Luxação: o que é, sintomas, causas e tratamento

outubro 2022

A luxação é uma lesão em que a articulação de algum osso do corpo se desloca da sua posição natural, perdendo seu encaixe natural, e resultando em sintomas como dor intensa, deformidade na articulação, inchaço ou dificuldade para movimentar o membro afetado.

A luxação é mais comum de ocorrer nas articulações do tornozelos, dedos, joelhos, ombros e punhos, e geralmente surge devido a acidentes como quedas, por pancadas em esportes como basquete ou vôlei ou por levantar um objeto pesado de maneira incorreta na academia, por exemplo.

O tratamento da luxação deve ser iniciado o mais rápido possível por um ortopedista para evitar complicações como rompimento dos músculos ou tendões, ou danos nos nervos ou vasos sanguíneos da articulação afetada. Veja como fazer os primeiros socorros para a luxação.

Sintomas da luxação

Os principais sintomas de luxação são:

  • Dor intensa na articulação afetada;
  • Deformidade na articulação;
  • Proeminência óssea;
  • Inchaço local;
  • Incapacidade de realizar movimentos;
  • Sensação de instabilidade na articulação;
  • Dormência, fraqueza ou formigamento próximo à lesão;
  • Hematoma ou vermelhidão no local afetado.
  • Fratura óssea exposta, em alguns casos.

A luxação pode surgir em qualquer articulação do corpo, sendo mais comum no ombro, cotovelo, tornozelo, punho, pés, mãos, dedos, quadril ou joelho, e pode ocorrer em várias direções, para a frente, para trás ou para baixo, e de forma completa ou parcial.

Além disso, também pode ocorrer deslocamento da articulação temporomandibular, causando sintomas como dificuldade para falar e incapacidade de abrir ou fechar a boca, por exemplo. Veja outros sintomas da luxação temporomandibular

É importante consultar um ortopedista o mais rápido possível ou ir para o pronto-socorro mais próximo, na presença de sintomas de luxação, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado, de acordo com o tipo de articulação afetada e a gravidade dos sintomas.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da luxação é feito pelo ortopedista através do exame físico para avaliar a deformidade, além da avaliação dos sintomas e do histórico de saúde ou de traumas ou quedas, por exemplo.

Para confirmar o diagnóstico e verificar se há sinais de algum dano mais grave, o médico deve solicitar um exame de raio X.

Além disso, o médico pode solicitar a realização de uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada, que geralmente é feita após o médico colocar a articulação no lugar, de forma a avaliar os danos causados nos músculos, ligamentos e na cápsula articular.

Possíveis causas

A luxação é causada pelo deslocamento da articulação, sendo mais comum em pessoas que praticam esportes ou que fazem algum tipo de atividade que usam mais essa articulação.

As principais causas de luxação são:

  • Esportes de contato, como futebol, vôlei ou basquete;
  • Esportes que podem causar quedas, como ginástica olímpica ou alpinismo;
  • Levantar peso de forma inadequada em academias;
  • Trabalhar em profissões que exijam carregar peso ou esforço repetitivo, como trabalhadores da construção civil, mecânicos ou enfermeiros, por exemplo;
  • Acidentes, como pancadas ou acidente de carro ou moto;
  • Quedas, como de uma escada ou ao tropeçar em um tapete;
  • Contração muscular brusca;
  • Fraqueza muscular;
  • Abertura excessiva da boca ao bocejar ou comer;
  • Doenças congênitas, como a síndrome de Ehlers-Danlos ou displasia congênita do quadril

Além disso, a luxação pode acontecer mais facilmente em pessoas que são altamente flexíveis ou com articulações soltas.

Como é feito o tratamento

O tratamento da luxação deve ser feito com orientação do ortopedista com o objetivo colocar o osso no lugar, reduzir a dor, melhorar a força muscular, prevenir novos deslocamentos e evitar complicações, e pode variar de acordo com a gravidade e com os sintomas do deslocamento. 

O tratamento inicial da luxação é manipulação ou reposicionamento da articulação, também chamado de redução da luxação, feita pelo médico através da realização de manobras para colocar os ossos da articulação afetada de volta à posição normal. É importante não tentar colocar a articulação no lugar por conta própria pois pode causar complicações e dificultar o tratamento.

Em alguns casos pode ser necessário realizar uma cirurgia para o correto posicionamento ósseo, sob anestesia epidural, como acontece em caso de luxação de quadril. 

Após a redução da luxação, a pessoa deverá permanecer com a articulação afetada imobilizada durante algumas semanas para evitar que a articulação se mova, permitindo que a área afetada cicatrize.

Além disso, o médico deve recomendar a fisioterapia, para realização de exercícios indicados pelo fisioterapeuta para promover a estabilidade da articulação e restaurar a amplitude dos movimentos. Entenda como é feito o tratamento para os principais tipos de luxação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em outubro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • NAMBIAR, M.; et al. Traumatic inferior shoulder dislocation: a review of management and outcome. European Journal of Trauma and Emergency Surgery. 44. 45-51, 2018
  • MILLER, E. A.; FRIEDRICH, J. B. Management of Finger Joint Dislocation and Fracture-Dislocations in Athletes. Clin Sports Med. 39. 2; 423-442, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • DONG, H.; et al. Closed reduction techniques for acute anterior shoulder dislocation: a systematic review and meta-analysis. Eur J Trauma Emerg Surg. 47. 2; 407-421, 2021
  • KANE, P.; et al. Approach to the treatment of primary anterior shoulder dislocation: A review. Phys Sportsmed. 43. 1; 54-64, 2015
  • REZAIE, N.; et al. Elbow Dislocation. Clin Sports Med. 39. 3; 637-655, 2020
  • PRECHEL, U.; et al. The Treatment of Temporomandibular Joint Dislocation. Dtsch Arztebl Int. 115. 5; 59-64, 2018
  • WEBER, A. E.; et al. An Algorithmic Approach to the Management of Recurrent Lateral Patellar Dislocation. J Bone Joint Surg Am. 98. 5; 417-27, 2016
  • DAWSON-AMOAH, K.; et al. Dislocation of the Hip: A Review of Types, Causes, and Treatment. Ochsner J. 18. 3; 242-252, 2018
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.

Tuasaude no Youtube

  • FRATURA: QUANDO POSSO TREINAR? I Marcelle Comenta #08

    00:56 | 14284 visualizações
  • Ossos Fortes Sempre | Tati & Marcelle | Como tratar osteopenia e osteoporose

    09:05 | 186389 visualizações
  • Alimentação rica em CÁLCIO

    02:16 | 246459 visualizações