Derrame articular: o que é, sintomas, causas e tratamento

novembro 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento

O derrame articular é o acúmulo de líquido dentro de uma articulação do corpo, como sangue, líquido sinovial ou pus, levando ao surgimento de sintomas como inchaço na articulação, dor ou rigidez, sendo geralmente causado por pancadas, quedas, inflamações, infecções ou doenças articulares crônicas, como artrite reumatoide ou gota.

O derrame articular pode ocorrer em qualquer articulação do corpo, como tornozelo, ombro, cotovelo ou quadril, no entanto, é mais comum de surgir no joelho, devido ao uso excessivo desta articulação para correr ou caminhar, por exemplo, sendo conhecido popularmente como "água no joelho".

O tratamento do derrame articular é feito pelo ortopedista, que pode indicar uso de antibióticos para combater a infecção, anti-inflamatórios para reduzir a inflamação e o inchaço, ou fisioterapia para facilitar a absorção do líquido, reduzindo seus sintomas.

Sintomas do derrame articular

Os principais sintomas do derrame articular são:

  • Inchaço da articulação;
  • Dor na articulação, que piora ao movimentar;
  • Dificuldade em realizar movimentos;
  • Rigidez na articulação;
  • Vermelhidão na articulação;
  • Aumento da temperatura na articulação.

Além disso, dependendo da causa do derrame articular, podem surgir sintomas como febre, calafrios, mal-estar, sensação de fraqueza, ou formação de um caroço atrás do joelho, chamado cisto de Baker. Saiba identificar os sintomas do cisto de Baker.

É importante consultar o ortopedista sempre que surgirem sintomas de derrame articular, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do derrame articular é feito pelo ortopedista ou clínico geral, através da avaliação dos sintomas, exame físico da articulação afetada, histórico de saúde, histórico de acidentes, pancadas na articulação e doenças articulares, além de exames de imagem, como ultrassom, raio X, ressonância magnética ou ultrassom da articulação.

Além disso, o médico pode solicitar uma análise do líquido da articulação para identificar a causa da inflamação e da dor na articulação. Essa análise é feita através da retirada de uma pequena amostra do líquido da articulação, que será analisada no laboratório.

Possíveis causas

O derrame articular é causado pelo acúmulo de líquido dentro da articulação devido a inflamações ou infecções dos tecidos em volta da articulação, que permitem flexionar a articulação ou dar suporte ao peso do corpo, como cartilagens, ligamentos, tendões, membrana sinovial ou bursas.

Alguns fatores podem aumentar o risco de desenvolvimento do derrame articular, como:

  • Trauma na articulação, como pancadas, acidentes, quedas ou fraturas;
  • Esforço repetitivo com a articulação, como no caso de atletas;
  • Carregar peso em excesso como no caso de pessoas que trabalham na construção civil, mecânicos ou enfermeiros;
  • Doenças inflamatórias crônicas, como artrite reumatoide, artrite reumatoide juvenil, artrose, gota ou lúpus.
  • Infecção na articulação, chamada artrite séptica;
  • Tumor na articulação.

Essas condições podem levar a uma maior produção do líquido sinovial dentro da articulação, resultando nos sintomas do derrame articular.

Como é feito o tratamento

O tratamento do derrame articular deve ser feito com orientação de um ortopedista ou reumatologista, que pode indicar repouso da articulação afetada, uso de remédios anti-inflamatórios ou fisioterapia, por exemplo.

Os principais tratamentos para o derrame articular incluem:

1. Repouso

A primeira opção de tratamento para o derrame articular é o repouso da articulação afetada, pois ajuda na recuperação e alivia a dor e o desconforto que surgem ao se movimentar e permite a cicatrização da articulação.

Além disso, em caso de dor na articulação do joelho, deve-se evitar andar muito ou carregar pesos, por exemplo, para prevenir a piora dos sintomas e permitir a recuperação adequada. 

No caso do derrame articular no joelho, além do repouso, o médico pode recomendar elevar a perna para aliviar o inchaço no joelho, podendo-se deitar na cama ou no sofá e colocar uma almofada por baixo do joelho para que a perna fique inclinada para cima.

2. Compressas frias

Aplicar compressas frias na articulação afetada ajuda a diminuir a dor e reduz o inchaço, por aliviar a inflamação no local.

Para fazer a compressa fria, deve-se colocar gelo dentro de uma bolsa térmica ou colocar um saco de gel no congelador para resfriar, e depois envolver a bolsa ou o saco de gel, em uma toalha limpa e seca, e aplicar na articulação afetada, deixando agir por 15 a 20 minutos, de 2 a 3 vezes por dia. 

3. Imobilização

A imobilização da articulação afetada é feita pelo ortopedista, sendo recomendada para evitar que a articulação se movimente, poupando seu esforço, protegendo da instabilidade causada pelo derrame articular e permitindo a cicatrização da articulação.

Essa imobilização pode ser feita com o uso de uma faixa, joelheira elástica, órteses de joelho, ou cotoveleiras elásticas, por exemplo. 

O tempo de imobilização deve ser orientado pelo médico e varia de acordo com a articulação afetada e gravidade dos sintomas.

4. Uso de remédios

Quando a dor é intensa, o médico pode indicar o uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno ou diclofenaco, para diminuir a inflamação da articulação e aliviar a dor. Confira os principais anti-inflamatórios e como usar.

No caso de do derrame articular ter sido causado por alguma infecção, o médico pode indicar o uso de antibióticos por via oral para eliminar as bactérias, como o ciprofloxacino, por exemplo. Em alguns casos pode ser necessário o uso de antibióticos na veia.

Além disso, dependendo do que causou o derrame articular, o médico pode ainda indicar tratamento com remédios mais específicos, como imunossupressores ou agentes biológicos, que são comuns no casos associado a artrite reumatoide, por exemplo. Veja como é feito o tratamento da artrite reumatóide.

Esses remédios devem ser sempre indicados pelo médico e o tempo de tratamento deve ser feito de forma individualizada, de acordo com a intensidade da dor e causa do derrame articular.

5. Fisioterapia 

A fisioterapia pode ser indicada pelo médico e deve ser feita com orientação do fisioterapeuta, com exercícios de alongamento para aumentar a flexibilidade e melhorar a estabilidade, fortalecer a articulação e a melhorar a circulação sanguínea, drenando o excesso de líquido da articulação afetada. Este exercícios devem estar adequados à articulação afetada e, por isso, é importante receber orientação de um fisioterapeuta.

Inicialmente os exercícios devem ser feitos de forma lenta e progressiva e também é importante usar a técnica de mobilização articular, que consiste em pequenos movimentos articulares que aumentam a lubrificação intra-articular e diminuem os estalidos.

Alguns exemplos de exercícios para derrame articular no joelho, que podem ser indicados pelo fisioterapeuta, incluem:

  1. Ficar de pé e depois dobrar lentamente o joelho afetado, como mostra a imagem 1, e repetir 8 a 10 vezes, por 3 séries;
  2. Sentar numa cadeira com os dois pés no chão e esticar, lentamente, a perna com o joelho afetado 10 vezes, repetindo por 3 séries;
  3. Deitar numa cama e colocar uma toalha enrolada por baixo do joelho afetado, depois empurrar a perna para baixo sem dobrar o joelho e repetir 8 a 10 vezes, repetindo por 3 séries.

É recomendado fazer intervalos de 30 segundos entre cada série de exercícios para evitar desgaste excessivo da articulação e piora dos sintomas. Veja outras formas para tratar o joelho.

O tratamento fisioterápico deve sempre ser escolhido pelo próprio fisioterapeuta de forma individualizada, podendo ainda ser indicada a crioterapia ou o uso de equipamentos como ultrassom, eletroestimulação, laser ou ondas curtas, por exemplo. Na fase final da recuperação são recomendados os exercícios de fortalecimento muscular em volta da articulação. 

6. Punção 

A punção, também chamada de artrocentese, pode ser realizada pelo médico para retirar uma parte do líquido dentro da articulação, com o objetivo de desinchar a articulação, o que traz alívio dos sintomas e facilita a recuperação. 

No entanto, esse tipo de tratamento só é indicado para os casos mais graves, quando a articulação está muito afetada e inchada.

7. Injeção de corticoides 

Além da retirada do líquido da articulação, o médico pode também aplicar uma injeção de corticoides diretamente na articulação afetada. Geralmente é utilizada a cortisona, um tipo de anti-inflamatório forte que ajuda a combater a inflamação e aliviar os sintomas rapidamente. 

8. Artroscopia

A artroscopia é uma pequena cirurgia feita pelo ortopedista utilizando um tubo fino, com uma câmera na ponta, para observar as estruturas no interior da articulação, remover o tecido inflamado, e fazer pequenas reparações na cartilagem, nos ligamentos, na superfície óssea articular, ou no menisco, por exemplo.

Geralmente, a artroscopia é indicada nos casos mais graves e que não melhoram com o uso de remédios e fisioterapia.

9. Artroplastia

A artroplastia é uma cirurgia ortopédica que consiste na remoção e substituição de partes da articulação afetada, por uma prótese de metal, de polietileno ou de cerâmica, sendo geralmente indicada nos casos mais graves ou para reparar a articulação nos casos de artrite reumatóide, quando outras opções de tratamento não foram eficazes para controlar a dor.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em novembro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • GERENA, L. A.; DECASTRO, A. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Knee Effusion. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK532279/>. Acesso em 17 nov 2022
  • MAYES, S.; et al. Hip Joint Effusion-Synovitis Is Associated With Hip Pain and Sports/Recreation Function in Female Professional Ballet Dancers. Clin J Sport Med. 30. 4; 341-347, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • DRIBAN, J. B.; et al. Risk factors and the natural history of accelerated knee osteoarthritis: a narrative review. BMC Musculoskelet Disord. 29. 21; 1, 2020
  • JACQUES, T.; et al. Joint Effusion and Bone Outlines of the Knee: Radiographic/MR Imaging Correlation. Magn Reson Imaging Clin N Am. 27. 4; 685-699, 2019
  • HENNIGER, M.; REHART, S. Approach to joint effusion. Orthopade. 45. 9; 795-806, 2016
  • WANG, X.; et al. Associations between knee effusion-synovitis and joint structural changes in patients with knee osteoarthritis. J Rheumatol. 44. 11; 1644-1651, 2017
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.

Tuasaude no Youtube

  • 7 alimentos antiinflamatórios que você precisa usar

    24:55 | 798034 visualizações
  • 5 DICAS PARA TRATAR DOR NO JOELHO

    05:13 | 791917 visualizações
  • ARTRITE: exercícios para aliviar a dor

    04:49 | 231784 visualizações
  • ARTRITE: o que pode e o que não pode comer

    03:49 | 236989 visualizações
  • CALOR ou FRIO para Aliviar a Dor | Como Usar Corretamente

    01:39 | 511199 visualizações