou fazer contração dos músculos do pescoço durante o exercício físico.

Além disso, a tensão muscular também pode acontecer durante períodos de grande estresse, já que a tensão geralmente causa o surgimento de contraturas na região cervical.

O que fazer: uma forma fácil de aliviar o desconforto consiste em fazer alongamentos do pescoço 2 a 3 vezes por dia, durante, pelo menos, 5 minutos. No entanto, aplicar compressas quentes no local por 10 a 15 minutos também pode ajudar. Veja alguns exemplos de alongamentos para dor no pescoço.

2. Pancadas e acidentes

A dor na coluna cervical pode ser causada por traumas, como uma pancada forte no pescoço provocada por um acidentes de trânsito ou uma lesão esportiva, por exemplo. 

Por ser uma região facilmente exposta e sensível, o pescoço pode sofrer vários tipos de traumas, o que acaba gerando dor.

O que fazer: normalmente, a dor é relativamente suave e desaparece ao fim de alguns dias com a aplicação de compressas quentes 15 minutos por dia. Porém, se a dor for muito intensa ou se surgirem outros sintomas como dificuldade para movimentar o pescoço ou formigamento, é importante consultar um médico.

3. Artrose cervical

A artrose cervical, também conhecida como osteoartrite cervical ou espondiloartrose, ocorre devido a um desgaste da cartilagem das vértebras da coluna cervical, resultando em inflamação e sintomas como dor intensa no pescoço, dificuldade de movimentar o pescoço ou sensação de formigamento ou de dormência nas nos braços ou no pescoço. 

Além da dor na cervical, podem também surgir outros sintomas, como dor de cabeça e produção de pequenos estalidos.

O que fazer: normalmente é necessário fazer fisioterapia para aliviar o desconforto provocado pela artrose cervical, no entanto, o ortopedista também pode indicar o uso de alguns remédios para diminuir a inflamação e aliviar a dor. Entenda melhor como é feito o tratamento da artrose cervical.

4. Hérnia de disco

A hérnia de disco cervical acontece quando os discos entre as vértebras da coluna, que funcionam como amortecedores, são pressionados e mudam de forma, o que pode pressionar as raízes dos nervos próximos, causando sintomas como dor constante, formigamento ou dormência nos braços.

A hérnia de disco cervical é mais frequente após os 40 anos, mas pode surgir antes, especialmente em pessoas que têm má postura ou que precisam trabalhar em posições menos confortáveis, como pintores, padeiros ou dentistas, por exemplo.

O que fazer: o tratamento da hérnia de disco deve ser feito pelo ortopedista que pode indicar fisioterapia ou uso de remédios analgésicos e anti-inflamatórios, como paracetamol ou ibuprofeno, para ajudar a aliviar a dor e diminuir a inflamação. Nos casos mais graves, o médico pode ainda recomendar a cirurgia. Veja as principais opções de tratamento para hérnia de disco.

Saiba mais sobre a hérnia de disco no vídeo:

5. Bico de papagaio

O bico de papagaio, conhecido cientificamente como osteofitose, acontece quando uma parte da vértebra cresce mais do que o normal, provocando uma saliência de osso que se assemelha ao bico do papagaio. Embora essa saliência não provoque dor, pode acabar pressionando os nervos da coluna, o que gera sintomas como dor, formigamento e até perda de força.

O que fazer: o bico de papagaio deve ser sempre diagnosticado por um ortopedista e, normalmente, o tratamento é feito com fisioterapia e remédios anti-inflamatórios. Veja mais sobre o bico de papagaio e como tratar.

6. Discopatia degenerativa

A discopatia degenerativa é o desgaste progressivo dos discos intervertebrais na coluna cervical, causada pelo envelhecimento natural do corpo, sendo comum em pessoas com mais de 40 anos.

Geralmente, esse desgaste não causa dor, no entanto, em alguns casos, podem surgir dor no pescoço, sensação de formigamento ou fraqueza nos braços, por exemplo.

O que fazer: o tratamento da discopatia degenerativa deve ser feito com a orientação do ortopedista, que pode indicar o uso de remédios anti-inflamatórios ou analgésicos para aliviar os sintomas, fisioterapia ou cirurgia, nos casos mais graves. Veja como é feito o tratamento da discopatia degenerativa.

7. Espondilose cervical

A espondilose cervical é um desgaste das vértebras da coluna cervical e dos discos intervertebrais, causando compressão dos nervos e sintomas como dor no pescoço ou em volta do ombro, que pode irradiar para os braços, sensação de pescoço rígido ou dor de cabeça na nuca.

Essa condição pode surgir devido ao envelhecimento natural do corpo, sendo por isso mais comum em idosos, no entanto, pode surgir em qualquer pessoa devido ao excesso de peso ou má postura, por exemplo.

O que fazer: o tratamento deve ser feito pelo ortopedista, que pode indicar remédios analgésicos e anti-inflamatórios, uso de colar cervical ou cirurgia. Saiba como é feito o tratamento da espondilose cervical.

8. Hiperlordose

A hiperlordose é uma curvatura mais acentuada da coluna para dentro, que pode acontecer na região cervical, e causar dor ou desconforto no pescoço.

Esse problema na coluna pode ser causado por má postura, sedentarismo, obesidade ou por um enfraquecimento muscular progressivo, chamado distrofia muscular. 

O que fazer: o tratamento da hiperlordose é feito pelo ortopedista, que pode indicar a prática de atividades físicas, fisioterapia ou recuperação postural global ou “RPG”. Confira outros tratamentos da hiperlordose.

Quando ir ao médico

É recomendado consultar o ortopedista, sempre que surgir dor constante na coluna cervical para que possa ser avaliada e identificada a sua causa.

Além disso, deve-se consultar o ortopedista se a dor na coluna cervical estiver acompanhada de sintomas como:

  • Dor intensa no pescoço;
  • Dor na coluna que irradia para o ombro ou braços;
  • Dificuldade em movimentar o pescoço ou os braços;
  • Dor persistente ou que piora com o passar do tempo;
  • Febre ou calafrios;
  • Acidentes que possam ter machucado a coluna;
  • Fraqueza muscular.
  • Sensação de areia nas articulações do pescoço.

Estes sintomas geralmente indicam que a dor não se trata apenas de uma contratura muscular e, por isso, devem ser avaliados pelo ortopedista.

Na consulta, além de avaliar os sintomas, o médico pode pedir a realização de alguns exames, como raio X ou ressonância magnética, para melhor determinar a causa. 

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Ortopedistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Vídeos relacionados