Colite: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
março 2022

A colite é uma inflamação no intestino que pode ser aguda ou crônica e causar sintomas como dor abdominal, gases, desidratação, sangue nas fezes e alternância entre período de diarreia aquosa e de prisão de ventre.

A colite pode acontecer como consequência do estresse, ser devido a infecções por bactérias, ou estar relacionada com a imunodeficiência, por exemplo, o que leva ao surgimento dos sintomas, que devem sempre ser avaliados pelo clínico geral ou gastroenterologista.

O tratamento da colite é feito de acordo com sua causa, mas normalmente é indicado pelo médico o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como o ibuprofeno ou o paracetamol, ou antibióticos para tratar a infecção. Além disso, é importante ter uma alimentação saudável e orientada por um nutricionista para a colite para evitar a irritação do intestino e o surgimento de mais lesões. 

Sintomas de colite

Os sintomas de colite estão relacionados com a inflamação progressiva do sistema digestivo e podem ser mais ou menos intensos de acordo com a causa da colite e estado geral de saúde. Os principais sintomas relacionados com a colite são:

  • Dor ou cólica abdominal;
  • Alternância entre períodos de diarréia e prisão de ventre;
  • Presença de muco nas fezes;
  • Fezes com sangue;
  • Febre;
  • Calafrios;
  • Desidratação;
  • Presença de feridas na boca, em alguns casos;
  • Excesso de gases intestinais;
  • Perda do apetite;
  • Cansaço excessivo.

Além disso, em alguns casos, podem surgir sintomas não relacionados ao sistema gastrointestinal, como dor nas articulações, inflamação na esclera do olho ou uveíte, ou alterações na pele, como eritema nodoso ou pioderma gangrenoso.

No caso de surgimento dos sintomas de colite, é importante consultar o clínico geral ou gastroenterologista para que seja feito o diagnóstico, identificada a causa e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da colite é feito pelo gastroenterologista através da avaliação dos sintomas, exame físico, avaliação do histórico de saúde, exame de fezes e exames de imagem como como ultrassom, tomografia computadorizada, ressonância magnética, raio X, colonoscopia ou retossigmoidoscopia. Saiba como é feita a retossigmoidoscopia.  

Além disso, o médico também pode solicitar exames de sangue para identificar a causa da colite, como anticorpo anticitoplasma de neutrófilo perinuclear (P-ANCA), anticorpos anti-Saccharomyces cerevisiae (ASCA) e antígeno carcinoembrionário (CEA). 

Possíveis causas da colite

A colite é causada por uma inflamação no intestino podendo acontecer devido ao estresse, ansiedade, infecção por vírus, bactérias ou parasitas, inflamações ou reações alérgicas a alimentos, por exemplo. 

Essa inflamação no intestino pode ser aguda ou crônica, e dependendo da sua causa apresenta sintomas diferentes, sendo importante consultar o clínico geral ou o gastroenterologista para a realização do diagnóstico e tratamento mais adequado que varia de acordo com o tipo de colite.

Principais tipos de colite

A colite pode ser classificada em diferentes tipos de acordo com a causa e sintomas apresentados, sendo os principais:

1. Colite ulcerativa

A colite ulcerativa é uma inflamação do revestimento interno do intestino grosso caracterizada pela presença de várias úlceras na parede intestinal que causam muito desconforto. As úlceras podem aparecer ao longo do intestino, em partes isoladas ou na parte final. Além da presença de úlceras, pode haver diarreia com muco e sangue, dor abdominal e febre.

A colite ulcerativa é o tipo mais comum de colite, e sua causa ainda não é bem esclarecida, mas é possível que aconteça devido a fatores genéticos, alterações do sistema imune, e a infecções por vírus ou bactérias. Saiba mais sobre a colite ulcerativa

Quando a colite ulcerativa é rapidamente identificada, o gastroenterologista é capaz de tratar rapidamente e eliminar a causa e as feridas, no entanto, com a progressão da inflamação, as lesões ficam irreversíveis. Além disso, as pessoas que têm colite ulcerativa não tratada, têm mais chances de terem câncer colorretal. Veja quais são os sintomas do câncer colorretal.  

2. Colite pseudomembranosa

A colite pseudomembranosa é causada pela bactéria Clostridium difficile, que vive normalmente no intestino, mas que quando se multiplica excessivamente, produz e libera toxinas capazes de lesionar as paredes do intestino, causando sua inflamação.

A colite pseudomembranosa, na maioria das vezes, está associada ao uso de antibióticos, como a amoxicilina ou a azitromicina, que provocam um desequilíbrio das bactérias no intestino, levando ao crescimento excessivo da Clostridium difficile. Entenda mais sobre a colite pseudomembranosa

3. Colite nervosa

A colite nervosa, também chamada de síndrome do intestino irritável, é mais comum em jovens e é causada por condições psicológicas, como estresse e ansiedade, por exemplo, o que deixa o intestino mais sensível e favorece a ocorrência de lesões. Esse tipo de colite é caracterizado por dor, inchaço abdominal e excesso de gases. Veja quais são os principais sintomas da síndrome do intestino irritável.  

4. Colite isquêmica

A colite isquêmica é causada por uma diminuição ou bloqueio do fluxo sanguíneo no intestino devido ao acúmulo de gordura dentro dos vasos sanguíneos, resultando em formação de úlceras na parede intestinal, inflamação, abscessos e inchaço, além de aumentar o risco de acontecer hemorragia.

Geralmente, esse tipo de colite está associada a outras condições como diabetes, câncer de intestino, desidratação, insuficiência cardíaca, aterosclerose, trombose, síndrome da resposta inflamatória sistêmica, ou uso de remédios como fibratos ou anti-inflamatórios não esteróides, por exemplo. 

