Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é melena, principais causas e tratamento

Melena é um termo médico utilizado para descrever fezes muito escuras (semelhantes a alcatrão) e mal cheirosas, que contêm sangue digerido na sua composição. Dessa forma, este tipo de cocô é muito comum em pessoas que têm algum tipo de sangramento no sistema digestivo alto, ou seja, no esôfago ou no estômago. Isto permite que o sangue seja digerido junto com a comida, conferindo uma coloração muito escura às fezes.

Sempre que se identifica a presença de fezes muito escuras que possam ser melena é importante consultar um gastroenterologista ou clínico geral, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado, de forma a parar a hemorragia e evitar complicações mais graves, como anemia, perda da consciência e até insuficiência em vários órgãos do corpo.

O que é melena, principais causas e tratamento

5 principais causas de melena

As causas mais comuns que costumam estar na origem do surgimento de melena são:

1. Úlcera gástrica

A úlcera gástrica é semelhante a uma ferida que surge na parede do estômago e que pode sangrar quando está muito irritada. Quando isso acontece, e dependendo da quantidade de sangue liberada, as fezes podem acabar saindo muito escuras e com mau cheiro.

Normalmente, a úlcera é mais comum em pessoas que têm gastrite crônica e, por isso, é quase sempre acompanhada de outros sintomas como dor forte na barriga, que piora após comer, enjoos constantes e vômitos, por exemplo. Confira outros sintomas que podem ajudar a identificar uma situação de úlcera gástrica.

O que fazer: quando existe suspeita de úlcera é muito importante consultar um gastroenterologista, já que é necessário fazer uma endoscopia para confirmar o diagnóstico. Depois do diagnóstico, o tratamento passa por fazer algumas alterações na dieta, assim como usar remédios receitados pelo médico, que podem ser antiácidos e protetores gástricos.

2. Varizes esofágicas

As varizes esofágicas são outra causa relativamente frequente para o aparecimento de melena. Estas varizes consistem numa dilatação de algumas veias do esôfago, que podem acabar por romper, liberando sangue para o sistema digestivo que, depois de passar pelo estômago, tornam as fezes muito escuras e mal cheirosas.

Este tipo de varizes é mais comum em pessoas com problemas no fígado, que aumentam a pressão sobre as veias do sistema digestivo, dilatando-as. Além disso, na maior parte dos casos, a rutura das varizes acontecem em pessoas que já sabem que possuem esse tipo de alteração no esôfago, estando alertadas para o perigo de sangramento. Quando rompem, além da melena, as varizes podem causar outros sinais e sintomas, como vômito com sangue vermelho vivo, palidez, cansaço excessivo e palidez, por exemplo.

O que fazer: o rompimento de varizes no esôfago é uma situação de emergência e, por isso, caso exista suspeita é muito importante ir rapidamente ao hospital para iniciar o tratamento adequado, que pode passar por fazer uma cirurgia para parar a hemorragia. As pessoas com varizes também devem seguir corretamente o tratamento orientado pelo médico, para evitar que rompam. Entenda melhor o que são as varizes esofágicas e como são tratadas.

O que é melena, principais causas e tratamento

3. Gastrite e esofagite

A gastrite é a inflamação das paredes do estômago, assim como a esofagite é a inflamação das paredes do esôfago. Embora, na maior parte dos casos, essas inflamações não causem sangramento, quando não são adequadamente tratadas, ambas as paredes podem ficar muito irritadas e acabar tendo pequenos sangramentos. Quando isso acontece, a pessoa pode apresentar melena, que também pode ser acompanhada por dor de estômago, azia, mal-estar geral e vômitos, principalmente depois de comer.

O que fazer: pessoas com gastrite ou esofagite diagnosticadas devem seguir o tratamento indicado pelo gastroenterologista. No entanto, se existir suspeita de melena é importante consultar o médico ou ir no hospital, já que o sangramento também pode indicar que está se desenvolvendo uma úlcera, por exemplo, podendo ser necessário adequar o tratamento. Confira como pode ser feito o tratamento da gastrite.

4. Síndrome de Mallory-Weiss

Esta síndrome pode surgir depois de um período de fortes vômitos e acontece quando surgem pequenas fissuras no esôfago pelo excesso de pressão sobre as paredes. Nestes casos, geralmente a pessoa apresenta vômitos que depois acabam evoluindo para vômito com sangue e cansaço excessivo.

O que fazer: caso se suspeite de estar desenvolvendo uma síndrome de Mallory-Weiss é recomendado ir ao hospital para interromper o sangramento e iniciar o uso de alguns remédios. Nas situações mais graves, pode também ser necessária cirurgia para corrigir as lesões. Saiba mais sobre esta síndrome e seu tratamento.

5. Câncer de estômago

Embora seja bem mais raro, o câncer de estômago também pode causar o aparecimento de melena, já que causa o sangramento das paredes do estômago. No entanto, associados à melena, também costumam surgir outros sinais e sintomas como perda de peso, azia constante, perda de apetite, sensação de estômago cheio mesmo sem comer e fraqueza excessiva. Confira outros sintomas que podem indicar a presença de câncer no estômago.

O que fazer: qualquer caso de suspeita de câncer deve ser avaliado por um médico o mais rápido possível, já que quanto mais cedo for descoberto, mais fácil será o tratamento. No entanto, na maior parte dos casos, o tratamento é feito com radioterapia e quimioterapia, podendo ainda ser necessária cirurgia para retirar a parte afetada do estômago.

Como é feito o tratamento

O tratamento para melena varia bastante dependendo da causa, no entanto, em praticamente todos os casos é muito importante ir ao hospital para confirmar o sangramento e interrompê-lo, de forma a impedir o surgimento de complicações mais sérias, como anemia ou falência de vários órgãos.

A partir desse momento, o médico irá avaliar o histórico de cada pessoa e pedir outros exames, especialmente uma endoscopia, para tentar identificar a causa e, assim, orientar melhor o tipo de tratamento que precisa ser feito.

Bibliografia >

  • FEDERLE, Michael P.; RAMAN, Siva P.. Diagnóstico por Imagem: Gastrointestinal. 3.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I.. Goldman-Cecil Medicina. 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 892-898.
  • PORTER, Robert S.; KAPLAN, Justin L.; HOMEIER, Barbara P.. Manual Merck de Diagnósticos Médicos. 2008. 552-560.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem