Discopatia degenerativa: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Francisco Couto Valente
Ortopedista
julho 2022
  1. Sintomas
  2. Causas 
  3. Tratamento

A discopatia degenerativa é o desgaste progressivo dos discos intervertebrais na coluna, causada pelo envelhecimento natural do corpo, sendo comum em pessoas com mais de 40 anos. Geralmente, esse desgaste não causa dor, no entanto, em alguns casos, podem surgir dor na lombar, dorsal ou cervical, sensação de formigamento ou fraqueza nos braços ou nas pernas, por exemplo.

Os discos intervertebrais são cartilagens localizadas entre as vértebras da coluna com função amortecer impactos e dar flexibilidade à coluna. Assim, a degeneração do disco, prejudica a função do próprio disco vertebral e ainda pode pressionar outras estruturas importantes da coluna, como a raiz nervosa ou a medula espinhal. 

O diagnóstico da discopatia degenerativa, que também é chamada de degeneração discal, é feito pelo ortopedista, que pode indicar o tratamento mais adequado, que pode ser feito com uso de remédios, como anti-inflamatórios ou analgésicos, para aliviar a dor, fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia.

Sintomas de discopatia degenerativa

Os principais sintomas da discopatia degenerativa são:

  • Dor lombar ou no fundo das costas, que pode irradiar para as nádegas, coxas ou pernas;
  • Dor na nuca que pode irradiar para os braços, ombro ou costela;
  • Dificuldade para mexer o pescoço;
  • Sensação de dormência ou formigamento nos braços ou nas pernas;
  • Fraqueza muscular ou perda de sensibilidade nos braços ou nas pernas;
  • Rigidez na coluna;
  • Dor nas costas que piora ao sentar, levantar ou flexionar a coluna; 
  • Dor que melhora ao deitar, caminhar ou mudar de posição.

A discopatia degenerativa nem sempre apresenta sintomas, sendo geralmente descoberta em exames de imagem, como especialmente ressonância magnética ou tomografia computadorizada. 

No entanto, esses sintomas podem surgir quando o disco intervertebral se desloca, saindo da posição correta, ou se rompe, causando a hérnia de disco. Saiba identificar todos os sintomas da hérnia de disco

Além disso, o desgaste dos discos intervertebrais podem fazer com que as vértebras da coluna fiquem mais próximas, podendo se deslocar para frente, levando ao surgimento de uma condição chamada espondilolistese, ou ainda pode causar um estreitamento dos espaços ao redor da coluna, conhecido como estenose espinhal.  

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da discopatia degenerativa é feito pelo ortopedista através dos sintomas, histórico de saúde, hábitos de vida e exames de imagem, como raio X da coluna, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Esses exames de imagem permitem ao médico avaliar as características dos discos intervertebrais, como diminuição da espessura ou endurecimento do disco, presença de hérnia de disco, ou osteófitos, que são o crescimento de pequenas estruturas ósseas nas vértebras da coluna.

Essas alterações nos discos intervertebrais são mais frequentes na região lombar, entre as vértebras L4-L5, ou na região cervical, entre as vértebras C5-C6. 

Possíveis causas 

A causa mais comum da discopatia degenerativa é o processo natural de envelhecimento do corpo, que faz com que os discos intervertebrais percam água, ficando mais desidratados e finos.

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento da discopatia degenerativa, como:

  • Má postura;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Hábito de fumar;
  • Lesões ou traumas na coluna.

Além disso, praticar exercícios vigorosos ou trabalhar com esforço físico repetitivo, como no caso de motoristas, secretárias ou dentistas, por exemplo, podem aumentar o risco de apresentar alguma alteração do disco intervertebral. 

Embora a discopatia degenerativa seja mais comum de surgir após os 40 anos, também pode afetar pessoas mais jovens. 

Como é feito o tratamento

O tratamento da discopatia degenerativa deve ser feito com a orientação do ortopedista, com o objetivo de aliviar os sintomas e prevenir a piora da degeneração do disco intervertebral.

Assim, alguns tratamentos que podem ser recomendados pelo ortopedista são:

1. Mudanças dos hábitos de vida

Algumas mudanças nos hábitos de vida podem ser recomendados pelo ortopedista em caso de discopatia degenerativa, sem sintomas e sem hérnia de disco, como forma de preservar a coluna, evitar a progressão da degeneração do disco e o surgimento de sintomas.

Desta forma, as principais recomendações são:

  • Manter boa postura ao caminhar, sentar, deitar, dormir ou ficar em pé. Veja como manter a boa postura nas atividades do dia a dia
  • Evitar fazer esforços físicos excessivos, e sempre que for preciso levantar objetos pesados, deve o fazer de forma correta, sem forçar a coluna;
  • Praticar exercício físico, para fortalecer a musculatura das costas, sob orientação do educador físico, de 2 a 3 vezes por semana;
  • Fazer exercícios de alongamento diariamente, pois ajudam a preparar a musculatura da coluna para as atividades do dia a dia e ajudam a evitar lesões;
  • Parar de fumar.

Além disso, é importante manter o peso saudável, fazendo uma alimentação balanceada, pois o excesso de peso pode sobrecarregar a coluna, e aumentar o risco de desenvolver os sintomas da discopatia degenerativa. Saiba como fazer uma alimentação balanceada

2. Uso de remédios

Os remédios indicados pelo ortopedista para a discopatia degenerativa têm como objetivo reduzir a dor e o desconforto na coluna.

Os principais remédios que podem ser  indicados são:

  • Anti-inflamatórios;
  • Analgésicos;
  • Relaxantes musculares.

Além disso, existem outros medicamentos que podem ser indicados para a discopatia degenerativa, como injeção de corticóide, aplicada pelo médico na coluna por via epidural, para aliviar rapidamente a dor e a inflamação. 

3. Fisioterapia

A fisioterapia pode ser indicada pelo ortopedista no caso da pessoa apresentar dificuldades limitação dos movimentos ou para aliviar a dor mais rapidamente.

As sessões de fisioterapia devem ser feitas com orientação do fisioterapeuta, respeitando as limitações de cada pessoa, podendo ser recomendado exercícios de alongamento que aumentam a flexibilidade e melhoram a estabilidade da coluna.

Além disso, podem ser realizados exercícios de fortalecimento dos músculos das costas e dos músculos abdominais, que dão sustentação à coluna, o que ajuda a diminuir o movimento das vértebras, reduzir a inflamação e, consequentemente, aliviar a dor. Saiba como é feita a fisioterapia para a coluna

4. Cirurgia

A cirurgia é indicada pelo médico nos casos em que nenhuma outra opção de tratamento foi eficaz para controlar a dor da discopatia degenerativa, sendo geralmente feita removendo as partes danificadas do disco intervertebral afetado, o que alivia a compressão dos nervos ao redor da vértebra.

Normalmente, após a cirurgia pode ser indicado pelo ortopedista a realização de fisioterapia, que serve como auxilio a recuperação pós cirúrgica, reforço muscular, analgesia e melhora na postura.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Dr. Francisco Couto Valente - Ortopedista, em julho de 2022.

Bibliografia

  • DONNALLY III, C. J.; HANNA, A.; VARACALLO, M. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Lumbar Degenerative Disk Disease. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448134/>. Acesso em 07 jul 2022
  • PAUL, C. P.; et al. Changes in Intervertebral Disk Mechanical Behavior During Early Degeneration. J Biomech Eng. 140. 9; 2018
Mostrar bibliografia completa
  • BATTIÉ, M. C.; VIDEMAN, T. Lumbar disc degeneration: epidemiology and genetics. J Bone Joint Surg Am. 88. 2; 3-9, 2006
  • GORE, D. R.; et al. Smoking and degenerative changes of the cervical spine: a roentgenographic study. Spine J. 6. 5; 557-60, 2006
  • FAKHOURY, J.; DOWLING, T. J. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Cervical Degenerative Disc Disease. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK560772/>. Acesso em 07 jul 2022
  • PELLENZ, Felipe V. Eficácia da manipulação Pull Move em indivíduos portadores de doença degenerativa discal. Tese de Especialização, 2012. Escola de Osteopatia de Madrid.
Ortopedista
Médico ortopedista formado pela Faculdade Souza Marques em 2011, com CRM.RJ 52.92679-5 e Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia.

Tuasaude no Youtube

  • Tudo sobre HÉRNIA DE DISCO

    06:21 | 289770 visualizações
  • EXERCÍCIOS PARA CORRIGIR A POSTURA

    03:52 | 421585 visualizações
  • Alongamento para o Dia a Dia

    01:08 | 319268 visualizações
  • Postura para Melhorar a Qualidade de Vida

    01:17 | 73616 visualizações
  • O que fazer para aliviar a dor nas costas

    02:58 | 774159 visualizações