5. Colite microscópica

A colite microscópica é um tipo de colite que é diagnosticada somente através de uma biópsia feita durante o exame de colonoscopia, sendo chamada de microscópica, pois as alterações no intestino só conseguem ser visualizadas pela análise das células intestinais no microscópio, e geralmente, durante o exame de colonoscopia o intestino encontra-se aparentemente normal.

Esse tipo de colite, geralmente está associada a distúrbios auto-imunes, como a doença celíaca, diabetes tipo 1 ou psoríase, ou uso de remédios como inibidores da bomba de próton, antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina ou anti-inflamatórios não esteróides, como o ácido acetilsalicílico, por exemplo.

6. Colite infecciosa

A colite infecciosa é causada por uma infecção por vírus, como o norovírus, rotavírus, adenovírus ou citomegalovírus, parasitas, como a Entamoeba histolytica, e bactérias como Campylobacter jejuni, Salmonella, Shigella, Escherichia coli, Yersinia enterocolitica ou Mycobacterium tuberculosis.

Além disso, algumas infecções sexualmente transmissíveis também podem causar a colite infecciosa como gonorréia, clamídia, herpes simples 1 e 2 ou sífilis, especialmente em pessoas que possuem infecção pelo HIV.

Geralmente, esse tipo de colite causa diarréia aguda, fezes com pus, sangue ou muco, febre e dor abdominal.

7. Colite alérgica

A colite alérgica é mais comum em bebês, e, geralmente, está associada a alergia ou reação de hipersensibilidade às proteínas do leite materno, de vaca ou fórmulas infantis, levando ao surgimento de sintomas como refluxo, excesso de produção de saliva, sangue nas fezes ou irritação.

Como é feito o tratamento

O tratamento da colite deve ser orientado pelo médico e pode variar de acordo com a causa da colite.

Os principais tratamento para a colite incluem:

1. Alimentação

A alimentação é importante no tratamento da colite, pois evita complicações, ajuda a aliviar os sintomas e a melhorar a absorção de nutrientes no organismo, promovendo a qualidade de vida.

Não existe uma alimentação específica ou alimentos que devem ser consumidos em maiores quantidades durante o tratamento da colite, no entanto o nutricionista pode indicar uma alimentação saudável e equilibrada, aumentando o consumo de carnes magras, frutas e vegetais, gorduras boas e o uso de temperos naturais. 

Além disso, deve-se evitar o consumo de alimentos crus e mastigar muito bem os alimentos. Se os sintomas persistirem, pode ser recomendado pelo médico ou nutricionista fazer uma dieta líquida, tomar sucos de verduras como o suco de beterraba ou de couve, por exemplo. 

É muito importante também aumentar a flora bacteriana comendo uma maior quantidade de alimentos probióticos como iogurtes e os leites fermentados, por exemplo. Veja como deve ser feita a dieta para colite.  

2. Medicamentos

O tratamento com medicamentos pode ser indicado pelo médico com o objetivo de aliviar os sintomas, combater a inflamação ou o microrganismo responsável pela infecção do intestino. 

Os principais medicamentos que podem ser indicados pelo médico são:

  • Analgésicos, como o paracetamol;
  • Anti-inflamatórios, como o ibuprofeno;
  • Antibióticos, como metronidazol ou vancomicina;
  • Antidiarréicos, como a loperamida;
  • Corticoides, como prednisona ou prednisolona;
  • Imunossupressores, como azatioprina ou ciclosporina;
  • Agentes biológicos, como infliximabe, adalimumabe ou ustekimumabe.

Além disso, pode ser indicado pelo nutricionista o uso de remédios à base de polivitamínicos, para melhorar o estado nutricional.

3. Cirurgia

A cirurgia para colite só é indicada pelo médico quando o tratamento com medicamentos e alimentação adequada não são eficazes, sendo então necessária a realização de cirurgia para retirar parte ou todo o cólon ou reto. Normalmente isso ocorre nos casos de colites mais graves em que a lesão é irreversível. 

4. Remédios caseiros

Os remédios caseiros para colite são uma boa forma de ajudar a aliviar mais rapidamente os sintomas como dor abdominal, gases, calafrios e desidratação, e embora não substituam o tratamento com remédios, alimentação ou cirurgia, podem ser usados para complementar o tratamento indicado pelo médico.

Uma boa opção de remédio caseiro para colite é o suco puro de maçã que pode ser consumido várias vezes ao dia. Para fazer esse suco, basta passar as maçãs no liquidificador ou processador e beber em seguida. Confira outros remédios caseiros para colite.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • Pardi, D. S . Diagnosis and Management of Microscopic Colitis. Am J Gastroenterol. 112. 1; 78-85, 2017
  • Yadav, S.; et al. A population-based study of incidence, risk factors, clinical spectrum, and outcomes of ischemic colitis. Clin Gastroenterol Hepatol. 13. 4; 731-8.e1-6, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • NAPOLITANO, L. M.; et al. Clostridium difficile disease: Diagnosis, pathogenesis, and treatment update. Surgery. 162. 2; 325-348, 2017
  • Jessurun, J. The Differential Diagnosis of Acute Colitis: Clues to a Specific Diagnosis. Surg Pathol Clin. 10. 4; 863-885, 2017
  • UNGARO, R.; et al. Ulcerative colitis. Lancet. 389. 10080; 1756-1770, 2017
  • AZER, S. A.; SUN, Y. COLITIS. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Colitis. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK541037/>. Acesso em 16 mar 2022
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878